“Dia representativo e de reflexão”, diz Tais Araújo sobre Consciência Negra

Uma das principais artistas negras do país, atriz promove evento que traz peça sobre Martin Luther King, show de Criolo e stand-up de Tia Má

Por  THIAGO BALTAZAR, da Marie Claire 

Taís Araujo (Foto: Reprodução/Instagram/Roberta Boechat)

O Dia da Consciência Negra, que será celebrado na próxima terça-feira (20), representa uma boa oportunidade para se pensar sobre o movimento negro e suas reivindicações. Este é o entendimento de Tais Araújo, uma das principais artistas afrodescendentes do Brasil.

“É um dia representativo e de reflexão, feito para analisarmos quais são as nossas demandas e, também, para nos acolhermos”, disse ela à Marie Claire.  “Mas também para reafirmarmos nossos direitos como cidadão e celebrar”.

E é assim, trabalhando e comemorando que Tais irá passar data. Ela estará no palco ao lado de Lázaro Ramos atuando na peça “O Topo da Montanha”, sobre os últimos momentos do pastor e defensor dos direitos civis dos negros, Marin Luther King, antes de seu assassinato.

“A mensagem de Martin Luther King é muito forte. A história se passa na década de 60, mas continua muito atual”, contou a atriz. “A peça, ao mesmo tempo, comunica e entretém, ela é séria, emocionante, mas também diverte. Esse é o maior mérito, conseguir falar de um assunto sério de uma maneira engraçada”.

A encenação acontece durante a primeira edição do evento Eu Tenho um Sonho, nos dia 19 e 20 de novembro no Tom Brasil, em São Paulo. Idealizado por Taís e Lázaro em celebração ao sucesso da peça, que já levou mais de 200 mil pessoas ao teatro, o evento contará também com show de Criolo e stand up “Tia Má com a Língua Solta”, de Tia Má.

“A ideia do Eu Tenho um Sonho é agregar. Queríamos trazer para perto artistas que comungam conosco”, contou ela ao falar sobre Tia Má e Criolo.  “Queríamos teatro, entretenimento e música para podermos nos acolher e celebrar nossas conquistas”, finalizou.

+ sobre o tema

A ‘desfavelização’ e o ódio da elite às periferias perpetuam herança colonial

"Moro na Favela do Lixão há mais de 30 anos. Quando...

Essa mulher negra desarmada foi morta pela polícia. Por que não marchamos por ela?

Texto de Darnell L. Moore. Publicado originalmente com o título:...

Sete em cada 10 admitem diferença de tratamento para negro e branco

Cerca de 125 milhões de brasileiros reconhecem o tratamento diferente...

para lembrar

Polícia do Rio mata 39% a mais e segue impune, diz Anistia

Um relatório da Anistia Internacional constatou um aumento de...

Servílio de Oliveira vence ação contra Fundação Palmares e garante volta de homenagem

Servílio de Oliveira, primeiro pugilista brasileiro a conquistar uma...

A ostentação negra incomoda

Ostentar significa “alarde, exibição vaidosa, vanglória”. Qualquer um pode...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=