Marcelo Rubens Paiva detona campanha de Ellus contra o Brasil

Por Redação

O colunista lembra que, apesar da grife culpar o governo por atrasos no país, ela é acusada de utilizar mão de obra escrava em sua produção

Por Redação

A Ellus trouxe ao São Paulo Fashion Week de primavera-verão deste ano uma novidade: o protesto Abaixo Este País Atrasado. Apesar do local pouco apropriado para esse tipo de manifestação, a campanha reverberou nas redes sociais e chegou à mídia tradicional. Em sua coluna no Estadão, Marcelo Rubens Paiva critica o posicionamento da marca, e considera o “protesto esquisito, num local que não combinava”.

“Um debate ideológico se seguiu, sob o hálito do verdadeiro debate, o da luta de classes”, comentou. O autor de Feliz Ano Velho, entre outras obras, ainda compara o protesto da Ellus com “o debate sobre os que reclamam da deselegância dos novos consumidores em aeroportos e da construção de uma estação de metrô que traria gente ‘diferenciada’ num bairro de gente fina e educada, que anda de metrô em Paris e NY”.

No entanto, a campanha faz ainda menos sentido quando se lembra que a Ellus é acusada de utilizar mão de obra escrava em sua produção. Um processo foi instaurado contra a marca em 2012, na 2ª Região do Ministério de Trabalho. Na época, outras empresas também foram denunciadas pelo mesmo motivo: Marisa, Pernambucanas, C&A, Zara, Collins e Gregory.

Em carta sobre o protesto, a Ellus diz que “o Brasil está entupido, um congestionamento em tudo. Não anda no trânsito, nos aeroportos, nos hospitais, nas estradas, na energia, nas escolas, na comunicação, na burocracia (corrupção)… Até a água está entupida!… Precisamos desburocratizar, simplificar para motivar, avançar, abrir, internacionalizar, se não, cada vez mais, ficaremos isolados nas geleiras do Polo Sul. Que Brasil é esse em que até as empresas e patrimônios públicos acabam destruídos?!?!”.

A blogueira Maria Frô sugere entrar na onda do #protestoEllus e exigirmos celeridade da Justiça para julgar a Ellus pela denúncia de trabalho escravo  feita pela procuradora Carolina Vieira Mercante em 2012. “Vamos exigir que a Ellus vá para um país adiantado e deixe de explorar os trabalhadores brasileiros. Que os coxinhas vira-latas importem suas camisetas sem noção.”

Fonte: Revista Fórum

+ sobre o tema

Salário menor na advocacia é mais frequente entre mulheres e negros

A proporção de advogados na menor faixa salarial da...

Lei que implantou escola cívico-militar em SP fere modelo educacional previsto na Constituição, diz PFDC

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão...

Ação enviada ao STF pede inconstitucionalidade de escolas cívico-militares em SP

Promotores e defensores públicos encaminharam ao Supremo Tribunal Federal...

para lembrar

A Eva dos computadores

Bastante desconcertante uma mulher figurar como precursora do mundo tão...

Dilma anuncia que conferência Rio+20 será adiada para 20 de junho

Evento sobre meio ambiente seria realizado no Rio de...

Especialista prevê alta de infecção nos presídios nas próximas semanas

A maioria doentes presos está na mira do coronavírus...

O desastre da classe média, dos “Maria vai com as outras” e de seus ídolos

Queridíssima amiga Sara Regina Farias, Santa Maria, RS Por Dom Orvandil...

Nova identidade tem CPF como número principal, QR code e abriga dados de outros documentos

O governo federal quer acelerar a corrida para digitalizar a identidade dos brasileiros. A nova CIN (Carteira de Identidade Nacional) representa o fim do RG e da impressão...

ONU pede que Brasil legalize aborto e denuncia ‘fundamentalismo religioso’

Alertando sobre o avanço do que chamou de "fundamentalismo religioso" no Brasil, um dos principais órgãos da ONU que lida com a situação da...

Trump se torna 1º ex-presidente condenado em ação criminal na história dos EUA

Donald Trump se tornou o primeiro ex-presidente considerado culpado pela Justiça em uma ação criminal na história dos Estados Unidos. O veredicto, divulgado nesta quinta-feira (30),...
-+=