Musical revive no teatro a história de Paulo da Portela no samba do Rio

Reverenciado por sucessivas gerações do samba, Paulo Benjamim de Oliveira, o Paulo da Portela, teve uma trajetória pessoal que se confunde com a própria história desse gênero musical na cidade do Rio de Janeiro. Nascido em 1901, aos 20 anos ele já estava envolvido com os blocos carnavalescos do bairro de Oswaldo Cruz, na zona norte carioca, e batalhava pelo reconhecimento profissional dos sambistas, na época ainda tratados como marginais pela polícia.

Do Jornal do Brasil 

Um desses blocos de que Paulo participava, o Vai como Pode, deu origem, em 1935, ao Grêmio Recreativo Escola de Samba Portela, a hoje tradicional azul e branco de Madureira. Compositor com vários sambas gravados, Paulo da Portela desentendeu-se com sua escola em 1941, em pleno desfile de carnaval. Oito anos depois, morria, vítima de um ataque cardíaco, e os bairros de Madureira e Oswaldo Cruz choraram a perda do sambista.

Pioneiro da interação entre o universo do samba e os intelectuais e os políticos, Paulo da Portela tem sua vida narrada em um espetáculo musical em cartaz na Sala Municipal Baden Powell, em Copacabana, zona sul do Rio. Com texto de Wilson Machado e direção de Aduni Benton, A História de Paulo Benjamim de Oliveira, o Paulo da Portela, tem à frente do elenco os atores Wilson Rabelo e Zezé Motta.

Rabelo interpreta Paulo, narrador de sua própria história, enquanto dois outros atores, Leonardo Castro e Thiago Justino, encarnam, respectivamente, o personagem quando jovem e já no fim da vida. O espetáculo percorre as várias fases da vida de Paulo da Portela. Amigos e companheiros do mundo do samba, como Cartola, Heitor dos Prazeres, Antônio Rufino e Antônio Caetano, também são personagens do musical.

De acordo com o diretor Aduni Beton, a peça “mostra a essência desse extraordinário homem, sensível, mas combativo defensor do povo negro, que estava à frente de sua época e brigava pela dignidade e respeito ao sambista”. Beton também dirige a Cia É tudo Cena!, grupo teatral voltado para a pesquisa, valorização e promoção da cultura negra e afrodescendente brasileira e responsável pela montagem.

A História de Paulo Benjamin de Oliveira, o Paulo da Portela fica em cartaz até 29 de março, com apresentações de quinta a sábado, às 20h, e domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 50, a inteira, e R$ 25, a meia-entrada. A Sala Municipal Baden Powell fica na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, em Copacabana, zona sul do Rio.

+ sobre o tema

Livros angolanos expostos em Lisboa serão matéria de estudo

Lisboa (do correspondente) – Alguns dos 50 títulos...

Fifa se desculpa por desrespeito de consultora a africanos e sul-americanos

A Fifa pediu desculpas pelas declarações desrespeitosas a africanos...

Fundação Palmares quer que Cais do Valongo, no Rio, vire patrimônio da humanidade

Brasília – A Fundação Cultural Palmares quer tornar o...

para lembrar

Marlye Cantora e o sonho de ser professora e artista são destaque do mês no Museu da Pessoa

Criada por sua mãe, Marlye cresceu com dois sonhos:...

Sônia Nascimento – Vice Presidenta

[email protected] Sônia Nascimento é advogada, fundadora, de Geledés- Instituto da...

Suelaine Carneiro – Coordenadora de Educação e Pesquisa

Suelaine Carneiro [email protected] A área de Educação e Pesquisa de Geledés...

Sueli Carneiro – Coordenadora de Difusão e Gestão da Memória Institucional

Sueli Carneiro - Coordenação Executiva [email protected] Filósofa, doutora em Educação pela Universidade...
spot_imgspot_img

Brancos, vamos falar de cotas no serviço público?

Em junho expira o prazo da lei de cotas nos concursos públicos. A proposta de renovação apresentada pelo governo Lula e elaborada de forma interministerial tem sofrido...

Em junho, Djavan fará sua estreia na Praia de Copacabana em show gratuito

O projeto TIM Music Rio, um dos mais conhecidos festivais de música no país, terá como uma de suas atrações, no dia 2 de...

O precário e o próspero nas políticas sociais que alcançam a população negra

Começo a escrever enquanto espero o início do quarto e último painel da terceira sessão do Fórum Permanente de Pessoas Afrodescendentes, nesta semana na...
-+=