Acusado de espancar namorada, lutador é capturado e preso

Uma semana após grande confusão, o lutador Jon Koppenhaver, também conhecido como “War Machine” (máquina de guerra), foi capturado pela polícia e preso. Ele é acusado de ter espancado sua namorada em casa e estava foragido desde o ocorrido.

A polícia encontrou Jon em Simi Valley, hospedado sozinho em um hotel. Ele foi preso imediatamente e não reagiu nem causou outros problemas. No lugar só foram encontrados dinheiro e pizza.

De acordo com a atriz pornô Christy Mack, eles não eram mais namorados, mas Jon resolveu ir até a casa dela na sexta-feira passada, inclusive com uma aliança de presente. Porém, o lutador teria encontrado outro homem na casa e agrediu os dois. Jon nega essa versão. De qualquer forma, Mack ficou gravemente ferida, com o rosto desfigurado e ainda está internada no hospital.

Jon foi levado para a delegacia de Simi Valley, mas ainda será transferido para Las Vegas, em Nevada, onde aconteceu a confusão. A polícia de lá tinha até oferecido uma recompensa para quem encontrasse o lutador.

Fonte: Terra

+ sobre o tema

‘Não dói o útero e sim a alma’, diz menina vítima de estupro coletivo

Trinta e três homens são procurados por participação no...

Prisão é demais para ‘ato que durou só 20 minutos’, diz pai de estuprador nos EUA

Inacreditável. O pai de um ex-aluno da renomada Universidade de...

Médico é condenado a 130 anos de prisão por estupro durante exames

Casos ocorreram entre setembro de 2014 a janeiro de...

para lembrar

Imprensa americana repercute estupro de turista em van no Rio

Segundo jornais, incidente levanta dúvidas sobre segurança na cidade. Meios...

JUSTIÇA DO AMAZONAS MANDA PRENDER PREFEITO DE COARI

Prefeito de Coari, Adail Pinheiro (PRP) é acusado de...

O direito de quem ama

O direito de quem ama Leia Também  Ele nunca me...
spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...

Dois terços das mulheres assassinadas com armas de fogo são negras

São negras 68,3% das mulheres assassinadas com armas de fogo no Brasil, segundo a pesquisa O Papel da Arma de Fogo na Violência Contra...
-+=