Sul-africana Nkosazana Dlamini-Zuma eleita presidente da CUA

A ministra sul-africana do Interior, Nkosazana Dlamini-Zuma, foi domingo eleita presidente da Comissão da União Africana, sucedendo ao gabonês Jean Ping na liderança do órgão-chave da instituição continental, anunciaram fontes da organização.

“Ela obteve 37 (votos), mais três do que o exigido para a maioria”, disse uma fonte da União Africana (UA), citada pela AFP, numa informação entretanto confirmada pelo governo sul-africano.

A mesma fonte, que falou na condição do anonimato, acrescentou que a ministra sul-africana, ex-ministra dos Negócios estrangeiros e ex-esposa do chefe de Estado Jacob Zuma, venceu à quarta volta da votação, em que participaram os chefes de Estado reunidos na cimeira da UA em Adis Abeba.
Após a votação, elementos da delegação da África do Sul sorriam e congratulavam-se mutuamente pelo resultado.

“É bom para a África subsahariana. Nós (naquela região do continente) nunca tivemos este cargo”, disse por seu lado um delegado do Zimbabwe, citado pela AFP.

Dlamini-Zuma, que contava à partida com o apoio dos países-membros da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), conseguiu somar 37 pontos, o suficiente para derrotar o seu adversário e presidente da comissão desde 01 de Fevereiro de 2008, o gabonês Jean Ping.
A eleição do presidente da comissão, que havia sido adiada em Janeiro deste ano depois de nenhum dos dois candidatos ter conseguido os dois terços necessários na primeira votação, ameaçava tornar-se um factor de divisão e uma ameaça à credibilidade da União Africana se não fosse decidida na cimeira que decorre em Addis Abeba.
A diplomacia sul-africana e o seu presidente, Jacob Zuma, intensificaram esforços, nas últimas semanas, junto das nações e governos africanos no sentido de garantir os votos necessários para a eleição de Dlamini-Zuma.

Nkosazana Dlamini-Zuma é a primeira mulher a ocupar a presidência da Comissão da UA.

Jakkie Cilliers, do Instituto de Estudos de Segurança sedeado na África do Sul, disse à AFP que os votos em Dlamini-Zuma foram aumentando de uma ronda para a outra.

“Ela ficou à frente na primeira ronda e, depois disso, foi sempre aumentando”, disse Cilliers, acrescentando que “os chefes de Estado queriam uma decisão”.

Antes da eleição, Dlamini-Zuma desvalorizou preocupações de alguns analistas, que temiam uma polarização na organização por considerarem que a África do Sul violara a regra não escrita de deixar o cargo para os países mais pequenos.

“Não acredito que o continente fique polarizado”, disse, acrescentando que o vencedor “garantirá que a comissão trabalha com todos os países, votem em quem votarem”.

 

 

Fonte: Mulher Negra

+ sobre o tema

Ressignificando a militância

Ressignificação é o método utilizado em neurolingüística para fazer com que...

Rihanna escala modelo de 67 anos para campanha de sua grife “FENTY”

Além de ter se tornado uma verdadeira magnata da...

Quem é Regé-Jean Page, a estrela da série “Bridgerton”?

Se você for como nós, sua obsessão de férias...

Um livro infantil para crianças cacheadas e crespas!

Um dia me falaram que existia cabelo ruim. Mas...

para lembrar

Kofi Annan e Didier Drogba lançam guia alternativo para a Copa

Koffi Annan (à esq.), prêmio Nobel de 2001, juntou-se...

“Isso tudo foi o primeiro lugar para mim”, diz Tom Black na final do Ídolos

Na batalha musical há 15 anos, Tom Black superou...

Pixinguinha ganha disco com inéditas para celebrar os 50 anos de sua morte

No dia 17 de fevereiro de 1973, Pixinguinha morreu durante uma...

Movimento social para igualdade de gênero lançado no Senegal

Dakar – Um movimento social baseado em estudos...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...
-+=