Afirme-se entra com representação contra O Globo por veto a anúncio

Por Thiago Rosa
 
A campanha Afirme-se – de defesa das políticas afirmativas- entrou com uma representação judicial contra o jornal O Globo na tarde da última segunda-feira (8). A organização não governamental baiana Omi-Dudú, que defende as ações em benefício dos afro-descendentes, alega que o veículo carioca cometeu prática econômica abusiva ao elevar em mais de 1300% o valor de anúncio da campanha.
 
 
A representação foi protocolada no Ministério Público do Rio Janeiro, a pedido do advogado João Fontoura Filho, que representa a campanha nacional. Na ação, os organizadores da Afirme-se afirmam que o jornal praticou abuso ao vetar um anúncio sobre políticas de ações afirmativas e cotas. 
 
 
Segundo Fernando Conceição, professor universitário e coordenador da campanha, acordo prévio com quatro jornais (O Globo, O Estado de S.Paulo, Folha de S.Paulo e Jornal A Tarde) firmava compra de espaço editorial para veiculação do anúncio. Nos jornais paulistas e no veículo baiano, a campanha foi publicada no dia 3 de março. No total, segundo a ONG, foram gastos mais de R$ 108 mil.
 
 
A campanha é realizada pela agência Propeg, que intermediou o contato com os jornais. Em O Globo, após consulta prévia, Conceição diz que o preço do anúncio foi fixado em R$ 54 mil. Após análise do material, o coordenador alega que o jornal retrocedeu e aumentou o preço para R$ 712 mil, inviabilizando a compra do espaço.
 
 
“Depois do envio do material a ser publicado, para nossa surpresa o jornal mudou de ideia, alegando que o conteúdo é expressão de opinião, sendo conteúdo editorial e não publicitário”, disse Conceição.
 
 
O anúncio faz coro para que as ações afirmativas sejam mantidas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ao enaltecer as melhorias na relação econômica e social entre brancos e negros, a campanha cita estudo do Datafolha, entre 2006 e 2008, de que “60% da população é favorável” às políticas de inclusão no ensino universitário.  A peça acrescenta, porém, que “tudo pode acabar se o Supremo decidir pela inconstitucionalidade das cotas”. 
 
 
Na representação, os autores pedem que, em caso de comprovada irregularidade, o jornal seja punido e obrigado a publicar o anúncio a preço simbólico ou de forma gratuita.
 
 
A reportagem do Portal IMPRENSA tenta contato com o jornal O Globo para comentar o episódio.
 
 
Fonte: Portal Imprensa

 

 

+ sobre o tema

Carolina de Jesus, Maria Tereza

      Por Allan da Rosa, Em 2008 fizemos um programa de...

Gisele Santos Soares é a nova ‘Deusa do Ébano’ do Ilê Aiyê

Gisele é professora e moradora do bairro de Itapuã no...

Cartazes – Moçambique Music Awards

  A vida sem música seria menos barulhenta, menos poluída e menos interessante. Moçambique Music Awards. É...

7 mulheres do rap brasileiro que você precisa conhecer

O rap nacional, no meu ver e ouvir tem...

para lembrar

Memórias da escravidão e da liberdade: Patrimônio e antirracismo

Em 23 de agosto celebrou-se mundialmente o Dia Internacional...

Latinidades debate literatura, produção audiovisual e estética da periferia

Quando a escritora cubana Teresa Cárdenas aprendeu a ler,...

Rei angolano visita quilombo Cafundó (SP) e cumpre profecias

Duas profecias foram cumpridas em solo brasileiro neste sábado...

Milhares de indianos pobres marcham por justiça social

Milhares de indianos entre os mais pobres do...
spot_imgspot_img

6 brasileiros que lutaram pelo fim da escravidão no Brasil

O fim da escravidão no Brasil completa 136 anos em 13 de maio deste ano. Em 1888, a princesa Isabel, filha do imperador do Brasil Pedro 2º,...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

Mostra Competitiva Adélia Sampaio recebe inscrições de filmes de mulheres negras até 16 de junho

A 6ª edição da Mostra Competitiva de Cinema Negro Adélia Sampaio está com inscrições abertas para filmes dirigidos por mulheres negras de todo o...
-+=