Justiça condena estudante de direito por crime de racismo em uma faculdade de Vila Velha

A 1ª Turma do Colegiado de Juizes Especiais de Vitória condenou por maioria dos votos, em R$ 10 mil o valor indenizatório que uma moradora de Vila Velha terá que pagar a um colega da faculdade, após suposta injúria racial. O valor deverá ser pago com correção monetária e acréscimo de juros. Segundo os autos, o caso aconteceu em uma turma do curso de Direito de uma faculdade particular da região.

no Sim Notícias

De acordo com as informações do processo a discriminação teria acontecido durante uma aula sobre Direito Civil, no momento em que o professor usou os dois colegas como exemplo, sugerindo um suposto casamento entre a autora do comentário racista e o outro aluno. Nesse momento, ainda segundo os autos, a mulher teria se virado para o colega, e dito: “Tinha que ser o neguinho da Etiópia?”.

Após a declaração da mulher, a sala teria permanecido em silêncio, uma vez que a situação proporcionou um ambiente constrangedor para o aluno que, por conta da falta de intimidade entre ele e a acusada, ficou perplexo com o comentário.

Mesmo diante de toda a situação vivenciada na frente dos demais colegas de sala, e do professor, o aluno, para evitar bate boca, decidiu fazer uma queixa-crime no 2º Departamento de Polícia (DP) de Vila Velha. Em seguida, foi ajuizada uma ação visando à reparação por danos morais.

Ainda consta no processo a informação de que a autora da ofensa também teria entrado com uma ação contra o estudante que, segundo ela, estava disseminando comentários acerca de sua personalidade, espalhando para toda a faculdade que ela era preconceituosa e racista. Essa ação foi julgada improcedente

+ sobre o tema

Portugal: Afrodescendentes lutam contra discriminação racial

O combate ao racismo não é tema dominante na...

Associação vai exigir ações afirmativas para negros/as no audiovisual

Homens negros representam menos de 2% das lideranças profissionais...

Punido por racismo, zagueiro está fora da Copa

  A Croácia, adversário de estreia do Brasil na Copa,...

para lembrar

E se os mortos da Maré fossem do Leblon? – Mário Magalhães

Foi nesta semana, mas, a considerar o noticiário,...

Apenas política urbana racista explica massacre de Paraisópolis

Na madrugada de sábado para domingo, nove jovens, entre...

O orgulho do cabelo crespo é uma resistência ao racismo

A primeira vez que me detive na expressão do...
spot_imgspot_img

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...

Formação territorial do Brasil continua sendo configurada por desigualdades, diz geógrafo

Ao olhar uma cidade brasileira é possível ver a divisão provocada pela segregação espacial no território, seja urbano, seja rural. A avaliação é fruto...

Família de João Pedro protesta contra decisão que absolveu policiais

Os parentes do adolescente João Pedro, morto por policiais civis durante uma operação na comunidade do Salgueiro, em São Gonçalo, no Grande Rio, em...
-+=