Mulheres denunciam racismo em agência bancária na Barra e apontada como autora das ofensas é presa

Enviado por / FonteG1, por Elisa Soupin

Caso aconteceu em uma agência do Bradesco no Barra Shopping na tarde desta quarta-feira (5). De acordo com testemunhas, a cliente começou a xingar outras clientes negras depois de não conseguir resolver uma operação bancária.

Três mulheres registraram queixa na polícia afirmando terem sido vítimas de racismo em uma agência do banco Bradesco que fica dentro do Barra Shopping, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na tarde desta quarta-feira (5). A autora das ofensas de cunho racial foi presa na 16ª DP (Barra da Tijuca).

Fabiana Garcia Cunha e a irmã dela Regina Garcia da Cunha contaram que estavam dentro da agência, por volta das 15h20, quando uma outra cliente, identificada como sendo Maria Cristina Rodrigues dos Santos, visivelmente “descontrolada”, começou a proferir ofensas racistas contra elas e mais uma mulher negra que estava na agência.

Segundo os relatos, Maria Cristina, de 53 anos, estava aborrecida por não ter conseguido fazer uma operação bancária e furou a fila do caixa eletrônico. Fabiana contou ao g1 que, ainda assim, ninguém reclamou, pois todos perceberam que ela estava alterada.

Quando a mulher não conseguiu resolver a situação no caixa eletrônico, começou a fazer ofensas racistas, conforme relato das vítimas e de outras pessoas que estavam no local.

“Ela olhou pra gente e disse que negro, quando não cagava na entrada, cagava na saída. Disse que negro não era gente, que negro não era ninguém. Disse que eu roguei uma praga pra ela e por isso ela estava tossindo”, relatou Fabiana.

As vítimas, então, chamaram o segurança, que acionou a polícia. Quando policiais do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) chegaram, Maria Cristina se recusou a ser levada para a delegacia e continuou com as ofensas, na frente dos PMs, que testemunharam o crime.

Levada para a 16ª DP, a mulher prestou depoimento e foi presa em flagrante. Contudo, o delegado adjunto William Bezerra representou pela liberdade provisória e sugeriu a aplicação de medidas cautelares para Maria Cristina por ter se tratado de um “crime sem violência” e sem possibilidade aplicação de fiança, pela natureza do crime.

Maria Cristina não tinha antecedentes criminais e será encaminhada para a audiência de custódia nesta quinta-feira (6).

Procurado, o Bradesco afirmou que repudia qualquer tipo de racismo, intolerância ou preconceito.

+ sobre o tema

Macetando o apocalipse

Veio de Veveta, também conhecida como Ivete Sangalo, o...

Saiba quem é o neto de Bob Marley que emplacou sucesso na Billboard; ouça a canção

YG Marley, nome artístico de Joshua Marley, neto do...

Conceição Evaristo é eleita a nova imortal da Academia Mineira de Letras

A escritora Conceição Evaristo, 77, foi eleita nesta quinta (15)...

Fui demitida depois dos 40. E agora?

Dia desses, enquanto navegava pelos comentários de uma publicação...

para lembrar

Nem tudo era italiano …

Este brilhante trabalho foi apresentado originalmente em 1995 como...

Além de odiar as mulheres, atirador de Santa Bárbara era racista, diz jornal americano

"Como pode garoto negro conquistar uma menina e não...

Coisas que uma sociedade racista faz por você

Você, um belo dia, está na faculdade e vem...

Denúncias de racismo na internet crescem 81% em 2014, aponta levantamento de ONG

Aumento foi observado na comparação entre os primeiros semestres...
spot_imgspot_img

Quem cata suas latinhas é trabalhador?

Todo Carnaval tem seu fim. E com ele toneladas e mais toneladas de lixo... Não importa como você decidiu comemorar o seu Carnaval. Se decidiu cair na folia, lá...

Fundo Brasil seleciona projetos de combate ao racismo no país

O Fundo Brasil de Direitos Humanos vai doar R$ 1,25 milhão para 25 organizações que atuam no combate ao racismo em todo o país. A...

Documento final da CONAE segue para o Congresso; entenda seus principais pontos

Para quem não é da Educação ou não acompanha de perto esta aérea, é preciso entender alguns pontos importantes do documento final aprovado durante...
-+=