Criança escreve carta para contar que chorou após mulher dizer que ‘não existe princesa preta’

Menina de 9 anos brincava com uma amiga, em um parque de Anápolis, quando foi ofendida. Depois de cinco dias triste, ela resolveu escrever a mensagem para a mãe para revelar o que tinha acontecido.

Por Rafael Oliveira, do G1

Tiana, de “A Princesa e o Sapo” (2009) (Imagem: Reprodução/Walt Disney)

A estudante Ana Luísa Cardoso Silva, de 9 anos, escreveu uma carta para a mãe cinco dias depois de ouvir de uma mulher que “não existe princesa preta”, enquanto brincava com outra criança no Parque Ipiranga, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. No texto, ela afirma que ama a Elsa, personagem do filme Frozen.

“Mamãe, é verdade que não existe princesa preta? Eu fui brincar, a mulher falou. Fiquei triste e com medo de contar para você. Ela falou que não tinha princesa preta. Eu chorei, mamãe”, escreve a menina.

O caso aconteceu na tarde do dia 1º, durante um piquenique que a família resolveu fazer no parque. Na área reservada para crianças, a menina chamou outra garota para brincar de castelo e princesa. Foi quando, de acordo com Ana Luísa, que uma mulher loira, sentada num banco próximo à recreação, falou para ela que “não existe princesa preta”.

Segundo a menina contou à mãe, um homem que também estava no local disse à mulher para não se dirigir às crianças dessa forma. Logo em seguida, ela saiu do banco e sentou em outro lugar da praça.

Carta da Ana Luísa deixada em cima da cama para a mãe ler — Foto: Luciana Cardoso/Arquivo Pessoal

Carta

A criança só escreveu a carta no domingo (5). Ela deixou o bilhete em cima da cama para que a mãe, a humorista Luciana Cristina Cardoso, de 42 anos, pudesse ler.

“Notei que ela estava triste desde aquele dia, mas não quis me contar. Quando eu li a carta, chorei muito. Ela é criança e não entende ainda”, relata a mãe.

Sobre as paixões da filha, Luciana relata que roteiros infantis de princesas são os preferidos. “Ela gosta muito de assistir filmes com essa temática”, conta.

Desde o episódio, a humorista relata que a menina não quer voltar ao parque, onde gostava de brincar e comer pipoca.

A mãe de Ana Luísa afirma que vai registrar um boletim de ocorrência pelo ato de racismo praticado contra a filha. Até a publicação desta reportagem, ela não soube informar quem é a mulher que conversou com a filha no parque.

 

Leia Também:

Princesa negra

Realeza Africana: 8 belas princesas negras

+ sobre o tema

COTAS E A BIBLIEX

Fonte: Blog Jorge da Silva -   Em...

Seu dedo apertou o gatilho: o sonho acabou

Carta do professor de Maria Eduarda, de 13 anos,morta...

Chacina do Cabula: um ano, 12 mortos e uma sentença de absolvição

“Eles nos chamam de assassinos, mas nós não assassinamos...

para lembrar

A cor da crise

Famílias brancas têm 20 vezes mais riqueza do que...

Danielton Fabris Silva – Racista da Bienal do Livro é indiciado por delegada da 42a. DP

A doutora Adriana Belém, delegada titular da 42ª DP...

Bolívia é exemplo no combate ao racismo, diz relator da ONU

Para Mutuma Ruteere, a nova Constituição do país, de...
spot_imgspot_img

Como é a vida para as mulheres no último país da África sob colonização

Ainda hoje há um país africano colonizado. O Saara Ocidental está ocupado pelo Marrocos desde 1976, depois de quase 90 anos de invasão espanhola, e esteve em guerra...

Revolucionário, mas não é para todos

Passei os últimos dias pensando no significado e na profundidade de uma postagem que li numa rede social contendo a afirmação: "Descansar é revolucionário!"....

‘Nossa missão é racializar as políticas públicas em todo país’

Nomeado recentemente  como novo secretário de gestão do Sistema Nacional de Promoção da Igualdade Racial (Sinapir), o jornalista baiano Yuri Silva tem uma tarefa...
-+=