Casal de neo-nazistas descobre que é judeu

O polonês Pawel entrou para o movimento neo-nazista quando adolescente, levando sua namorada Ola com ele. O casal se conheceu na escola, com apenas 12 anos e desde então ficaram juntos. Depois de casados, descobriram suas verdadeiras raízes judaicas.

Pouco depois de se casarem, aos 18 anos, Ola foi surpreendida por uma lembrança vaga de sua mãe comentando sobre raízes judaicas na família.

Ola então pesquisou suas origens junto ao Instituto Histórico Judaico, que diz documentar 10 séculos de experiência judaica na Polônia.

Foi aí que ela decidiu procurar a procedência da família de Pawel e descobriu que também ele era judeu.

“Alguma coisa falou dentro de mim… Foi inacreditável – no fim das contas ele também tinha raízes judaicas. Foi um choque. Eu não esperava descobrir que tinha um marido judeu”, disse Ola em um documentário da CNN.

“Eu não sabia como contar a ele. Eu o amava mesmo se ele fosse um punk ou um skinhead, se ele batesse nos outros ou não. Era uma época na Polônia que o movimento era muito intenso”, contou Ola sobre a descoberta.

Ela levou documentos para contas a notícia a seu marido, que correu imediatamente para tirar as dúvidas com seus pais. Só então eles contaram a verdade. Como muitas outras famílias, eles esconderam suas origens religiosas para escapar da perseguição durante a Segunda Guerra Mundial.

“Eu era 100% nacionalista. Naquela época quando éramos skinheads o movimento era apenas de white powers (supremacistas brancos) e eu acreditava que a Polônia era apenas para os poloneses. Acreditava que os judeus eram a pior praga e o maior mal do mundo. Na Polônia nós achávamos que qualquer coisa de mal era culpa dos judeus…”, contou Pawel. Ele não sabia o que falar para os antigos amigos, não sabia se admitia ou se continuava vivendo uma mentira.

Hoje com 33 anos, Pawel e Ola são membros ativos na comunidade judaica de Varsóvia. Ola trabalha na cozinha de uma sinagoga ortodoxa e Pawel está estudando para se tornar um açougueiro kosher, uma forma tradicional de abater animais para o consumo.

 

Fonte: Virgula

+ sobre o tema

Leci Brandão sai em defesa da Vai-Vai: ‘Nenhuma instituição está acima da crítica’

'A crítica social é necessária na medida em que...

Nota de esclarecimento GRCSES VAI-VAI

Em 2024, a escola de samba Vai-Vai levou para...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO),...

para lembrar

Série de fotos histórica escancara o racismo nos EUA da década de 1950

Se o ano de 1956 pode hoje parecer distante...

Presidente de clube é condenado por racismo

-Fonte: Jornal de Uberaba - Presidente de um clube...

Ator global vai à polícia após filha ser alvo de racismo

Do Pragmatismo PoliticoAtor Bruno Gagliasso prestou queixa na Delegacia...

Racismo e opressão no governo italiano

Por Marina Fuser*   Novos escândalos colocam o primeiro-ministro italiano de...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=