sexta-feira, julho 1, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoMulher é presa por injúria racial contra vigilante: 'Serviço de preto'

Mulher é presa por injúria racial contra vigilante: ‘Serviço de preto’

Crime ocorreu em plataforma de ônibus após discussão, em GO; ela nega.
Polícia Civil arbitrou fiança de R$ 265, mas valor ainda não foi pago.

Por: Sílvio Túlio, do G1

Uma mulher de 32 anos foi presa em flagrante nesta sexta-feira (20) suspeita de injúria racial contra uma vigilante, de 31 anos, em Goiânia. Segundo a Polícia Civil, o crime ocorreu depois que a suspeita, que é funcionária de uma sapataria, discutiu com vítima e começou a chamá-la de “preta” e “negra”. À polícia, a mulher negou ter cometido o delito.

O fato ocorreu em uma plataforma de ônibus, localizada no cruzamento da Rua 7 com a Avenida Anhanguera, no Setor Central, onde a vítima trabalha.

“Segundo testemunhas, a suspeita passou pela catraca e disse que a bilheteira havia sido grossa. Ela reclamou com a vigilante e mesmo a servidora afirmando que iria tentar resolver o problema, a mulher começou a chama-la de ‘preta’, ‘negra’, disse que ela fazia ‘serviço de preto'”, afirmou ao G1 o delegado Ranor de Araújo, responsável pelo caso.

Logo em seguida, a vítima acionou a Polícia Militar, que encaminhou todos os envolvidos para o 1º Distrito Policial. Lá, a suspeita foi ouvida e encaminhada para uma cela. De acordo com o delegado, a pena para o crime caso ela seja condenada é de 1 a 3 anos.

A polícia arbitrou fiança de um salário mínimo, mas devidos às condições socioeconômicas da suspeita, o valor foi diminuído para um terço, ou seja, R$ 265. Até às 21 horas, uma amiga ainda estava tentando conseguir o dinheiro para que a mulher fosse solta.

 

Crime ocorreu na plataforma de ônibus em que vítima trabalha  (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Crime ocorreu na plataforma de ônibus em que vítima trabalha (Foto: Sílvio Túlio/G1)
Artigos Relacionados
-+=