“Era só pra saber que ela era virgem’, diz pastor acusado de abusar da filha

Um líder religioso foi preso nesta quinta-feira (28) suspeito de abusar da própria filha há três anos. O suspeito estava na igreja no município de Cariacica quando foi detido pela polícia. A vítima, atualmente com 17 anos, residia com o pai, a madrasta e dois irmãos, uma criança de quatro, e um menino de 13, em Vila Velha. Segundo a polícia, o acusado era taxista, além de pastor, e era dono de duas igrejas.

Por Daniela Aquino , do ESHOJE

O delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), garante que o pastor realizava abusos sexuais no quarto da filha. “Nos primeiros dois anos ele permanecia com atos libidinosos, depois cometeu a conjunção carnal. A madrasta explicou que nunca tinha visto nada e nem desconfiava do marido”, comenta.

A polícia destaca que o acusado cometia o abuso nos mesmos horários, diariamente, com agressão física e verbal. “O abuso sexual tornou-se rotineiro, quase diário. Às vezes diante do choro da filha ele parava e pedia perdão”, relata
.
“Era só pra saber que ela era virgem”
O acusado alega que mantinha tais atos para comprovar a virgindade da adolescente, já que suspeitava de um encontro com um rapaz. “Inicialmente era para atestar a virgindade, porque ela só poderia se casar na minha igreja se fosse virgem. Eu sei que fui errado, eu coloquei a mão nela, eu coloquei o dedo nela, mas sempre fui um bom pai”, prepondera o acusado.

A adolescente, exausta dos abusos, foi morar com uma amiga, a qual a ajudou a realizar a denúncia no dia 11 de janeiro deste ano. Na ocasião, o pai da vítima e acusado de abusar dela estava viajando para o Pará, local em que abriria outra igreja.

A equipe de policiais encontrou na residência do pastor, no município canela-verde, móveis em caixas. De acordo com o delegado Lorenzo Pazolini, responsável pela Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), essa pode ser uma suspeita de que o acusado poderia estar planejando uma fuga.

Pazolini frisa que a menina morava com a avó paterna, no Pará, e mais tarde veio morar com o pai, com o qual viveu por oito anos. A mãe mora no Maranhão, mas não mantém contato. O pastor aguarda julgamento, em reclusão no Centro de Triagem de Viana (CTV), e, se condenado, pode continuar por lá por até mais 15 anos.

+ sobre o tema

Ético-política feminista

Às companheiras de #partidA Transformação social Por: Marcia Tiburi, do  Revista Cult  Feminismo...

Biden avalia declarar emergência de saúde pública relacionada ao aborto

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse neste domingo...

Mulher trans protagoniza nova propaganda da Avon sobre Outubro Rosa

Pela segunda vez neste ano, uma mulher transexual protagoniza...

Proibição da divulgação da homossexualidade na Rússia preocupa comunidade internacional

À semelhança do que ocorre em outros países, na...

para lembrar

Kenia Maria lança livro infantil que resgata raízes da cultura negra

"Flechinha, o príncipe da floresta" é a primeira edição...

Miss brasileira transexual eleita a mais bonita do mundo vai trocar de sexo

Um dos prêmios de Marcela Ohio, que venceu o...

Egípcias protestam contra violência sexual em manifestações

Mulheres lideraram nesta quinta-feira 7 um protesto no Cairo,...

A dor silenciosa

Quinta maior causa de morte materna no Brasil, o...
spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=