{reprograma} abre inscrições para cursos gratuitos de programação para mulheres negras, trans e travestis

Interessadas podem se inscrever até o dia 03 de fevereiro; vagas são limitadas e destinadas a mulheres em situação de vulnerabilidade social

A {reprograma}, iniciativa de impacto social que foca em ensinar programação para mulheres em situação de vulnerabilidade, priorizando negras, trans e travestis, está com as inscrições abertas para dois novos cursos: Front-End e Back-End. Ambas as oportunidades são gratuitas, online e destinadas às mulheres de todo o Brasil, acima de 18 anos, com pouco ou nenhum conhecimento em programação e ensino médio completo, sendo este último requisito não obrigatório para mulheres trans e travestis. As interessadas podem se inscrever até o dia 03 de fevereiro, por meio do link.

O Curso Front-End tem como objetivo qualificar profissionais mulheres que desejam realizar a transição de carreira para o mercado de tecnologia, como desenvolvedoras juniores, oferecendo formação básica em programação, com foco em Front-End React. Para este curso, a {reprograma} conta com o apoio do Edital Prepara Futuro, do Santander, iniciativa que busca apoiar projetos sociais que atuam com a agenda de inclusão produtiva – ou seja, a inserção de pessoas no mundo  do trabalho, especialmente aquelas em situação de vulnerabilidade social. 

Já o Curso Back-End tem como objetivo qualificar profissionais mulheres com a formação básica em Back-End com foco em node.js e conta com o apoio da B3 Social, uma associação sem fins lucrativos responsável pelas frentes de Investimento Social Privado (ISP) e Voluntariado da BR, que tem como propósito contribuir, por meio da educação, com a redução das desigualdades sociais no Brasil. 

As inscrições podem ser feitas por todas as pessoas que se identificam com o gênero feminino, portanto, mulheres cisgênero, trans ou travestis, que possuam total disponibilidade para frequentar as aulas. As candidatas serão avaliadas ao longo do processo seletivo pelos seguintes critérios de avaliação: motivação, qualidade da inscrição, coerência das informações, empatia, inclusão, pensamento crítico, compartilhamento, além de familiaridade com o tema de diversidade e potencial de impacto do curso na vida da candidata. 

São oferecidas até 40 vagas por curso e as selecionadas serão anunciadas no dia 08 de março de 2023. Os cursos terão início em 25 de março, com duração de 18 semanas, sendo as aulas de conteúdo aos sábados, das 09h às 17h. Em detalhe, as aulas de revisão ocorrerão às segundas-feiras e nas terças-feiras, à noite, acontecerão as orientações educativas (espaço para desenvolver soft skills, como questões socioemocionais, desenvolvimento pessoal, socioemocionais, de carreira, estudos e planejamento). Por fim, as aulas de encerramentos semanais acontecerão às quintas-feira, à noite. Além disso, os cursos terão atividades complementares e plantão de dúvidas que não são obrigatórios, mas estarão disponíveis para ajudar no desenvolvimento das alunas. 

“Posso adiantar algumas novidades importantes do nosso programa de formação: o encontro mensal com as líderes técnicas que ocorrerá nas quartas-feiras, das 20h às 22h, e o nosso programa de aprendizagem continuada, trilha de 12 semanas, com foco em consolidar o conhecimento técnico adquirido no curso intensivo de front-end e back-end juntamente com conteúdos socioemocionais importantes para profissionais de tecnologia”, explica Nadja Brandão, Diretora Executiva da {reprograma}. 

Sobre a {reprograma}
Fundada em 2016, pela peruana Mariel Reyes Milk e as sócias Carla de Bona e Fernanda Faria, a iniciativa de impacto social foca em ensinar programação para mulheres em situação de vulnerabilidade social, priorizando mulheres negras, trans e travestis, e tem o objetivo diminuir a lacuna de gênero na área de T.I. Em 2021, a {reprograma} participou do Desafio de Impacto do Google para Mulheres e Meninas, e foi uma das 34 ONGs selecionadas pelo Google para receber um apoio financeiro de US$ 1 milhão. Atualmente, possui parceria com grandes empresas, como Accenture, Creditas, Meta, iFood e Nubank. 

+ sobre o tema

Prouni 2022: último dia para se inscrever no processo seletivo do 2º semestre

Termina nesta sexta-feira (5) o período de inscrição para...

Atividades do Novembro Negro na UnB começam nesta segunda-feira (7/11)

A Universidade de Brasília (UnB) divulgou o calendário das atividades do Novembro...

Inscrições para o Sisu do primeiro semestre terminam na sexta-feira

As inscrições para o primeiro processo seletivo de 2023...

Unicamp 2024: prazo para pedir isenção em taxa do vestibular termina nesta segunda

A Unicamp encerra nesta segunda-feira (5) o prazo para pedido de...

para lembrar

“Não aceitamos ganhar menos”, diz coletiva negra em carta aberta

“Nosso posicionamento é objetivo: as mulheres negras não aceitam...

Cinco artistas negras e indígenas pensam o amanhã em residência artística

Para pensar em um amanhã possível nas artes a Refazenda...

O sistema de saúde cuida das mulheres negras?

Mulher negra, Elis, 38, passou anos até conseguir um...
spot_imgspot_img

Mulheres pretas e pardas são as mais afetadas pela dengue no Brasil

Mulheres pretas e pardas são o grupo populacional com maior registro de casos prováveis de dengue em 2024 no Brasil. Os dados são do painel de...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente entre as mães de vítimas da violência policial do Rio de Janeiro. Deise Silva de...

E assim vamos nós, lutando pela existência de nossas gerações

Vamos que vamos! Frase muito usada por quem sonha em passar o cajado para descansar. Com olhar cansado e triste, cabelos brancos, mãos trêmulas com...
-+=