Moçambicanos na África do Sul: “O coronavírus vai matar-nos à fome”

A África do Sul entra esta quinta-feira em confinamento obrigatório de três semanas. Só serão permitidas deslocações essenciais a supermercados, hospitais ou farmácias. Imigrantes moçambicanos temem ficar sem sustento.

Por Milton Maluleque, Do DW

Foto de um homem pulverizando com produtos de limpeza uma estação de ônibus
(Foto: Reuters/M. Hutchings)

Para estancar a propagação de infeções com o novo coronavírus, todo o território sul-africano passa a estar em confinamento obrigatório. A medida entra em vigor às 23:59 desta quinta-feira (26.03) e mantém-se até à meia-noite de 16 de abril, num total de três semanas.

O Exército foi destacado, a nível nacional, para prestar assistência à polícia e manter as pessoas em casa. Uma ação justificada por se terem registado várias violações às medidas impostas pela declaração de uma emergência nacional.

A África do Sul registou o primeiro caso positivo de Covid-19 a 05 de março na província de KwaZulu-Natal. Entretanto já conta com mais de 900 casos registados, segundo dados divulgados esta quinta-feira (26.03) pelo Presidente Cyril Ramaphosa.

O país decretou fortes restrições à circulação de pessoas. A partir das 23:59 desta quinta-feira, só serão permitidas deslocações essenciais a supermercados, hospitais ou farmácias.

As restrições colocam em perigo a subsistência de imigrantes na África do Sul, incluindo muitos moçambicanos que dependem em grande parte dos pequenos negócios.

“O coronavírus vai matar-nos à fome”, diz Fernando Sitoe, um comerciante moçambicano a viver na cidade de Joanesburgo. “Não há negócio, somos proibidos de sair de casa e nem temos dinheiro para enviar para as nossas mulheres e crianças.”

David Mudanisse, estudante na Universidade de Tswane, não tem tido aulas e teme o impacto negativo do confinamento forçado.

“Estamos a viver como reclusos, privados da vida a que nos habituámos”, afirma em entrevista à DW África. Entretanto, aguarda respostas. “A direção da universidade ainda não nos deu um esclarecimento sobre quando irão iniciar as aulas virtuais.”

Imigrantes regressam a Moçambique

Antes do início do confinamento obrigatório, esta quinta-feira à noite, muitos imigrantes estavam a tentar sair do país.

A fronteira de Ressano Garcia, o maior corredor que liga Moçambique à África do Sul, registava um maior fluxo de moçambicanos, que optam por regressar à terra natal como forma de escapar ao confinamento.

Mércio Tovela faz parte desta comitiva e estava a caminho da fronteira com a família.

“A não trabalhar, não tenho como dar de comer à minha família e pagar o aluguer da casa. Antes morrer de fome em casa do que trancado na terra dos outros”, suspira.

Covid-19 em África

A África do Sul é um dos vários países africanos que adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras, para travar a propagação do novo coronavírus.

Até agora, o continente africano registou mais de 70 mortes devido à Covid-19, ultrapassando os 2.700 casos de infeção.

Leia também: 

Pandemia de coronavírus já atinge mais de dois terços da África

Pandemia do coronavírus pode levar fome a quem depende da merenda escolar

Coronavírus pode dizimar povos indígenas, diz pesquisadora

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Não silencio sobre direitos e cidadania para não ser cúmplice

Por: FÁTIMA OLIVEIRA Sobrevivesse ou não, deveria "entrar na Justiça" O...

Chico adere a campanha contra redução da maioridade

Chico Buarque posou com uma camisa da campanha que...

‘Surdo de convença’ por Mãe Stella

Surdo por conveniência Em uma determinada repartição pública...

Em 2021, uma criança foi abandonada a cada 30 horas no Estado do Rio

Domingo, 29 de maio, 19h. O plantão daquele dia...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=