Polícia de SC investiga denúncia de racismo em escola; tranças de menina teriam sido cortadas

Caso envolve duas alunas adolescentes. Unidade de ensino fica em Pedras Grandes.

A Polícia Civil instaurou um auto de apuração de ato infracional para apurar uma denúncia de racismo em uma escola estadual de Pedras Grandes, no Sul do estado. A mãe da suposta vítima procurou a delegacia na tarde desta terça-feira (16), seis dias após publicar um vídeo com pedido de ajuda nas redes sociais. O caso ocorreu em 3 de novembro, informou o delegado Willian Meotti.

“É investigado como ato infracional análogo ao crime de injúria racial. A suposta autora, acompanhada de responsável legal, será ouvida durante essa semana”, disse Meotti.

Em vídeo publicado nas redes sociais, a mãe da menina, Cristina Zelma, relata que a filha teve as tranças do cabelo cortadas por uma colega dentro da sala de aula e que a jovem não quer mais voltar à escola.

“A minha filha usa trancinhas e uma colega cortou as tranças dela. A minha filha virou para trás e perguntou por que ela tinha cortado e a menina falou que quis cortar e que o cabelo da minha filha era de negro e que era ruim”, desabafa.

Na mesma gravação, Cristina relata que a adolescente procurou a professora ao perceber que as tranças e a corda da máscara usada no dia foram cortadas, mas que a educadora não agiu. No dia seguinte, a ação teria se repetido.

“Quando chegou no outro dia, aconteceu o mesmo incidente dentro do ônibus escolar. Minha filha chegou dentro de casa chorando desesperada, que não queria mais ir para a escola”, conta.

Representantes legais de Cristina, as advogadas Alice Reis e Letícia Favarin informaram que a adolescente está em casa e que se recusa a ir à escola.

“Hoje, como procuradoras, nos dirigimos até a escola, para que esta prestasse todo suporte virtual a menina, para assim não perder as atividades”, disse Alice.

A Secretaria de Estado da Educação afirmou em nota nesta terça que “está apurando todos os fatos e tomando providências desde que foi informada de uma denúncia de racismo envolvendo estudantes de uma escola da região”.

Também afirmou que “está orientando a coordenadoria regional e a equipe gestora da unidade escolar para que tomem todas as medidas administrativas e pedagógicas cabíveis diante do caso. Também garante todo apoio à vítima e preservação da identidade dos envolvidos”. Por fim, disse que “lamenta e repudia qualquer ato de violência”.

+ sobre o tema

Cotas raciais serão rediscutidas na UnB

Em 2003, a direção da universidade começou a discutir...

Holocausto brasileiro: 50 anos sem punição (Hospital Colonia) Barbacena-MG

Milhares sucumbiram de frio, fome, tortura e doenças curáveis;...

Sem educação, não há liberdade

Folha de São Paulo - Tendências/Debates Data: 13/05/09 ...

Reitor abre processo interno e pede ao MP para apurar o caso de racismo contra estudante nigeriano

Alunos da Universidade Federal do Maranhão fizeram um abaixo-assinado...

para lembrar

TJ suspende cotas em universidades públicas do Rio de Janeiro

- Fonte: Estado de São Paulo - Publicada...

Pela primeira vez um deputado árabe israelense visita Auschwitz

AUSCHWITZ, Polônia - Pela primeira vez um deputado...

Seminário em BH debate o combate ao genocídio da juventude negra e estratégias de resistência

O seminário Vidas Jovens Negras Importam, que acontece entre os dias...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=