Cor do Som: Maurício Pazz convida Walmir Gil para série de apresentações online

Projeto, que será transmitido pelo YouTube, reflete sobre a importância de criarmos registros sobre as memórias de artistas negros e negras

Como desdobramento da série audiovisual “Cor do Som – Memórias da Música Negra”, Mauricio Pazz convida Walmir Gil – fundador da aclamada Banda Mantiqueira e um dos mais notáveis trompetistas brasileiros -para uma série de apresentações online nos próximos dias 26, 27 e 28 de novembro, seguidos de 3, 4, e 5 de dezembro. Os encontros serão nas sextas e sábados sempre às 21h e aos domingos às 20h.

Nesse projeto, transmitido pelo YouTube, os universos da canção e da música instrumental se entrelaçam em um potente encontro de gerações, guiadas por diversos sotaques das sonoridades afro-diaspóricas.

Foto: Mariana Ser

Para o repertório, dividido em três eixos intitulados “Memória”, “Movimento” e “Leveza”, faixas como “Para Bonga e Bogum”, “Sarau para Alforria” e “Aiai meu bem” estão entre os destaques. 

“Nas minhas pesquisas acadêmicas me deparei, várias vezes, com a escassez de registros disponíveis e acessíveis sobre a carreira de musicistas instrumentistas pretes. Quando esses artistas superam a barreira do anonimato, aparecem na condição de “gênios” cujo talento é quase sempre atribuído ao “instinto” que os guia arbitrariamente e não ao aprimoramento da técnica e de suas capacidades criativas de produção e execução. Inquietante, né? Foi aí que “Cor do Som” surgiu, como série documental. O objetivo é justamente valorizar e publicizar a trajetória da produção artística e intelectual de músicos negros que, por efeito do racismo, têm suas histórias apagadas, bem como sua produção pouco (re)conhecida. Depois do documentário, amplio essa reflexão com um espetáculo lindo, leve e de extrema importância”. 

Foto: Mariana Ser

Somando na banda base, Allan Abbadia (trombone), Cauê Silva (percussões), Fábio Leandro (pianos acústico e elétrico), Rudson Daniel (percussões) e Vanessa Ferreira (contrabaixos acústico e elétrico). Já no bandolim, cavaco, guitarra, violão, violão tenor e voz, o próprio Maurício Pazz. 

Essa é uma realização do Programa de Ação Cultural Lei Aldir Blanc – PROAC LAB, edital 39/2020, da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. 

SERVIÇO

COR DO SOM: Maurício Pazz convida Walmir Gil

26, 27 e 28 de novembro

3, 4, e 5 de dezembro 

Horários: Sextas e sábados sempre às 21h e aos domingos às 20h

Transmissão via YouTube (https://www.youtube.com/c/MauricioPazz)


FICHA TÉCNICA

Banda:

Allan Abbadia: trombone

Cauê Silva: percussões

Fábio Leandro: pianos acústico e elétrico

Maurício Pazz: bandolim, cavaco, guitarra, violão, violão tenor & voz

Rudson Daniel: percussões

Vanessa Ferreira: contrabaixos acústico e elétrico

Participação especial: Walmir Gil (trompete)

Produção Executiva: Núcleo Coletivo das Artes Produções

Produção Geral: Rita Teles

Direção Artística: Maurício Pazz

Direção Musical: Fábio Leandro & Maurício Pazz

Arranjo geral: Fábio Leandro

Arranjos de percussão: Cauê Silva, Rudson Daniel & Maurício Pazz

SOBRE MAURÍCIO PAZZ
 
Cantor | Compositor | Multi-instrumentista | Pesquisador
 
Hábil compositor e multi-instrumentista de cordas — violão tenor, guitarra e bandolim – o paulistano Maurício Pazz segue influências que vão do choro ao jazz, espraiando para ritmos de matrizes africanas presentes em diversas vertentes da música brasileira.
 
Graduado em Música pelo Instituto de Artes da UNESP (2018) e mestrando em Processos de Criação Musical pela Escola de Comunicação e Artes da USP (2021), atua profissionalmente na música desde 2008 tocando com diversos artistas. Entre eles, Anaïs Sylla, Chico César, Coletivo Roda Gigante, François Muleka, Luedji Luna, Marco Mattoli, Natália Matos, Nath Rodrigues, Renata Jambeiro e Zumbiido-Afropercussivo. Além disso atua também em projetos interlinguagens envolvendo dança, cinema, vídeo-arte e circo.


Atualmente, dedica-se à série audiovisual documental que idealizou e dirigiu – “Cor do Som – Memórias da Música Negra” (2019) – e ao desenvolvimento do seu próximo trabalho autoral. 
 
Para saber mais, acesse: https://mauriciopazz.com/

Instagram: instagram.com/mauriciopazzmusic
Facebook: https://www.facebook.com/MauricioPazzMusic

+ sobre o tema

Daniel Kaluuya confirma que não estará em Pantera Negra 2

Daniel Kaluuya, ator vencedor do Oscar que interpretou W'Kabi em Pantera...

Dupla mistura jazz, hip-hop e cânticos iorubá em disco de estreia

As gêmeas fraco-cubanas, Noami Diaz e Lisa Kaindé formam...

A Pequena Sereia: Vídeos de crianças pretas reagindo ao filme viralizam

Na última sexta-feira, 10, a Disney divulgou o trailer oficial do...

“Adoro ser um ícone para outras meninas negras”, diz Taís Araújo

Taís Araújo, que está nos palcos vivendo a história...

para lembrar

Emicida renova o discurso do rap brasileiro e faz show em Salvador

Nascido Leandro Roque de Oliveira, o rapper paulista Emicida,...

Sangue B – Emicida estreia como VJ nesta segunda, na MTV

Especialista em improvisar rimas, Emicida não está muito nervoso...

‘Eu sou filho, graças a Deus, de nordestino’, diz Criolo a Gabi

Convidado de Marília Gabriela em De Frente Com Gabi,...

“The Hiphop Archive” (WEB Du Bois Institute – Harvard University)

Em meados de 2009, quando comecei a desenhar...
spot_imgspot_img

Show de Ludmilla no Coachella tem anúncio de Beyoncé e beijo em Brunna Gonçalves; veja como foi

Os fãs de Ludmilla já estavam em polvorosa nas redes sociais quando a artista subiu no palco principal do Coachella, na Califórnia, na tarde deste domingo, acompanhada...

Quem é Linda Martell, citada em “Cowboy Carter”, novo álbum de Beyoncé?

O esperado novo álbum de Beyoncé contém uma música que leva o nome de uma mulher que parece ter sido a inspiração para o projeto. “Act...

Beyoncé revela que Stevie Wonder tocou gaita em uma das faixas de seu novo disco ‘Cowboy Carter’; ouça

Beyoncé revelou que Stevie Wonder tocou gaita em "Jolene", uma das faixas do seu novo disco "Cowboy Carter". A informação foi dada pela própria cantora durante o...
-+=