Suplicy envia ofício a Alckmin e Haddad pedindo diálogo com manifestantes

Durante a sessão plenária desta quinta-feira (13), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) comunicou que enviou ofício ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), ao prefeito da capital, Fernando Haddad (PT), e ao secretário de Segurança do estado, Fernando Grella Vieira, pedindo “diálogo e respeito” para a resolução do impasse com manifestantes contrários ao aumento da tarifa de ônibus.

O senador disse ter pedido “uma ponderação adequada por parte do secretário de Segurança e demais autoridades, para que haja o necessário diálogo e respeito a todos”.

Suplicy informou que incluiu no ofício a íntegra de seu discurso no Plenário do Senado, na quarta-feira (12), em que sugeriu que os manifestantes adotem a prática da não violência nos protestos.

Na ocasião, o senador afirmou que os manifestantes deveriam seguir o exemplo e as lições de líderes como o indiano Mahatma Gandhi e o americano Marting Luther King Jr.

“Gandhi e Luther King defenderam maior justiça na sociedade, mas sempre se caracterizaram pela não violência”, disse Suplicy na quarta-feira.

No mesmo discurso, Suplicy opinou que a forma como os integrantes do movimento vêm agindo “acaba causando somente reações muito severas de condenação pela maioria da população”.

– Essa não é a maneira de se transformar o país. As lições de Mahatma Gandhi e Martin Luther King são as lições positivas para os grandes movimentos sociais que buscam justiça e liberdade – frisou o senador.

O Movimento Passe Livre (MPL) é tido como um dos organizadores dos protestos contra o reajuste de R$ 3 para R$ 3,20 na tarifa dos ônibus, que entrou em vigor na semana passada.

“O MPL não é o dono das mobilizações contra o aumento. Esta é uma luta ampla e popular com uma reivindicação única, clara e simples: a redução da tarifa de ônibus de R$ 3,20 para R$ 3. É isto que exigem as pessoas que saem para protestar nas ruas”, diz um comunicado divulgado pelo grupo.

No protesto da terça-feira (11) ocorreram confrontos com a polícia, resultando em manifestantes e policiais machucados, destruição de equipamentos públicos e privados e prisão de participantes do protesto.

 

Classe média experimenta o terror que a PM paulista toca na periferia – por Luiz Carlos Azenha

 

Fonte: Agência Senado

+ sobre o tema

Que escriba sou eu?

Tenho uma amiga que afirma que a gente só prova...

Em carta a Dilma, MPL lembra de índios e pede diálogo com movimentos sociais

Convidado para reunião com a presidenta, Passe Livre pediu...

Vox/Band/iG: Dilma cai de 56% para 54%

Candidata petista varia para baixo pela primeira vez dentro...

Movimento negro cobra auxílio emergencial de R$ 600 e vacina para todos pelo SUS

Nesta quinta feira (18), a Coalizão Negra por Direitos,...

para lembrar

LITERATURA: 5º FAN 2009

OMO-OBA: HISTÓRIAS DE PRINCESAS Kiusam Oliveira OS NOVES...

Carta à hebraica

Ter recebido palestrantes de esquerda não é desculpa para...

Combate à desigualdade exige mudanças estruturais

Oxalá em 2012 haja maior participação popular nas mobilizações...

Produção de Madonna cancela encontro com AfroReggae, diz coordenador

Fonte: Folha OnLine-O coordenador da ONG AfroReggae, José Júnior,...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=