Escola que foi pichada com frase racista ganha nome de Mandela

Escola do bairro Limão fez abaixo-assinado com 20 mil assinaturas. Em 2011, muros foram pichados com frases racistas.

Do G1

Após cerca de cinco anos e quase 20 mil assinaturas em um abaixo-assinado online, a Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Guia Lopes, no bairro do Limão, Zona Norte de São Paulo, está em festa. Nesta quarta-feira (29) a escola deixa de fazer referência ao general da Guerra do Paraguai e homenageia o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela.

A alteração do nome para ‘EMEI Nelson Mandela’ foi publicada no diário oficial de São Paulo nesta quarta, mas é pedida desde 2015, quando alunos, pais e professores da escola decidiram que o nome reforçaria um eixo importante da atividade da escola.

Desde 2011, quando foi incluída no currículo uma disciplina sobre a cultura dos negros , o muro do colégio passou a ser pichado com frases preconceituosas, como “vamos cuidar do futuro de nossas crianças brancas” e “preserve a raça branca”, acompanhadas da suástica nazista. A partir daquele ano, a equipe docente decidiu dar ainda mais atenção ao tema.

Em 2015, uma carta contando a história da escola foi encaminhada ao prefeito Fernando Haddad, ao secretário municipal de Educação de São Paulo, Gabriel Chalita, e ao secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo, Eduardo Suplicy.

Um abaixo-assinado no Change.org com o nome “Permitam que a nossa escola se chame ‘Nelson Mandela'” com mais de 19.200 assinaturas também foi feito.

Segundo a diretora Cibele Racy, a mudança vai além de uma placa na parede “Estamos muito felizes de deixar um legado para nossas crianças, pois Nelson Mandela representa a luta contra o racismo e todas as formas de discriminação e preconceito”. Para ela, a mudança vai fortalecer ainda mais a aplicação da lei federal Nº 10.639/2003, que torna obrigatório o ensino da história e cultura afro-brasileira e africana nas escolas públicas e privadas do país.

dsc00536
Foto: Reprodução/G1

+ sobre o tema

Pará e África unidos pela cultura

O olhar cinematográfico o acompanha desde a infância,...

Unesco e Brasil criam programa para ensino da história africana

A Organização das Nações Unidas para Educação, a...

As falhas no Enem e os interesses que se movem nos bastidores

"Prova do Enem é tecnicamente sustentável sob todos os...

O racismo como polêmica escolar

ERICA BARBOSA BAIA FERNANDA MARQUES DE ALMEIDAROSIANE MACHADO...

para lembrar

Dicas para lidar com o racismo na sala de aula

Não é fácil abordar a questão do racismo na...

Bibliotecas Comunitárias contra o analfabetismo funcional

Por: Kátia Ferraz   A liberdade, a prosperidade e...

Professores da rede pública poderão fazer curso nos EUA

Boa notícia para os professores de Língua Inglesa da...

Fuvest 2011 tem mais inscritos do que ano anterior

Ao todo, 132.969 pessoas se candidataram às 10.752 vagas...
spot_imgspot_img

Ser menina na escola: estamos atentos às violências de gênero?

Apesar de toda a luta feminista, leis de proteção às mulheres, divulgação de livros, sites, materiais sobre a valorização do feminino, ainda há muito...

Como a educação antirracista contribui para o entendimento do que é Racismo Ambiental

Nas duas cidades mais populosas do Brasil, Rio de Janeiro e São Paulo, o primeiro mês do ano ficou marcado pelas tragédias causadas pelas...

SISU: selecionados têm até quarta-feira para fazer matrícula

Estudantes selecionados na primeira chamada do processo seletivo de 2024 do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm até quarta-feira (7) para fazer a matrícula...
-+=