Roda de Conversa: Políticas Afirmativas para a Cultura

Enviado por / FonteEnviado ao Portal Geledés

Projeto InterPRETAtivas vai debater políticas afirmativas no setor cultural

O projeto “InterPRETAtivas: políticas afirmativas para cultura”, contemplado pelo Edital MT Nascentes da SECEL-MT (Lei Aldir Blanc), abordará a importância das políticas afirmativas para promover a equidade de acesso aos bens culturais, tanto para trabalhadores do segmento, como também para o público-alvo. A iniciativa pretende contemplar as pessoas e profissionais que compõem a cadeia cultural: de técnicos e formuladores das políticas públicas, aos gestores, produtores, artistas, agentes culturais de base comunitária.

O encontro presencial acontece no dia 13 de outubro, quarta-feira, às 19h no Centro Cultural Casa das Pretas, com endereço na Rua Pedro Celestino nº 25 – em frente à praça da mandioca no centro histórico de Cuiabá-MT. Na ocasião o tema em debate na Roda de Conversa será “Políticas Afirmativas para Cultura”, esperando contar com a presença da comunidade e do poder público através de representantes do estado e município. Todas as atividades do projeto são gratuitas, com vagas limitadas. As inscrições podem ser realizadas pelo link: https://www.sympla.com.br/politicas-afirmativas-para-cultura__1373760

A pandemia do coronavírus tem maior impacto nos negócios liderados por profissionais negras e negres, segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE/FGV (2020). Mesmo assim, diante da crise existem diversas estratégias para fortalecer o empreendedorismo de profissionais negras/es, uma delas é o fomento por meio do acesso às políticas públicas. 

“É papel do poder público diminuir as desigualdades estruturais que estão calcadas no racismo, fator que até hoje dificulta a ascensão profissional de negras/es em diversos setores, inclusive, o da cultura.”, afirma Jackeline Silva, afroprodutora e proponente do projeto.

Jackeline Silva (Foto: Arquivo Pessoal)

O acesso, a democratização e a descentralização são fundamentais para garantir o direito humano à cultura, especialmente, por 54% da população mato-grossense formada majoritariamente por pessoas negras, que ainda estão sub-representadas no setor cultural. “Por isso, é necessário ampliar essa participação de afrodescendentes como indutores da economia da cultura, gerando impacto social e econômico para as suas comunidades.”, argumenta Jackeline Silva.

As demais atividades do projeto “Interpretativas” de caráter formativo, vão acontecer de forma on-line, com apoio de profissionais experientes e especialistas. As inscrições podem ser feitas através do sympla e estarão disponíveis em breve. Os próximos temas são:

1. Políticas Afirmativas no setor Cultural (presencial 13/10 vagas limitadas) 

2. Elaboração e Gestão de Projetos (on-line) 

3. Elaboração de portfólio na área cultural (on-line) 

4. Produzindo festivais de cultura negra (on-line) 

5. Pautas Negras importam? Comunicação e divulgação de projetos da cultura afro (on-line) 

REALIZAÇÃO: Iaiá Produções e Projetos; Lei Aldir Blanc MT; Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SECEL-MT). 

PARCERIA: Instituto de Mulheres Negras de Mato Grosso – IMUNE MT e Centro Cultural Casa das Pretas.

Serviço

Roda De Conversa: Políticas Afirmativas Para A Cultura

Dia 13 de outubro, às 19h 

Centro Cultural Casa das Pretas (Rua Pedro Celestino nº 25, Centro, Cuiabá-MT)

Inscrições gratuitas, com vagas limitadas pelo link: https://www.sympla.com.br/politicas-afirmativas-para-cultura__1373760 

** ESTE ARTIGO É DE AUTORIA DE COLABORADORES OU ARTICULISTAS DO PORTAL GELEDÉS E NÃO REPRESENTA IDEIAS OU OPINIÕES DO VEÍCULO. PORTAL GELEDÉS OFERECE ESPAÇO PARA VOZES DIVERSAS DA ESFERA PÚBLICA, GARANTINDO ASSIM A PLURALIDADE DO DEBATE NA SOCIEDADE.

+ sobre o tema

Em 1917 negros já marchavam na 5ª Avenida declarando que ‘vidas negras importam’

O único som era dos tambores abafados, dos passos...

Ubuntu: o marketing invade a África

A visão de que o mundo construiu para o...

Salvador: Espetáculo faz homenagem à cantora mineira Clara Nunes

Considerada uma das maiores intérpretes do país, a cantora...

Nós, os crueis

Todos nós, brasileiros, somos carne da carne daqueles negros...

para lembrar

Leci Brandão – Na Palma da Mão em curta temporada no Imperator

Com direção de Luiz Antonio Pilar e texto de...

Funji, kizaka kizomba e kuduro no Rio de Janeiro

  O Rio de Janeiro é considerado um...

Ketty Valêncio cria livraria focada em autores afro-brasileiros

A livraria Africanidades, fundada pela empreendedora Ketty Valêncio, possui...

Luiza Bairros Vive!

Dia 12 de julho, completa 1 ano que Luiza...
spot_imgspot_img

O atleta negro brasileiro que enfrentou o nazismo nas Olimpíadas de 1936

A poucos dias da abertura dos Jogos Olímpicos de Paris, em uma Europa cada vez mais temerosa com a agenda política de forças alinhadas...

Festival literário propõe amor e diversidade como antídotos ao extremismo

O Festival Literário Internacional de Paracatu - Fliparacatu - vai colocar no centro do debate o amor, a literatura e a diversidade como pilares...

Oito em cada dez quilombolas vivem com saneamento básico precário

De cada dez quilombolas no país, praticamente oito vivem em lares com saneamento básico precário ou ausente. São 1,048 milhão de pessoas que moram...
-+=