Justiça decreta prisão de sargento da Aeronáutica

Aeronáutica Edvaldo Silva Rodrigues Junior, que confessou ter estuprado pelo menos dez mulheres nos últimos dois meses em bairros da Zona Norte e do subúrbio do Rio. Nesta quarta-feira, o delegado titular da 25ª DP (Engenho Novo), Antenor Lopes Martins Junior, vai encaminhar um ofício à polícia do Maranhão com a foto do estuprador. “Ele já serviu como sargento da Aeronáutica lá no Maranhão e pode ter feito vítimas lá”, justificou o delegado, destacando que é fundamental que as vítimas procurem a polícia para denunciar outras ações de Edvaldo.

– Nesse tipo de crime muitas pessoas têm vergonha de procurar a polícia. Mas isso é fundamental que isso aconteça para que ele seja responsabilizado – afirmou. Na decisão da Justiça, o juiz Rafael Estrela, da 35ª Vara Criminal, relatou a própria confissão do sargento. “O acusado descreveu minimamente a dinâmica dos fatos, o que retrata sua personalidade inclinada à prática de delitos contra a liberdade sexual”.

De acordo com informações do portal G1, o juiz acrescenta que casos como este tem chocado a opinião pública. “Ações delituosas como estas estão assustando a sociedade, encontrando-se todos, à espera de uma pronta intervenção do Poder Judiciário, mesmo que de natureza ainda provisória, deve ser decretada a prisão do acusado para a garantia da ordem pública, da aplicação da lei penal e elucidação dos fatos”.
Segundo o delegado, com o passar do tempo o estuprador começou a demonstrar maior frieza e crueldade durante os ataques. “Primeiro ele se masturbava na frente das mulheres, depois chamava, depois passou a agarrá-las e fazer sexo oral. Nos primeiros estupros ele não usava violência, depois começava a bater. Ele foi mostrando comportamento cada vez mais agressivo”.

Ainda de acordo com a polícia, o sargento sempre escolhia o mesmo perfil de vítimas. Na maioria das vezes eram mulheres bonitas e jovens, muitas, inclusive, menores de idade. O militar costumava atacar as vítimas pela manhã, antes de ir para o trabalho. No entanto, como no mês de novembro ele estava de férias, o número de vítimas cresceu. “Ele ia deixar a mulher no trabalho ou no ponto de ônibus e cometia os estupros na volta”, disse o delegado.

 

 

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Magistrados formam grupo de trabalho com desenvolvedores de APP contra a violência doméstica

Para dar sequência ao projeto que beneficiará mulheres vítimas...

Empresária é morta na frente do filho de 7 anos, cunhado acusa ex-marido

Ela chegou a ser levada ao Hospital Getúlio Vargas,...

No Brasil, o aborto é crime com pena de morte

Na última semana, a grande mídia tem dado atenção...

para lembrar

Negras são vítimas de mais de 60% dos assassinatos de mulheres no país

Mais de 60% das mulheres assassinadas no Brasil entre...

Polícia investiga mortes em série de mulheres em Goiás

Uma sequência misteriosa de 12 assassinatos de jovens mulheres...

O estranho caso do habeas corpus de Gilmar Mendes para Roger Abdelmassih

Algumas das mulheres estupradas pelo médico Roger Abdelmassih, preso...
spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

Robinho chega à penitenciária de Tremembé (SP) para cumprir pena de 9 anos de prisão por estupro

Robson de Souza, o Robinho, foi transferido para a Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (22). O ex-jogador foi...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...
-+=