PSDB e PT comemoram empate; Marina se compara com pororoca

Após Datafolha, Serra aposta em debates; presidente petista diz que Dilma está “em viés de alta”

Para senadora do PV, que se diz feliz com a última pesquisa, sua campanha é “encontro de águas da boa política”

Enquanto o candidato tucano à Presidência, José Serra, afirmou ver nos debates oportunidade para tomar fôlego nas pesquisas, os presidentes de PT e PSDB comemoraram ontem o resultado da pesquisa Datafolha e trocaram farpas e ironias sobre seus adversários.

O levantamento, divulgado ontem, aponta empate técnico entre o tucano José Serra (37%) e a petista Dilma Rousseff (36%) na corrida presidencial. Marina Silva (PV) está em terceiro (10%). A margem de erro é de dois pontos, para mais ou menos.

Sobre o empate, Serra afirmou que sua campanha ganhará fôlego quando a temporada de debates começar. A partir de agosto, os candidatos se confrontarão em pelo menos cinco ocasiões.
Quanto a Dilma, o tucano detectou “uma certa aversão a debate”. Em seguida, suavizou o ataque: “Ela tem uma certa resistência a debate”.

O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, que recebeu com alívio o resultado da pesquisa, ironizou a campanha da opositora afirmando que “o PT anunciou dez pontos de vantagem e terminou a semana com um ponto atrás”.

Já José Eduardo Dutra, presidente do PT, disse que o resultado atende às expectativas petistas de iniciar a propaganda eleitoral gratuita em TV e rádio, em 17 de agosto, com empate entre Dilma e Serra e prova que a “estratégia da oposição de atacar Dilma e o PT naufragou”.

Dutra usou um repertório de termos econômicos para definir o momento. “Usando um vocabulário de Banco Central, o melhor é que Dilma está com um viés de alta e Serra, com viés de baixa.”
O petista comemorou em especial a pesquisa espontânea -quando o entrevistado diz em quem pretende votar sem ver a lista de candidatos. Dilma aparece com 21%, contra 16% de Serra.

Marina se disse “muito feliz” com os 10% e comparou sua candidatura com a pororoca, fenômeno de choque de águas capaz de modificar leito dos rios.
“Você acha que a pororoca não se forma assim rapidamente quando as águas se juntam? Isso aqui [a candidatura do PV] é um encontro de águas, muitas águas das nascentes da boa política desse país”, afirmou Marina.

Fonte: Folha de São Paulo

+ sobre o tema

Defensoria Pública de SP recorre ao STF contra flexibilização nas câmeras corporais na PM

A Defensoria Pública do estado de São Paulo entrou...

Imposto de renda: como apoiar projetos sociais na sua declaração

Pouca gente sabe, mas parte do seu imposto de renda devido...

Brasil investe pouco em prevenção de desastres

Separada por duas ruas da margem do rio dos...

Ações para a cidadania

Testemunhamos casos de guerras, violências, feminicídios e racismo diariamente....

para lembrar

Salário mínimo de R$ 724 entra em vigor a partir de 1º de janeiro de 2014

A presidenta Dilma Rousseff confirmou hoje (23) o...

Pacto em torno do Império da Lei

Uma policial militar assiste, absolutamente passiva, a um homem...

Desigualdade impede SP de ser sustentável

Oded Grajew, coordenador da Rede Nossa São Paulo, afirma...

“Se Deus fosse um ativista dos direitos humanos”, por Boaventura de Sousa Santos

Sociólogo português Boaventura de Sousa Santos veio ao Brasil...

Entidades de segurança pública e direitos humanos dizem que novo edital precariza programa de câmeras da PM em SP

Entidades da sociedade civil ligadas à segurança pública manifestaram preocupação com o novo edital para contratação de 12 mil câmeras corporais para a Polícia...

Convenção da extrema direita espanhola é alerta para o Brasil

"Manter o ideal racial de um continente branco de famílias cristãs e heterossexuais" foi marca de destaque da convenção do Vox - Viva 24,...

Aprovado no Senado, PL dos planos de adaptação esboça reação a boiadas do Congresso

O plenário do Senado Federal aprovou nesta terça-feira (15/05) o Projeto de Lei 4.129/2021, que cria diretrizes para a elaboração de planos de adaptação à...
-+=