Mulher negra é inocentada de matar sobrinha após passar 27 anos presa

Enviado por / FonteUOL

Uma mulher negra, de 74 anos, foi inocentada na quarta-feira (12) das acusações de estupro e assassinato da sobrinha-neta depois de passar 27 anos presa pelos crimes, no estado do Tennessee, nos Estados Unidos.

Em 26 de junho de 1987, Joyce Watkins e o seu namorado à época, Charlie Dunn, foram buscar a sobrinha-neta Brandi, de 4 anos, na casa de um familiar em Kentucky, de acordo com relatório arquivado no Tribunal Criminal do Condado de Davidson obtido pela CNN. Na manhã seguinte, a criança não se sentia bem, e Joyce decidiu levá-la a um hospital na cidade.

Segundo o documento, a menina havia sofrido traumatismo craniano e lesão vaginal. Brandi morreu no dia seguinte.

Joyce e Charlie ficaram com a criança apenas por nove horas, mas o médico que a examinou, Gretel Harlan, concluiu que as lesões aconteceram nesse período. Um ano depois, em agosto de 1988, o casal foi condenado por assassinato em primeiro grau e estupro.

Eles ficaram presos por 27 anos até receberem liberdade condicional em 2015. Charlie, porém, morreu atrás das grades, enquanto aguardava a libertação.

Inocência provada

A denúncia foi finalmente arquivada em 10 de novembro de 2021, quando um advogado que entrou no caso pediu a anulação das condenações de Joyce Waktins e Charlie Dunn.

O arquivamento esclareceu que Watkins notou sangue na calcinha de Brandi quando chegaram em casa, apenas uma hora e meia depois que o casal a pegou, com pelo menos uma hora desse tempo dirigindo de volta para Nashville.

Um relatório também foi incluído no arquivo, dizendo que a “metodologia do Dr. Harlan para datar a lesão na cabeça com base na falta de resposta histiocítica no tecido cerebral não é um método legítimo para datar traumatismo craniano pediátrico”.

O Tribunal Criminal do Condado de Davidson concordou que não há evidências científicas que comprovem que o crime foi cometido por Joyce e Charlie. No entanto, o responsável pelo assassinato de Brandi ainda não foi encontrado.

“Eu agradeço a todas pessoas pelas orações e por ajudarem a me tirar dessa bagunça que custou metade da minha vida por nada, mas eu vou superar”, disse Joyce Watkins minutos após ter sua inocência declarada.

+ sobre o tema

Ruivos fazem 1º Encontro Nacional em São Paulo

"Ei ferrugem!" ou "Vem aqui, alemão" foram frases muito...

EUA: pastor proíbe casamento de negros por questões raciais

Um casal do Mississippi, sudeste dos Estados Unidos, sofreu...

Atos são marcados em 27 cidades no exterior em apoio a protestos no Brasil

Brasileiros que vivem fora do País marcaram eventos por...

21 de Março – Leci Brandão: Nosso racismo de cada dia

A Organização das Nações Unidas instituiu o 21 de...

para lembrar

Milhares regressam às ruas em Chicago para protestar contra atuação policial

Milhares de manifestantes impediram a entrada nas lojas em...

Marcha fúnebre permanente

O vermelho-sangue sobre o corpo negro não é uma...

Nota da Coalizão Negra por Direitos por justiça para Miguel Otávio!

A Coalizão Negra por Direitos se solidariza com a...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=