Guest Post »

Não se demite impunemente um bom professor

Professor do município está ameaçado de ser demitido. Faltava, atrasava, não dava aula direito? Não era o caso. Reclamaram de suas aulas? Ao contrário, está cheio de elogios no Facebook.

Por Monica Bayeh, do Extra 

Arquivo Pessoal

O motivo? Ousou discordar do prefeito. Mas não pode discordar do prefeito? Só eu sinto um cheiro de ditadura no ar? Será apenas impressão minha?

Breno Mendes é professor de geografia do município do RJ. Foi grevista em 2013 e 2014. Talvez tenha uma forma um pouco arrojada de se expressar. Aborda de forma contundente demais as dificuldades diárias dos professores? Pode ser.

Pode ter pecado pela forma de falar, nunca pelo conteúdo. Suas críticas foram todas pautadas no sofrimento e na impossibilidade de se fazer um trabalho melhor nas nossas escolas públicas. Só quem está dentro é que sabe o tamanho do estrago.

A ameaça de demissão de um bom professor cai na educação como um raio atinge e queima uma árvore de bons frutos.

arvore
Imagem: Carlos Navarro

Sempre imaginei que cargos públicos exigissem um nível alto de desprendimento. Uma capacidade de aceitação de críticas e de diferenças. Quem se dispõe a trabalhar para o povo deve saber que está sujeito a reclamações.

Reclamações, cada um faz do seu jeito. Nem sempre do melhor jeito. Ou da forma mais suave. Uns mais polidos e temerosos. Outros mais arrojados e agressivos. Nem por isso sem direitos ou sem razão.

Na maturidade de um cargo público, era de se esperar menos espelho e umbigo e mais humildade e partilha.

Por humildade entendo a percepção de saber que pode errar. O desprendimento de ouvir outras posições, não só a sua própria. E a grandeza de aceitar, se desculpar, mudar o rumo quando necessário. Não é o que estamos vendo acontecer.

Uma pessoa que ocupa um cargo público não deveria perder o foco de que isso não a torna majestade. Nem a dona da razão. De que ela está ali sendo paga pelo povo. Sua função é a de servir ao povo. Não se serve a quem não se escuta.

Tudo tem retorno. Se faço, preciso saber se foi bom, se agradou. E melhorar, aprimorar, mudar, crescer junto. Se, ao contrário, me esforço em calar as críticas, me atolo na mediocridade. Ali não há crescimento.

Calar as diferenças. Sumir com quem discorda. Assim se fazia na França, antes da revolução. Assim foi no Brasil da ditadura. Assim será no município do Rio de Janeiro em pleno ano de 2015?

Professores são muito perigosos. Por isso tão maltratados. Professores questionam, divulgam, tiram antolhos, ampliam a visão. Como não podem chicotear Breno Mendes em praça pública, lhe tiram o emprego. E deixam no ar a ameaça. Quem é esperto que entenda e coloque o rabo entre as pernas.

Estão mandando Breno Mendes embora. Tirando o pão da boca de um trabalhador. Agora é Breno Mendes. Não se iludam. Ele é só o primeiro. Vai chegar a sua vez.

Os professores e alunos de Breno Mendes estão fazendo uma petição para tentar impedir a demissão . Deixo aqui o link para quem se interessar em assinar.

https://secure.avaaz.org/po/petition/Para_o_prefeito_do_rio_de_janeiro_Nao_demitam_um_professor_da_rede_municipal/?nGBAnhb

 

Leia Também:

Desisti de ser professor do Estado

Related posts