Estudantes quilombolas de MT terão programa de ação afirmativa em universidade federal

Enviado por / FonteDo Só Notícias

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) aprovou a criação do Programa de Inclusão de Estudantes Quilombolas em cursos da instituição em Mato Grosso. Serão destinadas cem vagas anuais para processo seletivo destinado exclusivamente a alunos de comunidades tradicionais de quilombos, que poderão ingressar em um dos 106 cursos da UFMT.

A criação do programa é considerada uma vitória importante na política de ações afirmativas, como enfatiza Antônio Santana, superintendente de Políticas de Igualdade Racial da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. “É mais uma conquista dos povos quilombolas que vêm lutando pelo acesso à educação no ensino superior. A superintendência continua priorizando as atividades nas áreas quilombolas com o fortalecimento do acesso dos povos quilombolas à informação que auxilie na sua formação acadêmica”, frisou, acrescentando que o diálogo para a criação do programa vem sendo construído desde 2013 com a UFMT, com a participação de instituições federais, estaduais e sociedade civil.

A criação do programa de inclusão de estudantes quilombolas foi aprovada pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFMT pelo período de dez anos a partir de 2017. O programa terá um processo seletivo distinto e será gerido pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFMT que será responsável pela administração das vagas.

Para ter acesso ao programa o estudante necessita ser oriundo e ter cursado o ensino fundamental e médio em comunidades quilombolas. Em Mato Grosso existem 71 comunidades certificadas pela Fundação Cultural Palmares, instituição pública voltada à promoção e preservação da arte e da cultura afro-brasileira e ligada ao Ministério da Cultura. A maior comunidade quilombola em Mato Grosso é a Mata Cavalo, no município de Nossa Senhora do Livramento. Em todo o estado estima-se uma população de mais de 7 mil pessoas nas 71 comunidades certificadas.

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação, no ano passado 192 alunos quilombolas cursaram o 3º ano do Ensino Médio. A maior demanda está no município de Vila Bela da Santíssima Trindade (521 km a Oeste de Cuiabá). Só na escola quilombola Verena Leite de Brito, são 136 estudantes que cursaram o 3º ano em 2016.

+ sobre o tema

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de...

Programa Erasmus oferece bolsas integrais na Europa

O Erasmus, programa promovido pela União Europeia para fomento a...

para lembrar

O bullying como violência velada: a percepção e ação dos professores

O bullying é um tipo de violência escolar; praticada...

História e cultura africana e afro-brasileira na educação infantil

Brasília: MEC, UFSCar, 2014. O livro é uma ferramenta fundamental...

Reforma do Ensino Médio é aprovada no Senado

Anunciada por Temer em setembro, Medida Provisória passou pela...

Correção do primeiro dia de provas do Enem 2009

O grau de dificuldade das provas de ciências humanas...
spot_imgspot_img

Taxa de alfabetização chega a 93% da população brasileira, revela IBGE

No Brasil, das 163 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 15 anos, 151,5 milhões sabem ler e escrever ao menos um...

Provas do Enem 2024 serão em 3 e 10 de novembro; confira o cronograma

O cronograma do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2024 foi divulgado nesta segunda-feira (13). As provas serão aplicadas nos dias 3 e 10...

Da proteção à criação: os pós-docs negros da USP nas fronteiras da inovação

Desenvolvimento de produtos, novas tecnologias para a geração de energia, manejo ecologicamente correto na agricultura e prevenção à violência entre jovens nativos digitais. Essas...
-+=