Péricles diz que sucesso na música trouxe respeito a ele: ‘Homem negro e gordo’

O cantor Péricles está ativo na música desde os anos 80, quando se juntou ao grupo Exaltasamba. Com vários hits em mais de 30 anos de carreira, o artista reconhece que o sucesso fez com que muitas pessoas o respeitassem.

O assunto foi abordado durante uma live concedida ao perfil da ‘GQ Brasil’ no Instagram, com transcrição do ‘Uol’. Durante o papo, o cantor refletiu sobre a fama e o reconhecimento na música.

“A música foi uma porta para que eu pudesse proporcionar uma vida melhor para minha família. A música me proporcionou respeito, para que eu, homem negro e gordo, pudesse chegar nos lugares”, disse.

Péricles acredita, inclusive, que esse mesmo respeito será transferido a seus filhos – especialmente Maria Helena, nascida no início de 2020. “Ela vai ser uma mulher, negra, numa sociedade que não respeita ninguém. Mas ela vai ter o amor da família e espero que ela nunca esqueça isso. O mundo pode ser cruel, mas dentro de casa ela vai ter amor”, afirmou.

O primogênito, Lucas, também terá de lidar com o mundo “cruel” citado por Péricles. “O que eu ensinei para o Lucas, eu vou ensinar para ela. Todo mundo é igual e merece respeito”, declarou.

Em outras entrevistas, especialmente nos últimos anos, Péricles tem falado mais sobre a questão do racismo. Durante outra live, desta vez com o site ‘iG’, o artista declarou que sente o preconceito na pele até hoje.

“Eu sofri racismo antes, durante e depois da fama. Não deixou de acontecer. Pessoas mudam de lugar no avião, acontece essas coisas, mas elas nunca vão dizer o que é. Não é a fama e o dinheiro que apaga a cor da pele de ninguém. Outros artistas podem afirmar isso também”, comentou.

+ sobre o tema

Djamila Ribeiro: “Somos um país que nunca aboliu materialmente a escravidão”

Em entrevista, a filósofa fala de seu livro ‘Pequeno...

Cachê Menor: Modelos negras fazem protesto por cotas no SP Fashion Week

Fonte: Gazeta Online - A polêmica das cotas, que...

O Esporte, o racismo e os estereótipos

Filme que marcou época nos anos 1990, principalmente na...

Governo Federal garante inclusão social da população negra

As comunidades quilombolas representam um patrimônio cultural do Brasil....

para lembrar

spot_imgspot_img

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....
-+=