Um guia para entender o Holocausto e por que ele é lembrado em 27 de janeiro

Enviado por / FonteDa BBC

O Holocausto foi um período da história na época da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), quando milhões de judeus foram assassinados por serem quem eram.

Os assassinatos foram organizados pelo partido nazista alemão, liderado por Adolf Hitler.

Os judeus foram o principal alvo dos nazistas.

Quase sete em cada 10 judeus na Europa na época foram assassinados por causa de sua identidade.

Os nazistas também mataram outros grupos, incluindo os povos roma (ciganos) e pessoas com deficiência. Também prenderam e retiraram os direitos de outros grupos, como gays e opositores políticos.

O Holocausto foi um exemplo de genocídio.

Genocídio consiste em matar deliberadamente um grande grupo de pessoas, geralmente porque pertencem a uma determinada nacionalidade, raça ou religião.

Quem foram os nazistas?

Nazista é o nome abreviado do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP, por sua sigla em inglês).

O Partido Nazista foi um partido político na Alemanha fundado em 1919, após a Primeira Guerra Mundial.

A popularidade do partido cresceu ao longo da década de 1920, enquanto o país enfrentava os desdobramentos da Primeira Guerra Mundial. A Alemanha havia perdido a guerra e fora forçada a pagar enormes quantias em dinheiro aos países vencedores.

Grande parte da população alemã estava vivendo na pobreza e desempregada – e esses são alguns dos motivos pelos quais parte da população depositou nos nazistas a expectativa por mudanças.

Família pobre vivendo em condições precárias em Berlim nos anos 1920; pobreza de desalento são apontados como alguns dos motivos por trás da ascensão do nazismo (Foto: GETTY IMAGES)

Nazistas eram racistas e acreditavam que o que chamavam de raça ariana era superior às demais. Na concepção nazista, um ariano era alguém germânico, enquanto judeus, os ‘ciganos’, os negros e outros grupos étnicos eram inferiores.

Os nazistas eram impiedosamente antissemitas e isso afetou todas as suas políticas e ações.

Eles também acreditavam que a Alemanha era um país melhor que os outros e que a superioridade do seu povo implicava em dominar outros. Isso levou a Alemanha a invadir e dominar outros países antes e durante a Segunda Guerra Mundial.

Quem foi Adolf Hitler?

Em 1921, Adolf Hitler tornou-se líder do partido.

Então, em janeiro de 1933, os nazistas foram chamados a formar um governo depois de terem sido escolhidos em eleição como o maior partido do país.

A partir do momento em que o seu partido chegou ao poder, Adolf Hitler decidiu impor os valores nazistas em todos os aspectos da vida alemã, assumindo o controle por meio do medo e do terror.

Quando o presidente alemão Hindenburg morreu, em 1934, Hitler declarou-se o Führer ou “líder supremo da Alemanha”. (Hoje em dia, a palavra Führer tem uma conotação negativa, a de um líder implacável que impõe um governo brutal sobre as pessoas.)

Adolf Hitler decidiu impor os valores nazistas em todos os aspectos da vida alemã (Foto: GETTY IMAGES)

Os três pilares mais importantes para Hitler e os nazistas eram o que acreditavam ser:

  • A pureza da raça ariana
  • A grandeza da Alemanha
  • Idolatria ao Führer, Adolf Hitler

O partido usou de muita propaganda para persuadir as pessoas a apoiá-lo. Eles realizavam grandes comícios, com alto-falantes em locais públicos entoando mensagens nazistas.

O que foi o Holocausto?

O Holocausto foi um processo que começou com a discriminação contra o povo judeu e terminou com milhões de pessoas sendo mortas por simplesmente serem quem eram. Foi um processo que se tornou cada vez mais brutal ao longo do tempo.

Perseguição nazista

Desde o momento em que chegaram ao poder, em 1933, os nazistas perseguiram pessoas que não consideravam ser membros dignos da sociedade – principalmente os judeus.

Eles introduziram leis que os discriminavam e retiravam seus direitos. O povo judeu não era permitido em certos lugares e era proibido de conseguir determinados empregos.

Os nazistas também começaram a montar campos de concentração para onde prender e impor trabalho forçado a pessoas que acreditavam ser “inimigos do Estado”. Isto incluía o povo judeu e qualquer pessoa que não os apoiasse.

O primeiro campo, chamado Dachau, foi inaugurado em março de 1933, na região de Munique.

Entre 1933 e 1945, foram criados mais de 40 mil campos em áreas que sob controle nazista.

Alguns eram campos de trabalho, outros eram de trânsito para processar prisioneiros, e ainda havia os campos de extermínio, onde os nazistas matavam pessoas em grande escala, o primeiro deles inaugurado em 1941.

Muitas pessoas foram assassinadas por guardas dos campos sem motivo e muitas outras morreram por consequência das terríveis condições em que viviam.

Esta imagem mostra a parte externa do campo de concentração de Dachau (Foto: GETTY IMAGES)

Os nazistas também decidiram assumir o controle da vida de todos.

Em 1934, foi imposta uma lei que pode ser traduzida livremente como Lei da Fofoca Maliciosa, a qual tornava crime contar piadas críticas ao nazismo.

O jazz foi banido. Livros didáticos foram reescritos para conter ideias nazistas, e fotos de Hitler foram colocadas em todos os lugares. Também foram destruídos livros que desagradassem os nazistas.

Em 1935, 1,6 mil jornais foram fechados e os que sobraram só podiam imprimir textos aprovados pelo partido.

Foram criados grupos obrigatórios para jovens chamados Juventude Hitlerista (para meninos) e Liga das Moças Alemãs (para meninas), para que se tornassem jovens nazistas que idolatrassem Hitler. Os meninos aprendiam os valores nazistas e eram preparados para a guerra, enquanto as meninas aprendiam habilidades como culinária e costura.

Nesta imagem, Hitler é reverenciado por um grupo de jovens apoiadores do nazismo (Foto: GETTY IMAGES)

Noite dos Cristais e o assassinato de milhões

Uma data marcante foi 9 de novembro de 1938, quando houve uma noite de terrível violência contra o povo judeu.

Ficou conhecida como Kristallnacht – a “Noite dos Cristais” – por conta dos vidros quebrados que cobriram as ruas, das lojas que foram invadidas.

Noventa e um judeus foram assassinados, 30 mil foram presos e enviados para campos de concentração e 267 sinagogas foram destruídas.

No dia 1º de setembro de 1939, a Alemanha invadiu a Polônia, o que marcou o início da Segunda Guerra Mundial.

O povo judeu na Polônia foi forçado a viver em áreas selecionadas – os chamados guetos -, sujeitos a maus-tratos e assassinatos.

As condições nos guetos eram péssimas, e muitos morreram em consequência de doenças e fome.

Durante a “Noite dos Cristais”, sinagogas foram destruídas (foto à esquerda) e vitrines de lojas foram quebradas (como visto à direita) (Foto: GETTY IMAGES)

No início da década de 1940, os nazistas procuravam uma forma de matar um grande número de pessoas num curto espaço de tempo, a fim de se livrarem da população judaica da Europa.

Disso surgiu a ideia de criar campos de extermínio nos quais pudessem cometer assassinatos em grande escala. Isso é o que seria chamado de “a solução final”.

No final de 1941, foi criado o primeiro campo de extermínio, chamado Chelmno, na Polônia.

Houve seis campos de extermínio, no total, em áreas da Polônia controladas pelos nazistas: Auschwitz-Birkenau (o maior), Belzec, Chelmno, Majdanek, Sobibor e Treblinka.

Um famoso portão do campo de Auschwitz diz ‘Arbeit macht frei’, que significa ‘o trabalho liberta’ em alemão (Foto: GETTY IMAGES)

Também foram criados campos fora da Polônia (em Belarus, Sérvia, Ucrânia e Croácia) pelos nazistas e seus aliados, onde morreram muitas centenas de milhares de pessoas.

Entre 1941 e 1945, pessoas foram assassinadas numa escala que o mundo nunca tinha visto antes.

Milhões foram presos e levados em comboios para os campos, onde seriam forçados a trabalhar ou mortos.

Quem foi morto ou perseguido no Holocausto?

Sabe-se que as vítimas incluíam:

  • Povo judeu
  • Povo Roma e Sinti (“Ciganos”)
  • Povos eslavos, especialmente na antiga União Soviética, Polônia e antiga Iugoslávia
  • Pessoas com deficiência
  • Gays
  • Pessoas negras
  • Testemunhas de Jeová
  • Opositores políticos

Como terminou o Holocausto?

À medida que soldados dos países Aliados (Reino Unido, Estados Unidos, União Soviética e os seus aliados), que lutavam contra a Alemanha na Segunda Guerra Mundial, avançavam sobre áreas da Europa controladas pelos nazistas, os campos começaram a vir a público.

Quando passou a ficar claro que os nazistas seriam derrotados, estes tentaram destruir os campos, para esconder as provas de seus crimes.

Os nazistas tentaram esconder as evidências do que tinham feito nos campos de concentração (Foto: GETTY IMAGES)

Eles forçaram os prisioneiros sobreviventes na Polônia a voltar aos campos localizados dentro da Alemanha. Muitos prisioneiros perderam a vida nessas caminhadas exaustivas, as Marchas da Morte.

No entanto, os nazistas não conseguiram esconder o que tinham feito e não demorou muito até que o mundo soubesse da extensão do Holocausto.

Majdanek foi o primeiro campo a ser libertado, no verão de 1944.

Prisioneiros do campo de concentração de Dachau comemorando a libertação por soldados americanos; muitos soldados descreveram as cenas horríveis que testemunharam ao entrar nesses locais (Foto: GETTY IMAGES)

Os soldados que foram libertar os campos descreveram um cenário desolador encontrado nesses locais.

Muitos dos que foram libertados dos campos morreram mesmo depois de conseguir a liberdade, em decorrência de doenças ligadas a seu período nos campo.

A vida seria extremamente difícil mesmo após o fim da guerra.

Muitos sobreviventes encontraram estranhos morando em suas casas ou ficaram desabrigados.

Muitos países resistiam em acolher um número tão grande de refugiados.

Os nazistas foram punidos pelo Holocausto?

No dia 11 de dezembro de 1946, a Assembleia Geral das Nações Unidas decidiu que o genocídio seria considerado crime, segundo o direito internacional.

Adolf Hitler suicidou-se antes do fim da guerra, por isso não foi possível levá-lo à Justiça.

Nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial, figuras nazistas foram processadas por seus crimes.

Recentemente, em julho de 2015, um tribunal alemão condenou Oskar Groening, de 94 anos, que era guarda em Auschwitz, pelos seus crimes.

Não foi possível levar Adolf Hitler à Justiça pelos seus crimes porque ele se suicidou antes do final da Segunda Guerra Mundial (Foto: GETTY IMAGES)

Mas não foi possível levar todos à Justiça.

Muitos nazistas se esconderam depois da guerra e nunca foram encontrados, ou morreram antes que seus crimes pudessem ser plenamente esclarecidos.

Como nos lembramos do Holocausto?

Agora, a enormidade do Holocausto é reconhecida em todo o mundo e serve como exemplo dos horrores do genocídio e de como certos comportamentos podem levar à sua ocorrência.

Mas, infelizmente, o Holocausto não é o único genocídio que aconteceu na história. No Camboja, em Ruanda, na Bósnia e na região sudanesa de Darfur, milhões de pessoas foram mortas por serem quem são.

O 27 de janeiro é o Dia da Memória do Holocausto, que não serve apenas para lembrar as milhões de vítimas do Holocausto em si, mas também aqueles que foram mortos em outros genocídios em todo o mundo.

A data se refere ao dia em que, em 1945, o maior campo de concentração nazista, Auschwitz-Birkenau, foi libertado por soldados do Exército Soviético.

A comemoração visa ressaltar a tolerância com crenças e diferenças e impedir o discurso de ódio, além de buscar que a história não se repita.

Memorial aos Judeus Assassinados da Europa, em Berlim, convida à reflexão sobre o Holocausto (Foto: VIEW PICTURES)

+ sobre o tema

Bete, a manicure que se ufana de ser uma preta racista

 "SORORIDADE" ENTRE NEGROS E DE GÊNERO SÃO FALÁCIAS Por: Fátima Oliveira "Não...

Pobre Palmares!

  por Arísia Barros União,a terra de Zumbi, faz parcas e...

Lei 13.019: um novo capítulo na história da democracia brasileira

Nota pública da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais...

Juízes federais publicam carta aberta em defesa da criação do juiz das garantias

Cinquenta juízes e desembargadores federais assinaram uma carta aberta...

para lembrar

O grito doentio da intelectualidade corrompida

O filósofo da USP Paulo Eduardo Arantes, atualmente aposentado,...

Um nazismo fashionista

O aspecto teórico que distingue o nazismo de todas...

Detalhamento dos óbitos

Por: Edson Lopes Cardoso O que fizeram os jovens negros...

Justiça americana investigará polícia de Ferguson após distúrbios

Washington, 4 set (EFE).- O departamento de Justiça dos...

Operação liderada por SC identifica extremistas com referências ao neonazismo em investigados por discurso de ódio na internet

A Polícia Civil de Santa Catarina concluiu na segunda segunda-feira (23) a fase de análise preliminar dos materiais apreendidos na Operação Trend, deflagrada em nove...

‘Fui um menino negro criado por avós supremacistas brancos que me ensinaram a saudação nazista’

Shane McCrae é um consagrado poeta norte-americano. Ele foi premiado diversas vezes, publicou uma dezena de livros e é professor de redação criativa da...

UEPG afirma que vai afastar alunos envolvidos em nova denúncia de troca de mensagens de cunho racista e de apologia ao nazismo

A Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), nos Campos Gerais do Paraná, anunciou nesta segunda-feira (27) que vai afastar cautelarmente pelo menos 10 calouros de jornalismo...
-+=