Vice-prefeito de Gdansk faz declaração racista em plena Eurocopa

 

O tema do racismo é uma das principais preocupações dos organizadores da Eurocopa, especialmente desde que os jogadores da Holanda denunciaram terem sido chamados de “macacos” durante um treino em Cracóvia, na semana passada.

“Quero agradecer aos habitantes e serviços da cidade por terem se comportado como gente normal, branca e civilizada ante nossos convidados, que também se comportaram como gente branca normal”, disse o político com essa declaração racista.

Bojanowski, de 40 anos, pediu desculpas na edição local do jornal Gazeta Wyborcza. “Peço perdão a todos que possam ter se sentido feridos pela maneira equivocada que empreguei em um programa ao vivo. Simplesmente queria agradecer aos habitantes e convidados, seja qual for a cor de sua pele”, afirmou.

 

Segundo Krzysztof Jarymowicz, chefe da organização polonesa Fundação para a Liberdade, que luta contra o racismo, trata-se de um exemplo de “até que ponto os estereótipos e a xenofobia estão fixados na mentalidade e na linguagem” na Polônia.

“Tenho certeza que o vice-prefeito de Gdansk utilizou essa fórmula inconscientemente”, declarou Jarymowicz ao Gazeta Wyborcza.

 

 

Fonte: Terra

+ sobre o tema

NESTA QUINTA – Lançamento da CAMPANHA DE COTAS RACIAIS – Participe!

Movimentos Negros e Movimentos Sociais que...

Quem é Marco, o estagiário demitido pelo presidente do STJ

Alvo de momento de fúria do presidente do...

Deputados votam relatório de combate ao racismo nesta quarta

A Comissão Externa de Combate ao Racismo da Câmara...

Black is King, ancestralidade e afro futuro

O rei Leão foi lançado pela primeira vez em...

para lembrar

Deputado chama ministro do STF Joaquim Barbosa de ‘moreno escuro’

  Júlio Campos usou expressão ao defender prisão especial para...

Eike Batista cancela R$ 20 milhões que injetava por ano nas UPPs

Parceria com bilionário foi anunciada com pompa, em...

Pra quem caiu a letalidade policial?

Lá fui eu ler a matéria nesta Folha com...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=