Quase tatuagem: na África, as pessoas fazem arte na própria pele

A técnica da escarificação, marcas feitas na pele através da navalha, são parte da cultura de algumas tribos africanas como Bodi, Mursi e Surma, que vivem na Etiópia, além de Karamojong, no Uganda, e Nuer, no Sudão do Sul. Testas marcadas, por exemplo, são consideradas uma parte fundamental no processo de transição de menino para homem, enquanto algumas cicatrizes representam um sinal de pertença a determinadas tribos.

Essas marcas impressionantes de cicatriz formam agora a incrível série de fotografias do fotógrafo francês Eric Lafforgue, que viajou pelo continente africano observando as cerimônias de corte e conhecendo os locais. Durante uma visita à tribo Surma, que vive no remoto Vale do Omo, ele assistiu a uma cerimônia de escarificação, que envolveu a criação de símbolos, onde foram usados apenas espinhos e uma navalha.

Em reportagem ao Daily Mail, Lafforgue disse que uma garota de 12 anos não mostrou nenhum sinal de dor durante os 10 minutos de escarificação, permanecendo em silêncio. Após o término, a menina confessou que estava à beira de um colapso, mas que as marcas são um sinal de beleza dentro da tribo, embora mulheres não sejam obrigadas a participar.

A prática tem se tornado arriscada, pois ao utilizar a mesma navalha em diversos membros da tribo, surge um problema: a hepatite. Além disso, a AIDS também faz parte dos riscos a que essas tribos estão expostas.

Porém, Lafforge explicou que a arte tribal está desaparecendo aos poucos. “Em parte, por causa de uma melhor educação e aumento do número de pessoas que se voltaram para o cristianismo, mas também porque é um sinal muito visível de pertencimento tribal em uma área que tem sofrido muitas disputas”, explicou ele ao tabloide.

africa15

africa14

africa13

africa12

africa11

africa10

africa9

africa8

africa7

africa6

africa2

africa1

 

Fotógrafo registra tribos e comunidades remotas prestes a serem extinguidas; veja fotos

 

Fotografias de tribos do Vale do Rio Omo

 

Fonte: Hypeness

+ sobre o tema

Seu Jorge fala sobre música tema do Pan-Americano; veja trechos

Cantor brasileiro gravou canção em parceria com mexicano Alejandro...

Site resgata obras inéditas de Chiquinha Gonzaga

  Primeira maestrina do Brasil, pioneira na luta...

O documentário ‘Anderson Silva: Como Água’ será lançado no Brasil em 2012 – Trailer

O documentário "Anderson Silva: Como Água" será lançado no...

para lembrar

The Beatles do dia: americanas conseguem bater recorde de 27 anos

Quarteto do revezamento 4x100m feminino reduz em 55 centésimos...

A história de mulheres negras no esporte

Bobby Gee | Traduzido por Guilherme Ferreira Venus Williams,...

Frank Negrão presta tributo a Luiz Gonzaga

Com larga experiência em música popular brasileira, Frank Negrão...

Ouça ‘Somewhere’, música inédita de Jimi Hendrix

RIO - "Somewhere", música inédita gravada por Jimi...
spot_imgspot_img

Casa onde viveu Lélia Gonzalez recebe placa em sua homenagem

Neste sábado (30), a prefeitura do Rio de Janeiro e o Projeto Negro Muro lançam projeto relacionado à cultura da população negra. Imóveis de...

No Maranhão, o Bumba meu boi é brincadeira afro-indígena

O Bumba Meu Boi é uma das expressões culturais populares brasileiras mais conhecidas no território nacional. No Maranhão, esta manifestação cultural ganha grandes proporções...

“O batuque da caixa estremeceu”: Congado e a relação patrimonial

“Tum, tum-tum”, ouçam, na medida em que leem, o som percussivo que acompanha a seguinte canção congadeira: “Ô embala rei, rainha, eu também quero...
-+=