quinta-feira, setembro 24, 2020

    Tag: Ruanda

    Em julho de 1994, entre 600.000 e um milhão de refugiados ruandeses chegaram às regiões de Goma e Bukavu, na região de Kivu, no leste do então Zaire (atual República Democrática do Congo). Em Goma, os refugiados se dividem principalmente em três acampamentos: Kibumba, Katale e Mugumga. Com calor, falta de água e alimentos e o surgimento simultâneo de uma epidemia de cólera e disenteria, dezenas de milhares de refugiados encontraram a morte. SEBASTIÃO SALGADO (CONTACTO)/El País

    Macron cria comitê de historiadores para estudar arquivos sobre genocídio em Ruanda

    Em 1994, regime extremista hutu matou ao menos 800.000 pessoas da minoria tutsi no país africano Por  France Presse, Do Destak Jornal  Em julho de 1994, entre 600.000 e um milhão de refugiados ruandeses chegaram às regiões de Goma e Bukavu, na região de Kivu, no leste do então Zaire (atual República Democrática do Congo). Em Goma, os refugiados se dividem principalmente em três acampamentos: Kibumba, Katale e Mugumga. Com calor, falta de água e alimentos e o surgimento simultâneo de uma epidemia de cólera e disenteria, dezenas de milhares de refugiados encontraram a morte. SEBASTIÃO SALGADO (CONTACTO)/El País   O presidente francês, Emmanuel Macron, anunciou, nesta sexta-feira, a criação de um comitê de historiadores que terá acesso a "todos os arquivos franceses" sobre o período 1990-1994 para esclarecer o papel desempenhado por Paris durante o genocídio em Ruanda. "Esta comissão, de oito investigadores e historiadores, ...

    Leia mais
    Imagem- The New Times

    Depois da Etiópia, Ruanda também anuncia gabinete com 50% de mulheres

    Ruanda se tornou o segundo país da África, depois da Etiópia, a aprovar um governo com metade dos ministérios composto por mulheres, um fato histórico na nação que já tinha o Parlamento com maioria feminina. no UOL Imagem- The New Times "Como mulheres ruandesas nos sentimos muito felizes em ter uma liderança política que nos permita atingir a igualdade de gênero", declarou nesta sexta-feira a ministra de Agricultura e Pecuária, Gerardine Mukeshimana, à Agência Efe. Ela é uma das 13 mulheres que integrarão o gabinete do presidente Paul Kagame, depois de ele anunciar no fim da noite de ontem uma reestruturação que reduzia o número de ministérios de 31 para 26 e garantia a paridade. Ruanda também conta com maioria feminina no Parlamento - em parte por causa da Constituição de 2003, que reserva para elas 30% dos assentos. Na atual gestão elas representam 60% das ...

    Leia mais
    blank

    24 anos após genocídio em Ruanda, racismo e discurso de ódio aumentam

    800 mil pessoas foram assassinadas no país africano; Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio de 1994 contra os Tutsi em Ruanda é marcado neste 7 de abril; secretário-geral António Guterres está muito preocupado também com o aumento da xenofobia ao redor do mundo. Este sábado, 7 de abril, é o Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio de 1994 contra os Tutsi em Ruanda, com a ONU lembrando que os Hutus também foram mortos. Cerca de 800 mil pessoas foram assassinadas no massacre, que começou no dia 7 de abril e durou aproximadamente 100 dias. Tragédia monumental O secretário-geral da ONU explica ser uma data para “lembrar todas as pessoas assassinadas e refletir sobre o sofrimento dos sobreviventes, que mostraram que a reconciliação é possível mesmo depois de uma tragédia monumental”. Na mensagem sobre o dia internacional, António Guterres afirma que “Ruanda aprendeu com a tragédia” e a comunidade ...

    Leia mais
    blank

    Ruanda tem congresso com maior igualdade de gênero no mundo

    Relatório do Fórum Econômico Mundial aponta país africano como um dos mais igualitários entre homens e mulheres na política. No entanto, problemas de liberdade de imprensa, liberdade democrática, saúde e qualidade de vida ainda são entraves. Por  Solon Neto, do  Alma Preta Ruanda é um dos países com maior igualdade de gênero no mundo na política, segundo relatório lançado pelo Fórum Econômico Mundial (FEM). Posicionado atrás apenas de Finlândia, Suécia, Islândia e Noruega, Ruanda pode ser considerado o quinto país com mais equidade entre homens e mulheres no planeta. Em número de mulheres eleitas para o Parlamento, Ruanda destaca-se como o primeiro colocado entre 144 países pesquisados. O relatório é de 2016, e foi organizado para apontar informações necessárias para o enfrentamento da desigualdade de gênero no mundo. Ruanda vive um boom econômico em uma escalada que vem desde 1994. O ano ficou marcado pelo genocídio que vitimou cerca de 800 mil ...

    Leia mais
    HADLEIGH, UNITED KINGDOM - AUGUST 12: Adrien Niyonshuti of Rwanda in action during the Men's Mountain Bike race on Day 16 of the 2012 Olympic Games at Hadleigh Farm on August 12, 2012 in Hadleigh, Essex. (Photo by Bryn Lennon/Getty Images)

    Leonardo DiCaprio vai produzir filme sobre equipe de ciclismo de Ruanda

    Ruanda é um pequeno país na região central da África que na década de 1990 passou por uma sangrenta guerra civil, na qual morreram cerca de 800 mil pessoas. Até hoje o país se recupera das feridas deste conflito. Agora, Leonardo DiCaprio vai abordar uma faceta inesperada da superação da guerra civil, contando a história de uma equipe de ciclismo profissional do país. no Brasil Post por Pedro Sibahi Em 2007, o atleta norte americano Jacques Boyer se mudou para Ruanda e passou a treinar ciclistas locais que sofreram durante a guerra. Boyer foi o primeiro ciclista dos Estados Unidos a participar da principal competição do esporte, o Tour de France, em 1981. O norte americano ajudou a criar o Team Africa Rising, que inclui Ruanda, Eritreia e Etiópia, e ainda ajuda moradores locais por meio de uma ONG que doa bicicletas e mantimentos. Foi graças ao trabalho de Boyer que o ...

    Leia mais
    blank

    Afromanifesto

    ÁFRICA's Ruanda lembrará genocídio com alerta à comunidade internacional por Elder Pacheco via Guest Post para o Portal Geledés Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram massacrados O presidente de Ruanda, Paul Kagame, deve liderar uma cerimônia nesta terça-feira em Nyanza, ao sul da capital, Kigali, para lembrar os 15 anos do genocídio que matou cerca de 800 mil pessoas no país. O local tem grande valor simbólico. Na colina de Nyanza milhares de pessoas foram massacradas no dia 11 de abril de 1994, depois que um contingente belga das Nações Unidas (ONU) que as protegia bateu em retirada. A Bélgica resolveu retirar suas tropas depois que soldados da força da ONU foram mortos por tropas ruandesas. A correspondente da BBC na capital ruandesa, Karen Allen, disse que a ocasião será uma lembrança do fracasso da comunidade internacional de agir para impedir a matança e uma advertência para que líderes mundiais não ignorem o genocídio. À noite, será realizada ...

    Leia mais
    blank

    Collin Sekajugo, Kigali, um artista de Ruanda

    Collin Sekajugo Temos a tendência de ficar constrangido com nossas herança e origens culturais, mas eu acho que quando a cultura dita muito no nosso dia-a-dia, nós eventualmente perdermos nossos valores morais como sujeito do mundo em que vivemos hoje. O que a cultura significa para você ou para mim? E quem tem a melhor cultura? Aprendi a acreditar que etnocentrismo tem sido sempre o pior problema de toda a humanidade, desde a gênese do homem. Este desmantelou sociedades e construiu novas culturas. Alguns de nós perdemos o nosso património cultural e assimilou novas culturas e outros nascem em uma mistura de culturas, portanto, perdem a identidade cultural. Quem é o culpado ? É o mundo moderno, a mudança Neo-global. Mesmo que eu sou nascido de homens e mulheres cujo sangue está enraizada aos alcances do Nilo superior ou Áreas de Etiópia antigo e as florestas de Camarões misturados, o meu trabalho ...

    Leia mais
    Mendigo que foi criado em lixões conquista vaga na melhor universidade do mundo

    Mendigo que foi criado em lixões conquista vaga na melhor universidade do mundo

    Justus passou 13 anos estudando e aprendeu inglês, francês, suaíli e lingala Durante boa parte da sua infância, Justus UwayesuUwayesu, viveu como mendigo nas ruas de Ruanda, pequeno país da África Central, e morou dentro de um carro incendiado em um depósito de lixo."Não havia chuveiro, e eu não tomava banho", contou. Ele já chegou a ficar um ano sem tomar banho. Justus nasceu na zona rural do leste de Ruanda e quando tinha 3 anos perdeu seus pais, vítimas de um combate motivado por questões políticas, onde mais de 800.00 pessoas morreram em apenas 100 dias. A Cruz Vermelha conseguiu resgatar um irmão e duas irmãs. Um casal começou a cuidar das crianças, mas a quantidade de órfãos na região foi crescendo e a família abandonou os quatro."Foi um momento muito escuro, porque eu não podia ver um futuro. Eu não podia ver como a vida poderia ser melhor ...

    Leia mais
    Genocídio-de-Ruanda

    Hoje na História, 15 de maio de 1994, acontecia o Genocídio em Ruanda

    por: Lucyanne Mano O genocídio em Ruanda deixou 800 mil mortos em apenas 100 dias. Soldados e milicianos da temida Coalizão para a Defesa da República, além de civis da etnia hutu, mataram a população da etnia tutsi e hutus moderados. A matança indiscriminada começou horas depois que o avião do presidente ruandês hutu Juvénal Habyarimana foi derrubado. Habyarimana retornava de Arusha (Tanzânia) onde realizava negociações de paz com a rebelião da Frente Patriótica Ruandesa (FPR). Os extremistas hutu usaram o acidente como pretexto para chegar ao poder e promover o massacre. O empresário suíço Claude Sonier conseguiu fugir com a mulher, de origem tutsi e os três filhos do casal. Sonier contou que viu homens, mulheres e crianças serem queimadas vivas em valas cobertas por pneus em chamas. A sogra de Sonier foi uma das vítimas da violência. Os tutsi foram mortos nas ruas, dentro de suas casas, e até ...

    Leia mais
    O Filme Hotel Ruanda

    O Filme Hotel Ruanda

    O Filme Hotel Ruanda. A diversidade étnica no continente africano é um dos fatores responsáveis pelo desencadeamento de vários conflitos armados, no entanto, muitas dessas guerras no continente são consequências dos processos de colonização e descolonização dos países africanos, pois os colonizadores não respeitaram as diferenças culturais entre as diversas etnias, separando grupos que viviam em harmonia e, muitas vezes, colocando em mesmo território grupos rivais. Essa atitude contribuiu bastante para intensificar os problemas na África, após terem explorado a riqueza do continente, os europeus deixaram o território com graves problemas econômicos, sociais e uma série de conflitos separatistas e étnicos. Capa do filme: Filme Hotel Ruanda Um dos maiores exemplos de lutas entre diferentes grupos étnicos foi entre hutus e tutsis em Ruanda. Até a Primeira Guerra Mundial essa região pertencia à África Oriental Alemã. Em 1919, após a derrota dos alemães na guerra, os belgas ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist