Cadáveres eram expostos como “troféus” no DOI-Codi , revela ex-agente da ditadura

Exibições seriam durante gestão do ex-coronel Ustra

 

O ex-servidor do DOI-Codi de São Paulo Marival Chagas Dias do Canto afirmou nesta sexta-feira (10) que cadáveres de militantes mortos em centros clandestinos de tortura eram exibidos como “troféus” a agentes do órgão durante a gestão do ex-coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra.

Canto prestou depoimento à Comissão Nacional da Verdade nesta sexta-feira (10), em Brasília.

— Pelo menos em duas ocasiões eu assisti a isso. Eu não quero me ater a fatos anteriores a minha chegada lá, que foi em 1973. Acredito que era praxe. As pessoas importantes que eram mortas nas mais variadas circunstâncias eram levadas para lá. As pessoas eram expostas à visitação pública no órgão como um troféu.

Ustra, que foi o chefe do DOI-Codi, órgão de repressão política durante o regime militar, de 29 de setembro de 1970 e 23 de janeiro de 1974, também foi convocado, mas conseguiu na Justiça o direito de ficar calado.

Marival foi analista do Destacamento de Operações de Informações do Centro de Operações de Defesa Interna do II Exército em São Paulo (DOI-Codi/SP) de 1973 a 1975. Ele disse que viu dois corpos expostos para visitação interna no órgão, o casal de militantes Antonio Carlos Bicalho Lana e Sônia Maria Moraes Angel Jones. O episódio teria ocorrido no final de 1973.

— Esse casal foi trazido para o DOI depois de morto e exposto à visitação interna. Eu vi o casal morto e vi perfurações a bala bem direcionadas na cabeça, nos ouvidos. Suponho que essas pessoas eram trazidas para órgão por se tratar de pessoas importantes.

O ex-agente afirmou que não torturou pessoas ou assistiu a sessões de tortura, mesmo trabalhando dentro do comando. Ele circulava próximo ao local onde ficava as salas de tortura, segundo disse, mas nunca entrou em nenhuma delas.

 

Fonte: R7 

+ sobre o tema

#BringBackOurGirls – A Nigéria chora

As notícias que chegam da Nigéria são ainda mais...

#QuemMatouNicinha: Quantas ativistas serão mortas na luta por direitos na Amazônia?

A missionária americana Dorothy Stang defendia o uso sustentável...

Defensoria Pública lança cartilha para pessoas em situação de rua

O objetivo da publicação é informar pessoas situação de...

Por que Brasil parou de divulgar ‘lista suja’ de trabalho escravo tida como modelo no mundo?

Apesar de ser reconhecido internacionalmente por seus esforços de...

para lembrar

‘Ex-Pajé’: um retrato poético, triste e urgente sobre a erosão da cultura indígena

Perpera, o ex-pajé, caminha no meio da floresta. Calça...

A não efetivação do direito ao trabalho e à educação no cárcere

No último 26 de julho, o ITTC – representado...

Artigo 1: Todos os seres humanos nascem livres e iguais

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) foi adotada...
spot_imgspot_img

Debate na ONU sobre a nova declaração de direitos da população afrodescendente conta com a presença de Geledés

Geledés - Instituto da Mulher Negra esteve presente na sede das Nações Unidas em Genebra, na Suíça, durante os dias 8 e 9 de...

Google celebra James Baldwin, escritor e ativista dos direitos civis

O Google está prestando uma homenagem a James Baldwin, renomado escritor e ativista dos direitos civis americanos, conhecido por suas obras literárias que abordam temas...

Caixa paga novo Bolsa Família a beneficiários com NIS de final 4

A Caixa Econômica Federal paga nesta terça-feira (23) a parcela de janeiro do novo Bolsa Família aos beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS)...
-+=