São Paulo inaugura base móvel para atender vítimas de homofobia

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vai inaugurar nesta segunda-feira (29) uma base móvel para atender vítimas de crimes de homofobia. A unidade, que poderá realizar até três atendimentos ao mesmo tempo, também servirá para divulgar programas municipais voltados ao público LGBT.

Do  Folha de S. Paulo

Foto: Danilo Verpa
Foto: Danilo Verpa

Segundo a prefeitura, a van ficará no largo do Arouche (centro) de quinta a domingo, das 18h às 23h, mas poderá circular por outros pontos da região central.

A escolha do local, segundo a prefeitura, foi definida devido ao grande público que frequenta os bares e boates LGBT da região. “Por essa característica, o local tem se tornado um ponto de turismo LGBT, inclusive sendo citado em guias especializados e recebendo, anualmente, turistas de diversas partes do Brasil e do mundo”, diz o informe do município.

Foto: Danilo Verpa
Foto: Danilo Verpa

A apresentação da unidade móvel LGBT será às 11h desta segunda, em frente à prefeitura, no viaduto do Chá.

A administração municipal prevê até 2016 a instalação de outras quatro unidades móveis, cada uma vinculada a outros Centros de Cidadania LGBT regionais que devem ser inaugurados. O investimento anual no veículo é de R$ 261 mil.

 

+ sobre o tema

9 coisas que você faz que perpetuam a cultura do estupro

Não adianta falarmos só do estupro, crime, tipificado no...

Sapiossexualidade : Quando a libido é estimulada pela admiração intelectual

O prefixo da palavra tem origem do latim sapien,...

“Sou negra e minha mãe branca disse que não existe negro bonito no Brasil”

Relatos de vivências cotidianas como perseguição de seguranças em...

para lembrar

Filho de casal gay está em coma após ser espancado na escola por homofobia

Um adolescente de 14 anos foi espancado por cinco...

Edição especial: Desenvolvimento Sustentável e Igualdade de Gênero

A publicação foi lançada durante a Conferência Rio+20, realizada...

No ano passado, 29 mulheres mortas na intimidade deixaram 46 crianças órfãs

Menos mulheres foram assassinadas em contexto de violência doméstica...
spot_imgspot_img

Pesquisadora aponta falta de políticas para diminuir mortalidade materna de mulheres negras no DF

"O Brasil é um país muito difícil para uma mulher negra ser mãe, por diversos fatores, dentre eles as dificuldades de acesso a saúde pública,...

Documentário sobre Lélia Gonzales reverencia legado da ativista

Uma das vozes mais importantes do movimento negro e feminista no país, Lélia Gonzales é tema do Projeto Memória Lélia Gonzalez: Caminhos e Reflexões Antirracistas e Antissexistas,...

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...
-+=