Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo terá ato no quiosque de Moïse Kabagambe no RJ

Enviado por / FonteBrasil de Fato

Evento gratuito terá Batalha do Slam das Minas e o café da manhã congolês como parte da programação

No próximo dia 28, Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, haverá um evento gratuito no Quiosque Moïse, no Parque Madureira, na zona norte do Rio de Janeiro, para reforçar as ações contra o trabalho escravo e para homenagear o congolês Moise Kabagambe, que foi assassinado em janeiro de 2022 ao cobrar seus direitos como trabalhador em um quiosque na Barra da Tijuca.

O Projeto Ação Integrada: Resgatando a Cidadania (ProjAI), que trabalha há quase 10 anos dando assistência psicossocial a pessoas resgatadas do trabalho escravo, está promovendo o evento, que tem início às 10h com um café da manhã congolês preparado pela própria família do Moïse. Delícias típicas como o Beignet congolaise serão servidas ao público.

Às 11h começará a mesa de debate sobre o tema do trabalho análogo à escravidão. Entre os participantes, estarão representantes de instituições atuantes na causa do trabalho escravo e da migração, como o Ministério Público do Trabalho (MPT-RJ) e a Comissão Estadual para Erradicação do Trabalho Escravo no Rio de Janeiro (COETRAE-RJ).

Após o debate, será feita uma pausa para o almoço e às 13h o evento será retomado com a Batalha do Slam das Minas RJ, coletivo artístico de poesia que dá visibilidade a mulheres heteras, lésbicas, bis ou trans, pessoas queeragender, não binárias e homens trans. Os ganhadores do primeiro, segundo e terceiro lugar na batalha receberão uma premiação em dinheiro.

Atualmente, está em curso uma Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho, em março de 2022, na Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro, na qual são postuladas as verbas trabalhistas e indenizações devidas à família da vítima.

Estima-se que mais de 50 milhões de pessoas são submetidas à escravidão contemporânea no mundo. Mais de 1.560 pessoas foram resgatadas do trabalho escravo em 2022. Entre 2006 e 2020, pelo menos 860 migrantes internacionais foram resgatados de trabalho escravo no Brasil. No Rio de Janeiro, foram atendidos pelo ProjAI, entre 2020 e 2022, 26 trabalhadores imigrantes, provenientes da China, Venezuela, Paraguai e República Democrática do Congo.

Serviço

Dia: 28 de janeiro de 2023
Horário: Das 10h às 16h
Local: Quiosque do Moïse, Parque Madureira – R. Soares Caldeira, 115 – Quiosque 1A, Portão 1 – Madureira.

Divulgação

+ sobre o tema

Relatoria visita Piauí para investigar situação da Educação Quilombola

A Relatoria do Direito Humano à Educação estará de...

Olinda comemora o Dia da Consciência Negra

Por Ana Cláudia Ribeiro A Prefeitura de Olinda preparou várias...

para lembrar

M.Officer pode ser banida do mercado por trabalho análogo à escravidão

Marca de roupas pertencente a empresário e playboy Carlos...

Temer retira 70% da verba de combate ao trabalho escravo, apontam auditores

De 2015 para 2017, caiu quase pela metade o...

Instituições sabem que racismo influencia seus mecanismos, diz Jurema Werneck

Em entrevista à CNN, a diretora-executiva da Anistia Internacional no...
spot_imgspot_img

Cinco trabalhadores são resgatados em condições análogas à escravidão na serra gaúcha

Cinco trabalhadores foram resgatados em condições análogas à escravidão em uma propriedade rural no município de Farroupilha, na serra gaúcha, pelo Ministério do Trabalho...

Quem cata suas latinhas é trabalhador?

Todo Carnaval tem seu fim. E com ele toneladas e mais toneladas de lixo... Não importa como você decidiu comemorar o seu Carnaval. Se decidiu cair na folia, lá...

Trabalho análogo ao escravo persiste em lavouras de café brasileiras, aponta estudo

O trabalho análogo ao escravo em lavouras de café não é algo do passado. Mesmo com certificações e auditorias, a violação de direitos de...
-+=