Guest Post »
Hoje na História, 18 de Junho, comemora-se o dia do Tambor de Crioula

Hoje na História, 18 de Junho, comemora-se o dia do Tambor de Crioula

Nesta quarta-feira (18) comemora-se o dia do Tambor de Crioula, que é reconhecido desde 2007 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio cultural brasileiro.
Do  Foki

O som é contagiante. A dança hipnotizante. O canto é improvisado. A descrição é comum para quem experimenta pela primeira vez uma apresentação do Tambor de Crioula. No Maranhão, a manifestação se apresenta livremente, não tendo uma época fixa. Há uma concentração maior dos grupos durante o Carnaval, nas Festas Juninas e nos rituais de morte do Bumba-meu-boi. Em São Luís, mais de 100 grupos estão oficialmente cadastrados nas instituições culturais.

Antigamente, as brincadeiras de Bumba-meu-boi e o Tambor de Crioula – as manifestações mais representativas do Maranhão – aconteciam sempre juntas. Identificam-se influências de uma em outra, descritas por vários estudiosos do assunto, presente nas cantigas, no ritmo dos toques e das danças e nos adereços, entre outros aspectos.

A dança se apresenta com as mulheres posicionadas em semicírculo diante dos tocadores. Quando o tambor começa a tocar, acontece uma comunicação corporal, musical e instrumental entre os participantes. Cada uma das dançantes, conhecidas como coreiras, é chamada ao centro da roda, quando acontece a punga (umbigada) – gesto entendido como saudação e convite que provoca as outras coreiras e os tocadores. Segundo estudos antropológicos, tal dança tem forte ligação simbólica com a feminilidade e a fertilidade.

O Tambor de Crioula é ancestral e remonta ao período da escravidão. Está incluído nos registros do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como expressão dentro das classificações derivadas, originalmente, do batuque, pela polirritmia dos tambores, no ritmo sincopado, nos principais movimentos coreográficos e na umbigada. Os elementos rituais do Tambor permanecem vivos e reitera valores culturais afro-brasileiros.

A festa será marcada pela Alvorada dos Tambores, que começa a partir das 7h, na Praça do Pantheon, em frente à Biblioteca Pública Benedito Leite, no Centro. Nesta edição do evento, os grupos “Arte Nossa”, “Brilho de São Benedito” e “Tambor de Crioula do Oriente” se apresentam na festa.

 

 

Related posts