Operação liderada por SC identifica extremistas com referências ao neonazismo em investigados por discurso de ódio na internet

Enviado por / FonteG1, por Caroline Borges

Ação foi resultado de uma investigação sobre os ataques racistas que um servidor público de Blumenau, no Vale do Itajaí, e a enteada dele sofreram em 2022.

A Polícia Civil de Santa Catarina concluiu na segunda segunda-feira (23) a fase de análise preliminar dos materiais apreendidos na Operação Trend, deflagrada em nove estados no início do mês contra suspeitos de racismo e discurso de ódio na internet. Segundo os investigadores, os suspeitos identificados são extremistas e com referências ao neonazismo.

Deflagrada em 5 de outubro, a ação é resultado de uma investigação sobre os ataques racistas que um servidor público de Blumenau, no Vale do Itajaí, e a enteada dele sofreram. Os dois são negros e, em outubro de 2022, receberam as mensagens racistas ao publicarem imagens com os trajes típicos da Oktoberfest.

A ação do início do mês foi coordenada por Santa Catarina, cumpriu 16 mandados de busca e apreensão e aconteceu em parceria com o Ministério da Justiça. Entre os alvos, há suspeitos de integrarem células neonazistas (veja os números abaixo).

Todo o material apreendido foi enviado a Santa Catarina e analisado. Conforme o delegado Arthur Lopes, no “mapa do racismo” na internet descoberto, os investigadores identificaram entre os integrantes adolescentes do sexo feminino a homens mais velhos cometendo os crimes.

No total, foram 19 aparelhos celulares apreendidos dos suspeitos, além de computadores e outros documentos. Cerca de 100 policiais de diferentes estados participaram da ação. As investigações continuam em sigilo.

Mandados

Dos 16 mandados de busca e apreensão, dois foram cumpridos em Santa Catarina. Veja a lista completa das cidades com diligências:

  • Santa Catarina: Joinville e Florianópolis;
  • Paraná: Santa Cruz de Monte Castelo e São José dos Pinhais;
  • Rio Grande do Sul: Rio Pardo e Porto Alegre;
  • Minas Gerais: Belo Horizonte;
  • Ceará: Caucaia;
  • Rio de Janeiro: Rio de Janeiro e Miguel Pereira;
  • São Paulo: São Paulo e Itapecirica da Serra;
  • Pará: Altamira;
  • Distrito Federal: Brasília, Planaltina;
  • Mato Grosso: Primavera do Leste.

Criada em 2021, a delegacia de Repressão ao Racismo e Delitos de Intolerância (DRRDI) já realizou 12 operações contra suspeitos de integrar células nazistas ou cometer crimes de ódio dentro e fora da internet. O órgão está na estrutura organizacional da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC).

+ sobre o tema

Miss é eliminada por ser mãe. Em que ano estamos?

Elas precisam ser lindas, altas e magras. Além disso,...

MinC seleciona projetos de hip-hop inscritos no Prêmio Cultura Viva

A Secretaria de Cidadania e Diversidade Cultural do Ministério...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase...

para lembrar

4 efeitos do racismo no cérebro e no corpo de crianças, segundo Harvard

A conclusão é do Centro de Desenvolvimento Infantil da...

A luta pela maternidade plena no feminismo negro

Como advogada criminalista e ativista do movimento negro, todos...

Vacina e racismo: brancos são 2 vezes mais vacinados do que negros, diz Agência Pública

O racismo é de tal forma estrutural no Brasil...
spot_imgspot_img

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase que o antropólogo Kabanguele Munanga, uma das maiores autoridades do Brasil em estudos raciais, define...

Jornalista é vítima de injúria racial dentro de supermercado da Baixada Fluminense

O colunista Daniel Nascimento, do jornal O Dia, foi vítima de injúria racial em um supermercado de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, na última...

Após vítima de agressão ser detida, motoboys fazem ato contra o racismo no RS

Após um homem negro ser ferido com uma faca e preso por policiais, o Sindicato dos Motoboys de Porto Alegre, no Rio Grande do...
-+=