Morreu o maestro James DePreist, um dos primeiros afro-americanos a dirigir orquestras

O maestro James DePreist, de 76 anos, morreu sexta-feira na sua casa, em Scottsdale, nos Estados Unidos, devido a complicações surgidas depois de um ataque cardíaco em Março de 2012, confirmou o seu agente. Nascido em Filadélfia em 1936, viria ainda cedo a afirmar-se como maestro de orquestras de alto nível, algo que ainda hoje é uma raridade para um afro-americano.

Outra raridade era o facto de dirigir as orquestras a partir de uma cadeira de rodas motorizada, mantendo-se uma figura imponente quando em palco com a Filarmónica de Nova Iorque ou com a Sinfónica do Oregon, ou ainda na companhia dos estudantes da Juilliard School, onde foi o director dos estudos para maestros e orquestras durante sete anos.

Paralisado das duas pernas devido à poliomielite contraída em 1962, viria dois anos mais tarde a ganhar a medalha de ouro num concurso internacional de maestro de orquestras e em 1965 tornou-se assistente de maestro na Filarmónica de Nova Iorque. Apesar de ser visto como um modelo pelos afro-americanos, tinha relutância em ser olhado dessa forma. Preferia ser reconhecido apenas pelas suas competências artísticas.

Foi o director musical da Sinfónica do Oregon entre 1980 e 2003, transformando-a numa referência nacional em termos de orquestras. Também dirigiu orquestras em Tóquio, no Quebeque, Monte Carlo ou em Malmö, na Suécia, tendo uma carreira internacional de prestígio.

Em 2005, o então Presidente George W. Bush atribuiu-lhe a Medalha Nacional das Artes, tendo sido agraciado também várias vezes com doutoramentos honoris causa em países tão diferentes como a Finlândia ou o Japão.

 

Fonte: Publico PT

+ sobre o tema

Afro-Cubanos

O termo afro-cubano se refere a cubanos de ancestralidade...

‘As mulheres são criadas para achar que o casamento é muito importante’ diz Chimamanda Adichie

Escritora aclamada pela crítica internacional, a nigeriana pertence ao...

Bolsas para graduação no Brasil

Estudantes de 24 países africanos podem tentar uma vaga...

para lembrar

Apreensões sobre o racismo norte-americano

A pequena cidade de Ferguson, no Missouri (centro dos...

EUA retiram oficialmente Cuba de lista de patrocinadores de terrorismo

Cuba saiu oficialmente nesta sexta-feira da lista de países...

Estas 6 pessoas estão revolucionando a representatividade negra nos EUA

Em fevereiro, o HuffPost Black Voices mostrou homens e...

Raça e etnia influenciam acesso aos recursos de saúde para tratar infecções

Os afro-americanos e os latinos têm menos acesso a...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

‘Fui um menino negro criado por avós supremacistas brancos que me ensinaram a saudação nazista’

Shane McCrae é um consagrado poeta norte-americano. Ele foi premiado diversas vezes, publicou uma dezena de livros e é professor de redação criativa da...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...
-+=