Guest Post »

Te amo, mas sou uma mulher livre

Podemos acertar as coisas dessa forma? Eu acho que sim, meu bem. Não, não quero um relacionamento aberto ou nada do tipo. Podemos ter o clichê eu e você planejando a vida juntos. Isso me faz bem, e acredito que para você também faça, né? Mas você precisa saber que tenho algumas vontades que são só minhas.

Por Giovana Salles Do Lado-M

Às vezes, eu só peço o domingo. O domingo me deixa ficar quieta em mim, de pijamas o dia todo e sem me preocupar em que horas tenho que sair para chegar em tal lugar. Em alguns momentos é tudo que eu quero.

Às vezes, as vontades são maiores. Eu quero a quinta-feira. Quero ela para ler algum livro que venho procrastinando, ou para pintar as unhas do pé de vermelho escarlate.

Algumas coisas só a quinta-feira pode me dar, meu bem. É bem provável também que em alguns momentos eu deseje um pedaço da terça-feira. Para correr. Sempre gostei de correr, mesmo antes de você. Não sei muito bem para onde corro, é verdade, mas quem sabe de tudo, não é mesmo? E se eu pedir a segunda-feira, não me ache estranha por favor. É o começo de uma longa semana e eu provavelmente deveria meditar.

Você entende né? Você também tem seus dias, suas tardes, suas manhãs e madrugadas. Você também tem aquilo que quer fazer com seus amigos, e eu quero que você faça. Amigos são uma dádiva, você entende isso? Eles são um presente que eu não vou devolver. Não vou deixar de vê-los, meu bem. Eu entendo que o ciúme existe, e é porque ele existe que temos que resistir. Podemos combinar que quando eu digo que aquele é meu amigo, você acredita? Eu prometo confiar também.

Leia Também 

Frequência afetiva, qual é a sua?

Eu confio em você quando você diz que as coisas vão ficar bem. Confio quando planejamos uma viagem de fim de semana. Confio quando tiro minha roupa na sua frente, e deixo que você veja aquilo que acreditei que seriam imperfeições. Hoje eu encaro com orgulho aquelas estrias e celulites. Marcas de que vivi. Marcas de que muitas vezes troquei o frango e a salada pela lasanha. Não me culpo. Não me importo na maioria dos dias. Isto faz diferença para você, meu bem? Eu acho que não. Então você não me culparia não é mesmo? E naqueles dias em que estou fechada em mim, insegura até de olhar nos seus olhos, eu não serei a louca não é mesmo? Eu serei alguém que precisa de alguma ajuda. Precisa de um mimo. Eu prometo te mimar também.

Meu bem, nada do que terei você não terá. Eu não sou louca por ter dias tristes, e nem você é. Estarei lá para apoiar. A gente pode se apoiar juntos. Eu sei que muitas vezes vou ter que ter o domingo, mas o sábado é nosso. Nossos planos, nossas conversas quando amanhece e eu ainda estou enrolada no teu lençol. Hoje, eu quero a vida do teu lado. Mas tem que ser bom, você entende? Tem que ter amor, ter respeito, ter confiança, ter vontade fazer junto, ter tudo isso todos os dias. Não quero que ninguém que se sinta com a pressão de fazer algo pelo bem do relacionamento. A gente é o relacionamento, e o bem dele é nosso bem juntos.

Meu bem, quero deixar isso acordado dessa forma, você entende? Não quero brigar por bobagens, e nem preciso de teatros para chamar a atenção. Quando eu disser não, você entende que é não? Já estive com quem não entendeu. Já estive com quem cobrou e pediu e usou e machucou e disse que era por amor. Se esse é seu tipo de amor, corre para bem longe, por favor. Já passei da fase de achar que o fim de um relacionamento é o fim da minha felicidade. Essa paixão arrebatadora que faz a gente mover montanhas e fazer o que nunca faria pelo bem do outro: eu não quero nada disso. Não quero que você tenha noites sem dormir porque brigamos. Não quero eu caminhe na sua rua com o coração saindo pela boca, porque se você não me atender eu morrerei ali mesmo. Não quero achar que só você teria a divina paciência de aguentar uma louca como eu. Não quero nada disso, tá bem?

Eu quero um amor leve, desses que deixa o cheiro fresco no ar quando a gente passa. Quero sorrir e encostar a cabeça no seu ombro, te amando pelo homem que você é, e pelas coisas que você nunca faria por ninguém no mundo. Quero que tirem uma foto nossa olhando olho no olho e vejam que a gente não pede nada em troca. Quero ver essa foto e ver que estamos ali na paisagem, sentindo o cheiro das ruas e o calor do sol nos nossos rostos.

Não temos uma bolha que nos separa de nada. Nosso amor não divide, nosso amor se espalha. Se espalha quando caminhamos de mãos dadas. Se espalha quando estamos separados e eu ainda te amo. Se espalha quando vamos comprar alguma carne de segunda linha para o almoço. Se espalha quando nos vemos, e o coração não dispara, mas conforta. Porque eu encontrei você, e nesse momento eu nunca me senti mais livre do que sempre fui. Porque eu encontrei você depois de ter me encontrado, e nós nunca seremos um só. Porque somos dois diferentes. E é isso que eu desejo.

Podemos acordar as coisas dessa forma?

Related posts