Os traços da hereditariedade: cor, raça e eugenia no Brasil

Lançado coincidentemente na semana em que se comemora o dia da consciência negra, O livro Os traços da hereditariedade: cor, raça e eugenia no Brasil, publicado pela Editora Prismas (380 páginas), é fruto da dissertação de mestrado de Leonardo Dallacqua de Carvalho, hoje doutorando em História das Ciências e da Saúde na Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz. Defendida em 2014, na Universidade Estadual Paulista/UNESP, a pesquisa que gerou o livro é um convite para compreender a eugenia no Brasil, em especial, com enfoque na questão racial.

Por Gerson Pietta via Guest Post para o Portal Geledés

Dividida em quatro capítulos, o autor procurou trabalhar desde a gênese do pensamento de Francis Galton, cientista inglês que cunhou o termo eugenia, até sua recepção no Brasil e como foi articulada pelas intelligentsia nacional. Em destaque, deve-se ressaltar as fontes utilizadas pelo pesquisador, uma vez que analisou edições da revista de variedades Careta entre os anos de 1930- 1934 para situar a discussão no semanário sobre raça, cor e eugenia no Brasil. As análises foram feitas por meio de crônicas e caricaturas, o que presenteia o leitor com saborosas ilustrações e sugerem a visão do semanário acerca das questões raciais daquele período.

Uma das contribuições está justamente em perceber as posições de um periódico no que diz respeito a condição hierarquizada da sociedade brasileira onde o negro, o miscigenado e o amarelo estariam postados à margem da sociedade no nível educacional, econômico, político e etc.. Aliás, a eugenia estaria na membrana de parte desse discurso de segregação social, sobretudo, com o pensamento médico aliado as decisões políticas. A Careta, iria se posicionar fortemente contra as investidas da “padronização” dos tipos humanos.

Talvez, o que resuma bem a obra é parte do prefácio do professor Dr. Vanderlei Sebastião de Souza, um dos maiores especialistas sobre o tema da eugenia no Brasil:

Transitando com habilidade pela história intelectual brasileira, o livro Os traços da hereditariedade: cor, raça e eugenia no Brasil é, portanto, uma obra que conduz o leitor para um amplo debate sobre o modo como o discurso de intelectuais e cientistas intervem no mundo social, criando uma variedade de imagens, interpretações e estereótipos sobre o país e a identidade nacional. Mais importante que isso, o livro nos permite uma reflexão profunda sobre a centralidade da questão racial e os dilemas relacionados à cor e identidade na sociedade brasileira. Por último, é preciso destacar que o livro de Leonardo Dallacqua de Carvalho é uma dessas obras que desperta o gosto pela história e pelas interpretações que fundaram o Brasil, aguçando no leitor a crítica e a curiosidade pelo conhecimento de um capítulo importante na história das ciências e do pensamento social brasileiro.

O livro está disponível no site da Editora Prismas e, em breve, nas principais livrarias do país.

Gerson Pietta,

Mestre em História pela Universidade Estadual do Centro-Oeste – UNICENTRO/PR.

+ sobre o tema

para lembrar

Nike britânica é acusada de racismo e apologia à violência

Campanha da marca em Londres sofreu críticas por trazer...

Cidade italiana queima boneco de Salvini em ato antirracista

Um grupo de manifestantes ateou fogo em um fantoche...

Comissário europeu que falou demais sobre Portugal acusado de racismo

Guenther Oettinger provocou polémica em Portugal ao falar do...
spot_imgspot_img

SC tem alta de 51% nos casos de injúria racial e lidera denúncias do crime no país

Em Santa Catarina, seis pessoas procuraram a polícia por dia, em média, para denunciar casos de injúria racial em 2023. No ano passado, 2.280 pessoas sofreram ofensas...

O destino dos negros

A semana em que o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) completou 14 anos foi repleta de notícias que atestam o quanto o Brasil está longe...

Roda de samba no Centro do Rio registra dupla imitando macacos em evento: ‘não será tolerado’

O PedeTeresa, roda de samba que acontece na Praça Tiradentes, no Centro do Rio, compartilhou um vídeo de uma dupla imitando macacos em um...
-+=