Universidade de Lisboa recebe 50 denúncias contra professores em 11 dias

Faculdade de Direito criou canal contra assédio e discriminação; brasileiros relatam xenofobia

Em 11 dias de funcionamento, um canal em que estudantes podem relatar casos de assédio e de má conduta na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa recebeu mais de 50 queixas, referentes a 31 professores: a cifra equivale a quase 10% dos docentes e assistentes da instituição portuguesa.

Entre as denúncias, que podem aparecer em mais de uma categoria, há 29 de assédio moral, 22 de assédio sexual, 8 de práticas sexistas, 5 de xenofobia e racismo (incluindo vítimas brasileiras) e 1 de homofobia. Mais da metade se refere a sete professores —e um deles concentra nove queixas.

O conteúdo do relatório que compila os dados foi revelado pelo jornal Diário de Notícias. O documento afirma que há “problemas sérios e reiterados de assédio sexual e moral perpetrados por docentes”.

A maioria dos episódios aconteceu nas dependências da instituição, mas também houve relatos de assédio online. Diversos estudantes afirmam ter sido abordadas com mensagens impróprias por um professor nas redes sociais. Os relatos tiveram grande repercussão em Portugal, já que a faculdade formou nomes de peso na vida política local. O primeiro-ministro António Costa estudou na instituição, na qual foi aluno do atual presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Em nota, a ministra da Ciência e do Ensino Superior, Elvira Fortunato, classificou os relatos de preocupantes e reforçou a disposição em averiguar as denúncias. A Universidade de Lisboa é uma instituição pública. “Instituições de ensino superior são espaços de liberdade e de promoção dos valores de igualdade e respeito, sem qualquer tipo de discriminação em razão de gênero, orientação sexual, nacionalidade ou outra, e não devem ser coniventes com situações que violem esses princípios”, disse.

Associações de estudantes, incluindo o Movimento Contra o Assédio Sexual no Meio Acadêmico, convocaram uma manifestação para esta quinta-feira (7), em frente à reitoria.

+ sobre o tema

De biquíni e maiô, gordinhas famosas fazem manifesto contra o preconceito

Cacau Protásio, Simone Gutierrez, Mariana Xavier e Fabiana Karla...

Uma cidade dos EUA processa o Santander por discriminação

O município de Providence acusa a entidade de dar...

OAB-CE pede identificação de autores de frases ofensivas contra Miss Brasil

Melissa Gurgel foi alvo de racismo ao receber título...

para lembrar

spot_imgspot_img

Com a mão erguida e o punho cerrado eu grito: fogo nos eurocêntricos cientistas-cientificistas

A verdade é que esse mundo é uma Ameaça. Uma Ameaça a certas gentes. Uma Ameaça a certas não-gentes. Uma Ameaça a redes, a...

Aluna ganha prêmio ao investigar racismo na história dos dicionários

Os dicionários nem sempre são ferramentas imparciais e isentas, como imaginado. A estudante do 3º ano do ensino médio Franciele de Souza Meira, de...

Colégio afasta professor de história investigado por apologia ao nazismo, racismo e xenofobia

Um professor de história da rede estadual do Paraná foi afastado das funções nesta quinta-feira (18) durante uma investigação que apura apologia ao nazismo, racismo...
-+=