quinta-feira, dezembro 8, 2022
InícioQuestão RacialCasos de RacismoFalsa denúncia de mulher branca contra homem negro gera duras críticas nos...

Falsa denúncia de mulher branca contra homem negro gera duras críticas nos EUA

Um vídeo em que uma mulher branca chama a polícia por causa da presença de um homem negro, que observava pássaros, no Central Park, em Nova York, viralizou na internet, provocando indignação com a denúncia, considerada racista.

As imagens (assista abaixo), publicadas no Twitter e que tiveram mais de 20 milhões de visualizações, foram filmadas pelo homem, Christian Cooper, que disse que havia pedido à mulher que colocasse uma coleira no cão que a acompanhava.

A denunciante passeava com seu cão ontem em uma área arborizada do parque, popular entre os observadores de pássaros e onde os animais devem ser mantidos na coleira. No vídeo, quando a mulher tenta controlar o cachorro, Cooper se aproxima. Em seguida, ela é vista fazendo uma ligação.

Amy Cooper é filmada enquanto telefona para a polícia no Central Park, em Nova York — Foto: Reprodução/NBC

“Direi a eles que tem um afro-americano me ameaçando”, avisa a mulher a Cooper, enquanto liga para o telefone de emergências 911. “Estou no Central Park, tem um afro-americano aqui me filmando, me ameaçando e ameaçando o meu cachorro”, diz a mulher, identificada como Amy Cooper, corretora de seguros, ao operador telefônico.

As imagens provocaram indignação nas mídias sociais e muitos usuários chamaram a mulher de “Karen”, termo popularmente usado para descrever uma mulher branca que se considera mais privilegiada do que os outros.

O incidente provocou a reação do prefeito de Nova York, Bill de Blasio, que classificou a ação como “racismo puro e simples”. “Ela ligou para a polícia PORQUE ele era um homem negro. Mesmo tendo sido ela que violou as regras. Decidiu que era ele o criminoso e sabemos o porquê. Este tipo de ódio não tem espaço em nossa cidade”, tuitou o prefeito.

Mais tarde, Amy Cooper desculpou-se em entrevista à rede de TV NBC, na qual negou ser racista e disse que exagerou em sua reação, por ter se sentido ameaçada. “Peço desculpas, sincera e humildemente, a todos, especialmente a esse homem e à sua família.”

Mas as desculpas não foram suficientes. Em comunicado publicado em sua conta no Twitter, a empresa Franklin Templeton anunciou a demissão com efeito imediato de Amy, sua funcionária, após uma investigação rápida: “Não toleramos nenhum tipo de racismo na empresa.”

 

 

Leia Também:

Racismo não é desculpável, é crime

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench