Programa CQC é investigado por racismo e intolerância

O programa Custe o Que Custar (CQC), veiculado pela TV Bandeirantes, é alvo de um inquérito policial motivado por uma série de denúncias do Conselho da Comunidade Luso-Brasileira do Estado de São Paulo, que acusa o programa de ofender a honra da comunidade portuguesa com piadas e comentários racistas e intolerantes.

As denúncias estão sendo investigadas pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi). Conforme a comunidade luso-brasileira do Estado, as reclamações contra o programa partiram de portugueses que ficaram indignados com as piadas feitas durante a Eurocopa, em 2012.

O repórter responsável pela cobertura, Ronald Rios, teria feito comentários que brincam com os costumes e inteligência com os portugueses. “A mulher portuguesa é bigoduda”, dizia uma das piadas.

O apresentador do CQC, Marcelo Tas, mostrou-se surpreso com as denúncias. “Não acreditei que seríamos processados por uma piada de 1.500”, diz ele.

 

Fonte: A Tarde

+ sobre o tema

O racismo começa na gravidez

Série de reportagens aborda a realidade de mulheres negras...

Visão racista da religião

As violências cotidianas contra as religiões de matriz africana...

Confissões de um cotista

Desde que o Brasil é Brasil – e a...

Motorista de ônibus discrimina passageiro catador de latinha no Rio

"Ele não tá errado, não. Ele está trabalhando e...

para lembrar

Hackers tiram do ar site de Preta Gil

Os invasores deixaram uma mensagem na página da cantora...

Todos os dias uma ação de intolerância e racismo no Brasil

Mais um caso de intolerância, desta vez em Foz...

Pesquisador diz que piadas racistas reforçam padrão colonial

Piadas sobre negros ainda são usadas para desqualificar...

Vidas e lutas na diáspora africana nas Américas

enviado por, Amauri Mendes Pereira* “Será que permiti à luta...
spot_imgspot_img

Educação escolar de negros com deficiência é marcada por capacitismo e racismo

Apesar da acessibilidade ser um direito garantido por lei para as pessoas com deficiência, a falta de ambientes acessíveis foi um dos principais problemas...

Em ‘Sitiado em Lagos’, Abdias Nascimento faz a defesa do quilombismo

Acabo de ler "Sitiado em Lagos", obra do ativista negro brasileiro Abdias Nascimento, morto em 2011, no Rio de Janeiro. A obra, publicada agora pela...

Registros de casos de racismo aumentam 50% entre 2022 e 2023 no estado de SP

Números obtidos via Lei de Acesso à Informação pela TV Globo, mostram que o número de ocorrências registradas por racismo e injúria racial tiveram alta...
-+=