Marina Silva, uma fundamentalista! por Cidinha da Silva

Por Cidinha da Silva
Tão triste testemunhar a uma mulher admirável como Marina Silva jogando a própria biografia no aterro sanitário em nome da inapetência para o poder. Negra amazônica que se alfabetizou aos 16 anos, foi trabalhadora doméstica, líder comunitária e ambientalista, professora, senadora, ministra, candidata à Presidência da República, detentora de 20 milhões de votos.
Outro dado importante e definidor da trajetória de Marina foi uma contaminação por mercúrio (doença freqüente dos pobres da Amazônia, residentes em regiões de exploração inescrupulosa de minerais)que levou 8 médicos a desenganá-la. Como ela mesma declara, não tinha mais esperança de vida e foi a fé, a conversão religiosa a salvá-la.
Parece ser em nome dessa fé, do compromisso com os dogmas que lhe restituíram a vida, que Marina professa valores inaceitáveis quanto à orientação sexual de outrem, à soberania da mulher sobre o próprio corpo e à garantia da liberdade para o exercício das diversas práticas religiosas. Isso para ficar apenas em três exemplos.
Agora, na mesma semana em que publica artigo lúcido, embora um tanto superficial, sobre os resultados do Ideb, no qual critica as autoridades dispostas a rever a metodologia do teste no afã de alcançar melhores resultados na educação, em detrimento da correção das deficiências que o teste ajuda a revelar, Marina, quando questionada em seu conservadorismo acerca de temas polêmicos, propõe consultas públicas no formato de referendo como saída evasiva, irresponsável e até mesmo covarde.
Marina, depositária da confiança de tanta gente, da maioria dos ambientalistas, órfãos depois das mutações políticas de Gabeira, auto-transformado numa espécie de Caetano dos Verdes, bandeia-se para o time dos cobradores de pedágio no caminho de Jesus, dos detratores dos direitos humanos de grupos sem status social. E como disse Wyllys, não há nada de inovador na tentativa de submeter direitos de minorias a plebiscitos ou referendos, isso não é política nova, é o velho conservadorismo.
É deveras desconcertante e desalentador. Alguém que se pretende estadista não pode ser refém de crenças pessoais reacionárias. O campo político progressista deve falar mais alto.
Deveria, mas se a racionalidade não tiver voz, que Marina mude de arena, que abandone a política e siga a carreira religiosa. Certamente, ela combaterá a exploração econômica que muitos dos pastores de seu rebanho executam, levará para as igrejas eletrônicas os valores éticos que deram credibilidade à sua prática política. Só temo por sua vida, esses abutres são mais letais do que Mercúrio, não por acaso, o deus do comércio.

+ sobre o tema

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira...

para lembrar

Governadores se reúnem com Lula para defender ex-presidente

  Um dia após o fim do julgamento do mensalão...

Por quem rosna o Brasil

Diante da ruína da autoimagem no espelho, o país...

A inveja e a síndrome de Solomon

Formamos parte de uma sociedade que tende a condenar...

Leandro Fortes: O crime no poder

por Leandro Fortes, em CartaCapital   Restritas ao...

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de Lei que ameaça condenar por homicídio meninas, jovens e mulheres que interromperem gestações, ainda que...

Geledés repudia decisão da Câmara sobre aborto

Geledés – Instituto da Mulher Negra vem a público manifestar sua indignação e repúdio à decisão da Câmara dos Deputados, aprovada nesta terça-feira, 12,...

Mulheres vão às ruas contra PL que equipara aborto a homicídio; confira locais dos atos

Mulheres vão às ruas de diversas partes do país em protesto contra o avanço, na Câmara dos Deputados, do projeto de lei que equipara...
-+=