Congolinária – Descobrindo os sabores do congo

Eu sou Pitchou Luambo, refugiado da república democrática do congo. Estou aqui no Brasil há 7 anos, sou formado em Direito. Pela dificuldade de validar o meu diploma desenvolvi inicialmente um o trabalho em prol dos refugiados em São Paulo, nele debatia as dificuldades dos refugiados africanos em se estabilizarem economicamente no Brasil, o antigo GRIST.

por Pitchou Luambo, do Catarse

Mas eu precisava garantir alguma renda para a minha sobrevivência e da minha filha que está comigo no Brasil há 3 anos. Por isso participei de muitos eventos e feiras servindo alguns itens do cotidiano congolês para criar aproximação entre o Congo e o Brasil.

Em 2016, com o apoio de duas amigas veganas, comecei a servir oficialmente pratos e bebidas típicas do meu país em um food park no Itaim Bibi. Nascia então o Congolinária – Descobrindo os Sabores do Congo.

O Congolinária nasceu com o intuito de dar voz há duas causas, o Refúgio e o Veganismo.

Houve uma forte aceitação do público em relação à comida congolesa que tem como base os vegetais em detrimento dos insumos de origem animal.

O Congolinária já foi elogiado em vários sites, blogs e revistas dedicados à gastronomia, bem como outros veículos dedicados a pautas políticas de Direitos Humanos e Direitos Animais não humanos.

A procura e o interesse pelas questões do Congo ultrapassaram os limites da própria gastronomia, as pessoas demonstraram muito apoio e a demanda cresceu bastante.

Infelizmente o Food Park no Itaim Bibi enfrentou dificuldades financeiras irreversíveis e fechou as portas às pressas, causando um forte impacto no Congolinária que se viu da noite para o dia sem ter onde continuar servindo seu cardápio.

Em janeiro de 2017, iniciamos uma parceria temporária com o Vitaminado Sucos e Sandubas na Vila Madalena. A parceria chegou ao fim em março e novamente o Congolinária se vê sem saída para sobreviver.

O meu objetivo é ter um espaço próprio em que eu possa além de oferecer a culinária congolesa, ter liberdade para diversificar o cardápio com pratos mais complexos e dar visibilidade aos meus produtos. Partilhar integralmente outros aspectos da cultura congolesa. Criar um espaço único para falar da história do Congo e receber outros congoleses para partilharem suas histórias também através da música, da arte e de todas as expressões culturais possíveis.

Por enquanto, tenho o sonho que para se realizar preciso de muitos de vocês sonhando comigo o mesmo sonho.

Por isso, convido a todos que acompanham a minha história. Aqueles que acreditam nos bons frutos que podem surgir a partir desse projeto e que queiram contribuir para a concretização desse projeto.

Você que acompanha e curte o Congolinária nas redes sociais, que participa dos eventos e que sonha junto com a gente em partilhar o nosso espaço próprio, é a sua hora de nos apoiar através do sistema de financiamento colaborativo catarse. A plataforma escolhida para viabilizar o processo de captação de recursos para colocar nosso pedaço do Congo de pé!

Devido aos altos custos com equipamentos e locação de imóvel comercial, o Congolinária que já entrou no circuito gastronômico de São Paulo, corre o risco de desaparecer, e o que mais quero é continuar compartilhando Os Sabores do Congo com os meus amigos brasileiros.

Vem sonhar e realizar com a gente esse sonho, juntos botaremos de pé um pedaço do Congo no Brasil!

Conto com vocês ;)

Orçamento

Alguns equipamentos necessarios para a montagem do restaurante e seus respectivos valores são:

Fogão Industrial 6 bocas – R$1800

Geladeira Industrial 4 portas – R$5500

Maquina para fazer gelo – R$3500

Freezer horizontal – R$2500

Forno industrial – R$2500

Cilindro elétrico de fazer pão (para fazer sambusas) – R$ 1500

Batedeira industrial – R$750

Liquidificador Industrial para sucos – R$1200,00

Maquina de misturar massa 25kg – R$ 3500

Processador industrial R$ 7000

Mesas e Cadeiras para o salão (cotar)

Além disso parte do valor será usado nos primeiros meses de aluguel do local escolhido e eventual reforma do mesmo.

O Congolinária conta com você!

Adquira descontos em almoços, jantares, eventos e seja meu parceiro neste projeto.

Venha tornar esse sonho uma realidade! Faça parte desse projeto apoie o Chef Pitchou Luambo e o Congolinária!

untos iremos transformar o que é sonho uma realidade!

Gostaria de retribuir a sua colaboração da melhor maneira possível e, por isso, planejei algumas recompensas

 

Você pode apoiar este projeto clicando aqui 

+ sobre o tema

Moços improvisam nas ruas de Luanda ‘clínicas’ de unhas

Atendem no passeio e por ali montam verdadeiros salões...

“Talvez o próximo Einstein esteja morrendo de fome na Etiópia”

Neil deGrasse Tyson diz que a educação e a...

Hoje É Dia De África

O Dia da África comemora-se anualmente a 25 de...

Tribos de Wakanda e suas inspirações na cultura Africana

O filme solo do rei de Wakanda, T’Challa, chegou aos...

para lembrar

Primeira juíza muçulmana e afro-americana dos EUA encontrada morta no rio Hudson

Sheila Abdus-Salaam tinha 65 anos. Corpo foi retirado da...

Telejornal ‘JR África’ estreia na terça-feira para continente africano

O novo telejornal JR África, da Record África, já tem...

Menina de dez anos morre na Somália após mutilação genital

Morreu devido a uma hemorragia. A Somália tem uma...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Empreendedor negro ganha 32% menos e desigualdade desafia novo governo

"Vamos impulsionar as pequenas e médias empresas, potencialmente as maiores geradoras de emprego e renda, o empreendedorismo, o cooperativismo e a economia criativa", prometeu...
-+=