Vereadora denuncia inscrição racista em faculdade de Petrópolis

A vereadora da Câmara do Rio Teresa Bergher (PSDB), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa, está em Petrópolis na tarde desta sexta-feira para denunciar um caso de inscrições racistas e com alusão ao nazismo que foram escritas na porta de um banheiro da Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Ela se reuniu com a reitoria da instituição para saber se estão sendo tomadas providências em relação ao caso e encaminhou representação à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância para que apure os fatos.

– Fiquei sabendo deste caso ontem (quinta-feira) quando estive na Alerj para acompanhar colegas deputados na votação de um projeto de lei que prevê a introdução do ensino do Holocausto Nazista nas aulas da rede estadual, projeto semelhante ao que consegui aprovação no município. Assim que soube, pedi para irem ao local e checarem se realmente era verdade. Diante da confirmação, que obtive com fotos, fiquei indignada. Quero saber que providências a universidade tomou e por que as inscrições não foram apagadas já que parecem ter sido escritas há um certo tempo – afirmou Teresa.

Segundo a vereadora, as inscrições foram escritas num banheiro masculino do campus da Rua Benjamin Constant, onde funcionam 15 cursos. Entre eles, estão administração; ciência da computação; ciências contábeis; direito; marketing e economia. Os dizeres trazem além de frases ofensivas a judeus, também palavras depreciativas referentes a negros e homossexuais. Foram desenhadas suásticas ao lado de “white power” (poder branco).

A UCP informou em nota que “constatou em inspeção em uma das portas de um banheiro a existência dos desenhos e frases mostradas nas fotos feitas pela assessoria da vereadora”. A instituição alegou que “desconhecia a existência de tais inscrições e repudia tal atitude, considerando-a condenável e contrária aos valores que promove e pratica”.

A universidade também afirmou que “o banheiro masculino em questão é muito usado para eventos externos, fato que deixa a instituição vulnerável, e esclarece ainda que as providências cabíveis já estão sendo tomadas”. Em reunião com a vereadora Teresa Bergher, realizada no gabinete da reitoria, o reitor José Luis Rangel Sampaio Fernandes comprometeu-se a retirar as inscrições, assim como promover um seminário sobre o assunto, organizado pelo curso de História do Centro de Teologia e Humanidades da UCP. O reitor lamentou o ocorrido, “principalmente por se tratar de uma instituição que tem como princípio o respeito pela pessoa humana e que passa aos alunos valores éticos e morais”.

Fundada em maio de 1953, a universidade foi a primeira instituição de ensino superior instalada na cidade de Petrópolis. Atualmente, em diversas áreas, são oferecidos 36 cursos de graduação, sendo oito tecnólogos, além de cursos de pós-graduação e mestrado.

Este não é o primeiro caso envolvendo inscrições nazistas em universidades do estado. Em maio de 2005, a Polícia Federal abriu uma investigação após serem feitas pichações no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (IFCS) da UFRJ, na porta da sala do professor judeu Bernardo Sorj.

Fonte: Thereza Bergher

+ sobre o tema

Repórter da Globo sofre racismo e ameaças de morte após reportagem

Integrante da equipe do programa “Profissão Repórter”, Guilherme Belarmino...

“Racismo estrutural contribui para naturalização do trabalho infantil”

Desde 2016, por conta de uma pesquisa de campo...

Jovem brasileira se suicida na Itália após suposto racismo

SÃO PAULO, 26 JAN (ANSA) – Uma adolescente de...

para lembrar

Crianças descartáveis?

Em tempos de pandemia, existem questões que se tornam...

Wallerstein: assim 1968 começou

Uma semana antes de Paris, revolta global eclodiu em Columbia....

Para você, antirracista

Aos meus amigos… Um texto há tempos guardado, encorajado pelos...
spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=