Nos trilhos – Por: Fernanda Pompeu

É de domínio público que a inteligência é inerente ao ser humano, independentemente do seu grau de educação e cultura. Por isso, pela vida, encontramos analfabetos muito argutos e doutores bem obtusos. Mas, seja de que gramatura for, há um casamento inteligência-humanos.

Também sabemos que o cérebro trabalha, preferencialmente, por associação. Ele conecta um cheiro a uma ideia, um gosto a uma lembrança, uma imagem ao seu contrário e assim sucessivamente. Não é algo que a gente controle. Nós associamos de forma autônoma, imediata.

Outra experiência que já validamos é que quanto maior o repertório, mais reserva de combustão para fazermos associações. Melhor, quanto mais letramento e cultura geral tivermos, mas fácil e rápida será a interseção, a capacidade de estar ao mesmo tempo em um conjunto e num outro. Alguns chamam essa cultura geral de cultura de almanaque.

Conheço algumas pessoas com essa maravilhosa habilidade. Você fala a palavra Croácia e o almanaqueiro já diz qual o PIB e o IDH dos croatas. Você comenta que estacionou a bicicleta perto da Escola Politécnica da USP e o almanaqueiro solta três ou quatro frases sobre Antonio Francisco de Paula Souza – um dos fundadores e primeiro diretor da Poli.

É claro que há os detratores da cultura de almanaque. Alegam que seu adeptos pecam pela superficialidade do conhecimento. Não se tornam especialistas nem em geografia, nem em engenharia. A quem os acusem de palpiteiros. Ou os chamam de curiosos. Mas aí eu penso: a curiosidade é um bem imaterial inestimável. Ela é quem faz a gente procurar mais.

Têm também os mais jovens que se perguntam: para que cultura geral se a Santa Internet está aí ao alcance de todos? Ela responde qual o PIB e IDH da Croácia e traz a biografia do Paula Souza. Tudo verdade! Impossível concorrer com ela. Mas há muitas coisas que os buscadores não resolvem para nós.

Eles são fraquinhos em associações e péssimos em interseções. Quero dizer, até fazem. Mas só entre assuntos semelhantes. Eles não me ajudam com os contrários e não sabem nada de combinações inusitadas. Em outras palavras, eles não criam!

O século XXI, com seus quatorze aninhos, anda ensinando que os mapas estão todos aí. Mas quem escolhe para onde ir ou não ir somos nós. Quanto maior nosso repertório cultural e armazém de referências maior é a facilidade de pôr a locomotiva para viajar.

Fonte: Yahoo

+ sobre o tema

Metade das crianças violentadas foi agredida mais de uma vez

O Brasil registrou 58,3 mil casos de estupro de crianças e...

SP enquadrou 31 mil negros como traficantes em situações similares às de brancos usuários

Para a polícia de São Paulo, a diferença entre um traficante e...

STF retoma julgamento sobre descriminalização do porte de drogas

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma nesta quinta-feira (20)...

STF começa a julgar nesta terça (18) supostos mandantes da morte de Marielle

O Supremo Tribunal Federal (STF) inicia, na tarde desta...

para lembrar

“Só os antipáticos são sinceros”, por Mario Sergio Cortella

“Só os antipáticos são sinceros”, por Mario Sergio Cortella....

Casal Obama tenta dar toques inovadores a jantares oficiais

Fonte: Terra - É uma velha tradição, um jantar na...

Gilberto Maringoni: São Paulo entre 5 e 9 de julho

  As comemorações de 9 de julho em...

Brasil investe pouco em prevenção de desastres

Separada por duas ruas da margem do rio dos...

PL antiaborto viola padrões internacionais e ameaça vida, diz perita da ONU

O PL antiaborto viola padrões internacionais de direitos humanos e, se aprovado, representaria uma ameaça para a vida principalmente das mulheres mais pobres do...

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu a obra Mulheres Sonhadoras, Mulheres Cientistas, composta por dois livros, das escolas e bibliotecas do município. Escritos por...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e constranger o governo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, facilitou a aprovação de...
-+=