‘Tentativa de desgastar imagem de Lula é lamentável’, diz Dilma

Por: Daniela Fernandes

 

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira que “repudia tentativas de tentar destituir” o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva “do respeito que o povo brasileiro tem por ele” e que considera “lamentável a tentativa de desgastar a imagem” de Lula.

A declaração da presidente foi dada durante encontro com seu colega francês, François Hollande, em Paris, nesta terça-feira – mesmo dia em que uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo cita um depoimento de Marcos Valério, em que o condenado como operador do mensalão afirma que Lula “deu ok” a empréstimos do Banco Rural e do BTG que ajudaram a financiar o esquema.

O depoimento de Valério foi dado em setembro à Procuradoria Geral da República, e o Estado diz ter tido acesso ao documento (assinado pelo advogado de Valério, Marcelo Leonardo, pela subprocuradora da República Cláudia Sampaio e pela procuradora da República Raquel Branquinho).

No documento, segundo o jornal, Valério disse também que o esquema do mensalão ajudou a bancar “despesas pessoais” de Lula.

‘Respeito e amizade’
Na França, quando questionada a respeito do depoimento, Dilma disse que é conhecida sua “admiração, respeito e amizade” por Lula. “Portanto, repudio todas as tentativas – essa não seria a primeira vez – de tentar destitui-lo da imensa carga de respeito que o provo brasileiro lhe tem”.

“Respeito porque o presidente Lula foi o presidente que desenvolveu o país e que é responsável pela distribuição de renda mais expressiva dos últimos anos, pelo que ele fez internacionalmente, pela sua extrema amizade pela África, pelo seu olhar e pelo estabelecimento de relações iguais com países desenvolvidos. Considero lamentável essa tentativa de desgastar imagem do presidente”, acrescentou Dilma.

Hollande, que participou da entrevista coletiva com Dilma após o encontro entre os dois no Palácio de Eliseu, também elogiou o ex-presidente brasileiro.

“Lula é visto como uma referência, tem uma imagem considerável na França, a de uma homem que defendeu constantemente princípios de justiça e de solidariedade, assegurando, ao mesmo tempo, o desenvolvimento social do Brasil”, declarou o presidente francês.

Lula, que também está em viagem à França e dividiu com Dilma e Hollande o palco de um seminário sobre crescimento, disse, por meio de sua assessoria, que “não há nenhum comentário a fazer” sobre as alegações de Valério.

O ex-presidente evitou contato direto com a imprensa durante o evento e, questionado por um jornalista, teria apenas dito que as acusações eram “mentira”.

Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, também foi citado na reportagem de O Estado de S. Paulo. Em trecho do depoimento à Procuradoria Geral da República publicado pelo jornal, Marcos Valério diz que Okamotto o teria ameaçado de morte.

Também na França, Okamotto negou que tenha feito ameaças a Marcos Valério ou dito que alguém do PT queria matá-lo. Ele afirmou que nunca intimidou o publicitário.

“Não tenho nenhum motivo para ameaçá-lo de morte”, disse a jornalistas no seminário em Paris.

 

 

Fonte: BBC 

+ sobre o tema

Presidente da Câmara anula impeachment de Dilma

A decisão será publicada na edição do Diário da Câmara...

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

Governo suspende novas vagas do Pronatec, ProUni e Fies

Brasília - Uma das vitrines da área social da...

para lembrar

Como a corrida mundial pelo processamento de dados pode ‘colonizar’ o Brasil e outros países?

A crescente diferença entre os países na capacidade de...

São Paulo de Kassab: Cidade em crise

Índices de desaprovação de Kassab evidenciam o esgotamento de...

Até quando a sabotagem conservadora poderá resistir?

por Saul Leblon A Folha quer ser...

Clamor por candidatura negra não se restringe a ‘troca de cor’, explica Sílvio Humberto

Vereador em seu segundo mandato, Sílvio Humberto (PSB) tentou...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=