Os 90 minutos fatais para uma mulher

O Brasil, pese a contar com algumas das leis mais severas do mundo, ainda ocupa o sétimo lugar mundial em assassinatos de mulheres cometidos por seus companheiros ou ex-companheiros. Depois de oito anos de vigor da lei contra a violência machista, a conhecida Lei Maria da Penha, uma mulher é assassinada a cada 90 minutos no Brasil, em um episódio de violência doméstica ou de gênero. Frustrados pela alarmante realidade, um grupo de jovens estudantes do Paraná se lançou, com o celular em mãos e conectados a redes sociais, a tentar chamar a atenção sobre o problema. Os garotos não só tiveram grande repercussão, como além disso ganharam um concurso de curtas-metragens do Congresso contra a violência de gênero. Este vídeo é o testemunho de seu esforço.

Por: MARIANA KAIPPER CERATTI

Fonte: El Pais 

+ sobre o tema

Mapa da PRF aponta recorde de pontos de exploração sexual de menores em BRs

A sexta edição do "Mapeamento dos Pontos Vulneráveis à...

Julho das Pretas

Um mês depois de a multidão indignada arrancar do...

Corpo de Maria Eduarda tinha quatro ferimentos, dizem peritos

Peritos que estiveram na Escola Municipal Daniel Piza, na...

‘Ele batia nela’, diz mãe de mulher concretada na casa do ex no RS

Corpo de Jaciele dos Santos foi achado pela polícia...

para lembrar

Mulheres são maioria dos cientistas no Brasil, mas quase nunca chegam ao topo

A física Márcia Barbosa, professora titular do Instituto de...

Passistas se unem contra machismo e racismo no Carnaval

Projeto 'Samba, pretinha' dá voz à mulher no samba Do Bar...

A longa transição de escrava a empregada doméstica

Novo livro lança luz sobre origem e permanência de...
spot_imgspot_img

CNJ pede explicações a juízas sobre decisões que negaram aborto legal

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta sexta-feira (12) intimar duas magistradas do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a prestarem esclarecimentos sobre...

Instituto Mãe Hilda anuncia o lançamento do livro sobre a vida de matriarca do Ilê Aiyê

O livro sobre a vida da Ialorixá Hilda Jitolu, matriarca do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e fundadora do terreiro Acé...

Centenário de Tia Tita é marcado pela ancestralidade e louvado no quilombo

Tenho certeza que muitos aqui não conhecem dona Maria Gregória Ventura, também conhecida por Tia Tita. Não culpo ninguém por isso. Tia Tita é...
-+=