Professor de medicina da UFMT é preso em flagrante após chamar porteiro de “preto safado”, mas nega acusação

O professor de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) Herbet Monteiro da Silva, de 62 anos, foi preso em flagrante acusado de chamar o porteiro Carlos Alexandre de Souza de “preto safado e vagabundo”. O caso ocorreu no último sábado (06), quando o professor saía com o carro pela garagem do prédio onde mora, no bairro Jardim Mariana em Cuiabá. Herbert nega as acusações e diz que o caso trata-se de uma “invenção” dos denunciantes.

Por Lázaro Thor Borges, do Olhar direto 

Foto: Reprodução Olhar direto

De acordo com os relatos dos moradores, Monteiro teria se irritado com a “demora” do funcionário para abrir manualmente a garagem do portão. Algumas pessoas que estavam na piscina, entre elas o morador Munir Salomão, também relataram terem ouvido as ofensas e saíram em defesa do funcionário. Minutos depois, o síndico do condomínio, o advogado Wagner Ferretti, foi acionado para tentar solucionar o caso.

A polícia foi chamada logo depois pelo síndico e o médico resistiu a ser conduzido para a delegacia. Por conta da recusa em abrir o seu apartamento, a PM arrombou a porta e entrou no local. Ao ser preso em flagrante, o professor foi acompanhado de sua advogada, Sueli Silveira, e teria pago fiança de R$ 5 mil para sair da cadeia. Ele deverá responder o caso em liberdade. As informações constam do boletim de ocorrência nº 2017.564.238.001

De acordo com o relato do síndico, tudo ocorreu porque Herbet se recusou a obedecer a uma norma do condomínio em que cada morador é obrigado a utilizar o controle do portão da garagem. “A norma do condomínio é que todos tenham seu controle para desobrigar que o porteiro deixe a guarita para abrir o portão da garagem, isso foi votado em assembleia”, explicou Ferretti.Outro lado

A reportagem do Olhar Direto entrou em contato com o professor Herbert Monteiro para esclarecer o caso, mas ele negou as acusações. Segundo Herbert, “não houve racismo” e o que aconteceu foi somente um desentendimento com o funcionário do condomínio. Para o médico, que também é assessor de saúde do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), houve apenas “injúria” na ocasião.

O médico também afirmou que o sindico foi “irresponsável” ao chamar a polícia. Durante a entrevista, Herbert fez questão de lembrar que é médico do TJMT e que pertence a uma família tradicional cuiabana. O doutor também ameaçou “processar” o Olhar Direto caso a matéria fosse ao ar.

Racismo em Mato Grosso

Levantamento feito pelo Olhar Direto junto a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp-MT) revela que casos de racismo em Mato Grosso aumentaram 71% nos três últimos anos. Em 2014, o número de registros de boletins de ocorrências por injúria racial era de 234 casos no estado. Em 2016, foram 402 casos denunciados.

+ sobre o tema

Acosta Martínez, você e eu, em suspeição de cor

A Corte Interamericana de Direitos Humanos (CorteIDH) publicou, em...

Dança dos Famosos: Faustão faz comentário racista e revolta web

O apresentador se referia à performance de Dandara Mariana...

Entidade pede investigação de ação da PM em reunião de rappers no ABC

Polícia usou bombas de gás para dispersar 'batalha de...

MPF e pesquisadora apontam as dimensões do racismo à brasileira

Vídeo com a íntegra do seminário, que trouxe experiência...

para lembrar

Carta aberta aos negros e negras que lutam pelo fim da escravidão do pensamento

Não nos contaram nos bancos escolares, nem nas cadeiras...

Diário de Uma Mulher Negra no Mercado de Trabalho

Por Viviana Santiago Do Racismo Ambiental História 1: Meu primeiro emprego...

Há um lugar para a liberdade?

A escravidão foi reconhecida como crime contra a humanidade...
spot_imgspot_img

À espera da extinção da escravidão

Dia 13 de maio de 2024 completam-se 136 anos da assinatura da Lei 3.353/1888 pela então princesa imperial regente. Para além do abandono dos negros...

Uma supernova

No dia em que minha irmã nasceu, a Nasa fotografou uma supernova no universo. Quando minha irmã nasceu, foi uma das maiores alegrias da minha...

Número de crianças e adolescentes mortos pela polícia cresce 58% sob governo Tarcísio, apontam dados da SSP

O número de crianças e adolescentes mortos pela polícia aumentou 58% entre 2022 e 2023 — primeiro ano do governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) —,...
-+=