Nas favelas, até a pandemia de coronavírus é invisível

Às 18 horas do dia 14 de maio, o Painel Rio COVID-19 confirmava 1.509 óbitos provocados pelo novo coronavírus na cidade do Rio de Janeiro. Desde o início da pandemia, há preocupação com sua escalada em potencial nas favelas e periferias. A previsão de que a mortalidade poderá ser maior nesses territórios é fundamentada em fatores da desigualdade socioeconômica: a intensa circulação de moradores que não podem parar de trabalhar; a proximidade e o tamanho dos domicílios, becos e travessas contribuindo para o contato entre as pessoas; a dificuldade de acesso aos recursos para prevenção ou tratamento da doença, entre outros.

É consenso que as famílias em situação de maior vulnerabilidade necessitam de medidas específicas e priorizar as favelas é um caminho efetivo para enfrentar o avanço da pandemia. No conjunto de favelas da Maré, a organização não governamental Redes da Maré iniciou em março, com apoio de parceiros locais e externos, uma série de ações para minimizar a crise do coronavírus. Uma das frentes de atuação, chamada De Olho no Corona!, acolhe demandas dos moradores com confirmação ou suspeita de contaminação, orientando o acesso aos serviços de saúde e à rede assistencial pública ou privada.

Os dados levantados nesta ação apontam um número bem maior de casos e de óbitos em comparação à contagem oficial. Até agora, 35 óbitos estão associados, pelos familiares, à covid-19 na Maré, a maioria já confirmada por testagem. Porém, oficialmente, foram contabilizados oito óbitos. É sabido que a subnotificação vem acontecendo em muitas localidades, dada a escassez de testes e de outras formas de diagnóstico, mas outro fator chama nossa atenção: casos confirmados e óbitos de moradores estão sendo notificados em bairros vizinhos.

Continue lendo aqui

+ sobre o tema

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

15 museus recebem programação especial sobre Direitos Humanos

Espaços recebem debates, oficinas, palestras e apresentações sobre o...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

Senador republicano adere a Obama

Folha de São Paulo quarta-feira, 29 de abril de...

para lembrar

Moçambicanos na África do Sul: “O coronavírus vai matar-nos à fome”

A África do Sul entra esta quinta-feira em confinamento...

Rocinha recebe testes gratuitos de detecção para a COVID-19

"O governo só vai testar quem está realmente muito...

População de rua no Brasil cresceu quase 10 vezes na última década, aponta Ipea

A população em situação de rua no Brasil aumentou 935,31% nos últimos dez anos, segundo levantamento do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) com base em...

Saúde mental dos idosos ainda sofre os impactos da pandemia

Após anos de enfrentamento da pandemia da Covid-19, torna-se evidente que os idosos estão entre os grupos mais afetados em termos de saúde mental. A melhoria das...

Nova ferramenta fortalece a valorização das ONGs no Brasil

Já faz muito tempo que as entidades sem fins lucrativos vêm ganhando relevância entre os protagonistas que conduzem o destino do nosso país. Entretanto, foi a...
-+=