Conferência mundial sobre violência sexual recebe propostas de pesquisas

Encontro acontecerá em setembro de 2017 no Rio de Janeiro. Parceria é da Iniciativa de Pesquisa sobre Violência Sexual (SVRI), Promundo, Instituto Fernandes Figueira/Fiocruz, Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS/OMS) e ONU Mulheres, entre outras. Prazo é dia 1o de fevereiro.

Da Onu

Considerado o maior evento mundial dedicado à pesquisa, prevenção e resposta à violência sexual e violência sobre parceiro íntimo, a 5ª Conferência Mundial de SVRI – Sexual Violence Research Iniative – Iniciativa de Pesquisa sobre Violência Sexual –, o SVRI Fórum 2017 recebe, até 1o de fevereiro, propostas de trabalhos para apresentação oral ou pôster.

O SVRI Fórum 2017 é um espaço para pesquisadores, sociedade civil, políticos, financiadores, entre outros, visando a partilha e a aquisição de conhecimentos sobre novas pesquisas relativas à violência sexual e outras formas de violência contra mulheres e crianças. O encontro ocorrerá nos dias 18 e 21 de setembro de 2017, no Rio de Janeiro.

Com o lançamento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – os 17 objetivos que 193 Estados-membros da ONU se comprometeram a alcançar nos próximos 15 anos –, o SVRI Fórum 2017 é um espaço para debater e partilhar estratégias no sentido de alcançar os objetivos que se propõem eliminar todas as formas de violência contra mulheres e meninas.

É incentivado que as propostas de trabalhos abarquem os seguintes assuntos: Violência sexual, Violência por parceiro íntimo, Abuso infantil e negligência, HIV e violência sexual e de gênero; trabalho feminista com homens e meninos; feminicídio; exploração sexual (comercial) de Crianças e Adolescentes (SECA); prevenção e respostas à violência sobre crianças e adolescentes; tráfico sexual; abuso sexual e violência em contextos institucionais; populações marginalizadas, incluindo mulheres com deficiências, questões LGBTI, trabalhadores do sexo, migrantes e refugiados; novas formas de violência de gênero, incluindo o bullying cibernético, perseguição cibernética e vitimização secundária; impactos na saúde mental da violência sobre mulheres e sobre crianças; recurso à tecnologia como prevenção e resposta à violência sexual e íntima, bem como de exploração e abuso sobre crianças.

+ sobre o tema

Brasil integrará conselho executivo da ONU-Mulheres

Brasil, Angola, Cabo Verde e Timor-Leste estão entre os...

Vanessa Pfeil nasceu na Maré, abriu empresa na Europa e vende livros a 4 continentes

A carioca Vanessa Pfeil, 39, nasceu em Nova Holanda,...

para lembrar

Há 40 anos, Beverly Johnson era a primeira negra a aparecer na capa da ‘Vogue’ americana

Hoje, aos 61 anos, nova-iorquina contabiliza trabalhos na televisão...

Homossexualidade e candomblé

A presença de gays na religião afro sempre foi...

15 fotos da 2ª Marcha do Orgulho Crespo de São Paulo

Movimento busca o fortalecimento  da estética afro-brasileira como símbolo de...

Eles não amam as mulheres

Grupos utilizam a internet como plataforma para propagação de...
spot_imgspot_img

‘Abuso sexual em abrigos no RS é o que ocorre dentro de casa’, diz ministra

A ministra das Mulheres, Cida Gonçalves, considera que a violência sexual registrada contra mulheres nos abrigos que recebem desalojados pelas enchentes no Rio Grande...

ONU cobra Brasil por aborto legal após 12 mil meninas serem mães em 2023

Mais de 12,5 mil meninas entre 8 e 14 anos foram mães em 2023 no Brasil, num espelho da dimensão da violência contra meninas...

Após um ano e meio fechado, Museu da Diversidade Sexual anuncia reabertura para semana da Parada do Orgulho LGBT+ de SP

Depois de ser interditado para reformas por cerca de um ano e meio, o Museu da Diversidade Sexual, no Centro de São Paulo, vai reabrir...
-+=