quinta-feira, maio 28, 2020

    Resultados da pesquisa por 'juventude negra'

    Bandeira da ONU. Foto: Getty Images

    ONU lamenta a morte do menino João Pedro e faz apelo pela vida da juventude negra

    O Sistema ONU no Brasil compreende que evidências são necessárias para entender e enfrentar a violência contra a juventude negra. Cada vida conta e a violência letal contra adolescentes e jovens não deve ser naturalizada, transformando-se em lamentável estatística. No Brasil, o homicídio configura-se hoje como a principal causa de morte de adolescentes e jovens. A morte de João Pedro, assim como a de muitos e muitas adolescentes e jovens, majoritariamente negros e do sexo masculino, nos mostra o quão urgente é a necessidade de intensificar esforços e investimentos para reverter esse quadro. Nos preocupa particularmente o aumento de letalidade em consequência de ações das forças de segurança. João Pedro é mais um desses adolescentes negros que não atingiu a juventude, não conseguiu vencer o conjunto de vulnerabilidades às quais esteve sujeito em sua curta existência. Adolescentes como João Pedro têm muitos nomes e estão em todo o país. A ...

    Leia mais
    Imagem retirada do site IPolítica

    A farsa da abolição escravocrata no sul da Bahia e os desafios da juventude negra

    Você acha justo uma mulher estuprada por anos, até décadas, carregar o sobrenome, as cicatrizes psicológicas e frutos materiais de quem a estuprou? Pois é essa analogia cruel que muitos historiadores e sociólogas utilizam para falar da crueldade do escravismo brasileiro e sua continuidade com outros nomes hoje em dia. A lembrança datada em treze de maio, uma ação dos escravocratas brasileiros para impedir o avanço das organizações negras que se movimentavam organizando negras e negros, é uma lembrança repudiada por todas as pessoas que tem o mínimo de consciência negra, letramento racial e leitura antirracista. Esse conteúdo é para essas pessoas e também para as herdeiras dos frutos materiais de séculos de escravismo. Escravismo aceito pelo poder público, igrejas, grande mídia e tantas estruturas sociais e econômicas da época. E sim, estou falando dos sobrenomes que hoje dominam a política e economia brasileira herdeiras desses séculos de sangue, suor, ...

    Leia mais
    Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

    A juventude negra evangélica tem algo a afirmar: Não somos modinha

    Nos últimos anos, percebemos o crescimento da população evangélica no Brasil. Segundo o Censo de 2010, são 42 milhões de evangélicos no país, dos quais cerca de 23 milhões são pessoas negras. Ou seja, a maioria dos evangélicos são negros, e, junto com o aumento da presença de jovens negros nas universidades, vivemos no Brasil um momento em que a juventude negra evangélica começa a tomar mais consciência racial. Entretanto, esbarramos em um obstáculo: na igreja e nos seminários, as histórias e referências de negras e negros evangélicos que atuaram na luta antirracista do Brasil foram apagadas. Não existem muitos documentos ou produções de fácil acesso e didáticas para o jovem negro conseguir afirmar que não existe conflito entre sua cor, sua luta e sua fé. Isso também não chega aos movimentos sociais. Então, quando a juventude negra evangélica começa a atuar dentro do movimento negro, ela começa a ter ...

    Leia mais
    Foto: Gabriel Castro Herrera

    “Precisamos combater de forma efetiva o genocídio da juventude negra”, diz vereador Silvio Humberto

    O Portal Mídia 4P, site voltado especificamente para a questão racial, propôs, no Dia da Consciência Negra, que personalidades negras refletissem sobre a data. Para todos os (as) entrevistados (as) foram encaminhadas as mesmas perguntas. Abaixo, seguem as respostas do presidente do PSB em Salvador, o vereador Silvio Humberto . Por Anderson Sotero, do Mídia-4P O vereador Silvio Humberto (Foto: Gabriel Castro Herrera) 4P – O Dia Nacional da Consciência Negra é comemorado há 16 anos. Nesse intervalo, o que mudou? Silvio Humberto – A primeira marcha da consciência negra comemora neste ano 40 anos. A minha entrada no movimento negro está intrinsecamente ligada a essa ação, onde a minha razão de ser na política tem nome e sobrenome: movimento negro, em particular, aqui da Bahia, e eu guardo a minha camisa até hoje. Muita coisa mudou, onde essas mudanças foram frutos das nossas ações. Muitas ...

    Leia mais
    Genocídio do povo negro (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

    Audiência na ALERJ debate as violações de Estado em favelas e o genocídio da juventude negra no Rio

    Uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) debaterá na próxima quinta-feira, 17 de outubro, das 10h às 14h, a crescente onda de violações dos direito dos moradores das favelas e periferias do Estado e o genocídio da juventude pobre e negra. A audiência "Mães e Mulheres Moradoras de Favelas para debater a Política de Segurança Pública no RJ” reunirá as comissões da Mulher, Direitos Humanos, Discriminação, Educação, Trabalho e Habitação acontece no Plenário Barbosa Lima Sobrinho no Palácio Tiradentes. Além de mães e familiares de vítimas de estado estarão presentes representantes da FAF-Rio (Federação Municipal das Favelas do Rio), FAFERJ (Federação de Favelas do Estado do Rio de Janeiro), presidentes de diversas associações de moradores, integrantes do movimento Parem de Nos Matar e diversos outros movimentos sociais. Juntos exigem que os moradores de favelas tenham os mesmos direitos e liberdades civis constitucionais que os demais moradores ...

    Leia mais
    Foto- Facebook: Fejunes

    Começam preparativos para Marcha Contra o Extermínio da Juventude Negra

    Fejunes e movimentos sociais definiram o tema, local e horário do tradicional ato de 20 de novembro no Século Diario Foto- Facebook: Fejunes O Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo (Fejunes) deu início aos preparativos para a organização da Marcha Contra o Extermínio da Juventude Negra, que organiza anualmente junto a outros movimentos sociais capixabas no dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra. Este ano a marcha terá início às 15h, saindo da Casa Porto, no Centro de Vitória. Na primeira reunião, realizada no último domingo (1), foi definido o lema do ato de 2019: "Eles combinaram de nos matar, nós combinamos de não morrer". A marcha chega à sua décima segunda edição este ano, tendo sido realizada pela primeira vez em 2007, a partir da criação de Fejunes após participação de uma delegação capixaba no I Encontro Nacional da Juventude Negra (Enjune) na ...

    Leia mais
    PAREM DE NOS MATAR - imagem Geledes Instituto da Mulher Negra

    Não há mais urgente debate no país que o genocídio da juventude negra

    Enquanto a classe média não cair em si para entender o drama da situação, seguirá alienada e reproduzindo outras violências Por  ANA INÊS ALGORTA LATORRE, da Carta Capital    PAREM DE NOS MATAR - imagem Geledes Instituto da Mulher Negra Ao acordar, leio estarrecida mais uma notícia sobre a letalidade policial no Rio de Janeiro. Do início do ano até maio, 434 pessoas – sim, 434 vidas humanas – foram mortas pela polícia carioca, o maior número em 21 anos, e segue crescendo. Enquanto isso, ao invés de manifestarem preocupação com a situação, que seria o mínimo a esperar delas, as autoridades estaduais e federais seguem prometendo o aumento no número de mortes. Fico sabendo de Gabriel, Elisabeth, Dyogo. Mortos aos 18, 17, 16 anos, todos jovens negros moradores de favelas do Rio. Dyogo foi morto pelas costas com um tiro de fuzil. Elisabeth recebeu dez ...

    Leia mais
    Foto- UNFPA Brasil:Thais Rodrigues

    Gestores públicos, ONU e sociedade civil discutem em Recife violência contra juventude negra

    Uma pessoa negra entre 15 e 19 anos tem hoje três vezes mais chance de ser assassinada do que uma pessoa branca na mesma faixa etária no país. Pesquisas recentes mostram que este fenômeno também se distribui de forma desigual pelos municípios brasileiros. Em 2015, 111 municípios — ou seja, 2% do total — responderam por metade dos homicídios. no Nações Unidas Foto- UNFPA Brasil:Thais Rodrigues Os dados demonstram que o enfrentamento à violência no Brasil merece atenção de gestoras e gestores públicos. Pensando nisso, a ONU Brasil, em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos e a Prefeitura de Recife, realizou esta semana na capital pernambucana o primeiro seminário “Vidas Negras: diálogos sobre ações governamentais de enfrentamento à violência contra as juventudes”. Uma pessoa negra entre 15 e 19 anos tem hoje três vezes mais chance de ser assassinada do que uma pessoa branca na ...

    Leia mais

    A juventude negra reivindica a construção de novas narrativas

    I’sis Almeida e Caio César, expoentes de uma nova geração disposta a descrever a realidade sem estereótipos Por Brenda Cruz Do Carta Capital  I'sis Almeida e Caio César: comunicação e educação/Mavi Morais e Edson Jonathan Falar sobre a juventude negra e tantas outras “minorias sociais” no Brasil é atentar-se constantemente às narrativas e aos discursos em construção, sobretudo quando parte de um imaginário racista e perverso que as configurações de ferozes e vitimistas são desempenhadas por estes. A ideia de subverter tais idealizações se faz presente especialmente no século XXI, época em que o protagonismo tem ressignificado espaços, ruminado o consumo, as produções de símbolos e signos e fabricado novos pertencimentos identitários. Refletir acerca das produções atuais, estejam elas relacionadas à literatura, artes, moda, música ou aos conteúdos produzidos por grandes veículos de massa ou web, é imprescindível, pois pensar narrativas capazes de refutar o protagonismo que até então ...

    Leia mais
    Will Cavagnolli

    Peça do grupo Teatro Terreiro Encantado reflete sobre o genocídio da juventude negra

    Em debate direto com a atualidade, Auto do Negrinho coloca em cena máscaras e bonecos produzidos pela companhia para contar história inspirada em lenda que tem como personagem central uma criança escravizada no sul do país Por Larissa Corrêa para o Portal Geledés  Foto: Will Cavagnolli De 12 a 14 de outubro (sexta-feira a domingo) o Itaú Cultural recebe o grupo Teatro Terreiro Encantado, para três apresentações do espetáculo Auto do Negrinho. Dirigido por Cleydson Catarina, a peça inspira-se na lenda do Negrinho do Pastoreio para fazer um diálogo com o tema do genocídio da juventude negra nos tempos atuais. Espetáculo produzido no ano passado, Auto do Negrinho parte do folclore nascido no Sul do país, no qual um menino negro escravizado é duramente castigado pelo senhor quando este sente falta de um dos cavalos que o jovem tinha que cuidar. E, ao pensar que o escravo já estava morto, o dono ...

    Leia mais

    Ativistas elogiam campanha da ONU pelo fim da violência contra a juventude negra no Brasil

    Em depoimentos para a ONU Mulheres, ativistas avaliam os oito meses da campanha Vidas Negras, uma iniciativa das Nações Unidas no Brasil pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Para as militantes, o projeto acerta ao debater abertamente o racismo e ao defender que todas as existências têm o mesmo valor. Da ONU Em depoimentos para a ONU Mulheres, ativistas avaliam os oito meses da campanha Vidas Negras, uma iniciativa das Nações Unidas no Brasil pelo fim da violência contra a juventude afrodescendente. Para as militantes, o projeto acerta ao debater abertamente o racismo e ao defender que todas as existências têm o mesmo valor. “É importante quando alguém diz que vidas negras importam e coloca caras de homens e mulheres negras nessa perspectiva de dizer que essas vidas são importantes para a sociedade. Nós precisamos de campanhas como essa, que tenham coragem de colocar a cara do Brasil ...

    Leia mais

    Telma Tvon trouxe a voz da juventude negra portuguesa para o romance

    Amante de literatura, não encontrava obra que reflectisse a sua realidade. E assim nasceu Um Preto Muito Português, retratos da juventude negra dos subúrbios de Lisboa e de quem passa a vida a ser questionado: “De onde és?” Por Joana Gorjão Henriques Do Publico NUNO FERREIRA SANTOS Quando criou o protagonista do seu romance, Telma Escórcio da Silva seguiu opções menos óbvias: escolheu um homem, e ela é mulher; colocou-o como descendente de cabo-verdianos, e ela nasceu em Angola. “Achei que, se fosse uma mulher, muita gente ia achar que estou a falar da minha história”, conta. Rapper, Telma Tvon — como assina — escreveu Um Preto Muito Português depois de numa noite ter começado a rabiscar uma canção até se dar conta de que não conseguia parar. A música tinha o nome que dá título ao livro e sintetiza muito sobre as pessoas em quem se inspirou. É a história ...

    Leia mais

    Extermínio da juventude negra será tema de jornada de luta no mês da abolição

    Entidades que representam a juventude negra capixaba estão se movimentando para realizar uma grande mobilização no próximo mês de maio, quando completam-se 130 anos da abolição. A I Jornada de Luta Contra o Extermínio da Juventude Negra no Espírito Santo terá uma série de eventos, realizados entre os dias 15 e 31 de maio. Por Jussara Baptista Do Século Diário O Círculo Palmarino-ES, entidade do movimento negro, está cadastrando instituições que desejem participar das atividades. Estão previstos debates, rodas de conversa, seminários, atos públicos, shows, saraus, batalhas, palestras, grupos de estudo, aulas públicas, cineclubes, audiências públicas, além de intervenções artísticas. O cadastro poderá ser feito até o dia cinco de maio de 2018 pela fanpage da entidade. “Será uma programação construída coletivamente, que contará com diversas atividades na Grande Vitória e no interior; nas comunidades, morros, praças, ruas, becos, escolas, quilombos, faculdades, parlamentos; enfim, em vários espaços para reafirmar e fortalecer nossa luta pela ...

    Leia mais

    ONU apresenta no Congresso campanha pelo fim da violência contra juventude negra

    Deputados, religiosos, representantes da sociedade civil e do Sistema Judiciário participaram na quarta-feira (6) no Congresso Nacional em Brasília (DF) do lançamento da Frente Parlamentar pela Prevenção da Violência e Redução de Homicídios. A iniciativa já congrega quase 200 parlamentares de pelo menos 25 partidos, e tem como objetivo debater caminhos alternativos às propostas centradas unicamente em medidas repressivas e punitivas. Da ONU O trabalho da frente parlamentar deve se concentrar em articular iniciativas de redução da violência, que oferecem principalmente (Imagem retirado do site da ONU)   Falando em nome da ONU Brasil e da campanha Vidas Negras, Jaime Nadal, representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), enfatizou a distribuição desigual dos homicídios no país, o que aparece como conseqüência radical das desigualdades raciais. Deputados, religiosos, representantes de organizações da sociedade civil e do Sistema Judiciário participaram na quarta-feira (6) no Congresso Nacional em Brasília (DF) do ...

    Leia mais

    ONU Brasil lança campanha pelo fim da violência contra a juventude negra

    A Organização das Nações Unidas no Brasil lança, no próximo dia 7 de novembro, a campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra jovens negros. Do Nações Unidas A iniciativa, ligada à Década Internacional de Afrodescendentes, envolve os 26 organismos da equipe de país da ONU. O objetivo é sensibilizar sociedade, gestores públicos, sistema de Justiça, setor privado e movimentos sociais a respeito da importância de políticas de prevenção e enfrentamento da discriminação racial. A Organização das Nações Unidas no Brasil lança, no próximo dia 7 de novembro, a campanha “Vidas Negras”, pelo fim da violência contra jovens negros. A iniciativa, ligada à Década Internacional de Afrodescendentes, envolve os 26 organismos da equipe de país da ONU. O objetivo é sensibilizar sociedade, gestores públicos, sistema de Justiça, setor privado e movimentos sociais a respeito da importância de políticas de prevenção e enfrentamento da discriminação racial. Para a ONU, o racismo é ...

    Leia mais

    A violência policial contra a juventude negra de Pernambuco, por Laércio Portela

    A violência policial contra a juventude negra de Pernambuco e o silêncio da classe média por Laércio Portela* no Marco Zero Danilo tomava uma cerveja na parada de ônibus em frente a uma lanchonete que vendia clone de coxinha na UR-11, às 21h30, depois de um longo dia de trabalho, quando várias viaturas da Polícia Militar fecharam a rua. Começou o inferno. “Mão na parede!, tá reclamando do que?”, tapa na lata de cerveja, ajoelha no chão!, algema na mão. Vai parar na gaiola na parte de trás da viatura com outro jovem menor de idade que também reclamou da abordagem truculenta. “Tá reclamando do quê? Quando a gente aborda vocês é para ficar calado”. Mais de uma hora depois, quando a operação acabou, foi liberado. “Tudo que eu imaginava é que eles iam me levar e fazer sangrar. Fui feliz para casa porque voltei vivo”. Cleonice estava preocupada. Uma ...

    Leia mais
    Foto: Adriana Medeiros

    “A atuação das forças de segurança do Rio é marcada pelo caráter repressivo e pela criminalização da juventude negra”, diz Jurema Werneck

    Em entrevista exclusiva ao Le Monde Diplomatique Brasil, a diretora executiva da Anistia Internacional Jurema Werneck analisa a escalada de violência no estado do Rio de Janeiro: “Está vivendo as consequências da ausência completa de política de uma segurança pública efetiva e estratégica – que foque na prevenção e não na repressão, ou que priorize o controle de armas e redução de homicídios”. Por  Nadine Nascimento, do Diplomatique Somente de janeiro a junho de 2017 ocorreram cerca de 2,5 mil tiroteios no Rio de Janeiro. Estes foram responsáveis por quase 800 mortes, segundo o aplicativo Fogo Cruzado que registra os dados da violência no estado. Um dado revelador é que a maioria dos tiroteios ocorreu em áreas onde estão implementadas as Unidades de Polícia Pacificadora, UPPs. Já registros do ISP (Instituto de Segurança Pública), ligado ao governo estadual, mostram que desde 2009 não é tão elevada a taxa de crimes com morte violenta. Em ...

    Leia mais

    Mulheres relatam impacto do racismo e da violência contra a juventude negra

    As mulheres negras são um dos grupos em situação de maior vulnerabilidade, devido ao acúmulo de discriminações decorrentes do racismo, do sexismo e de outras formas de opressão, cujos impactos incidem sobre a trajetória de suas vidas e de suas famílias. Da ONU Essa foi a conclusão de relatos feitos à ONU Mulheres para a ocasião de três datas: Dia Internacional das Famílias, celebrado na segunda-feira (15); Dia das Mães, ocorrido no domingo (14); e Dia Nacional de Luta contra o Racismo (13) — contraponto do movimento negro ao Dia da Abolição, considerando a ausência de políticas e medidas de inclusão após o fim da escravização. Débora Maria da Silva, fundadora e coordenadora do movimento Mães de Maio, mobilizou Assembleia Legislativa de São Paulo para criação da Semana Estadual das Pessoas Vítimas da Violência no Estado de SP. Foto: Percurso da Cultura (CC) As mulheres negras são um dos grupos ...

    Leia mais

    Renata Prado: “É impossível conscientizar a juventude negra se ela não se empoderar”

    Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Entrevista / Pedro Borges Foto / Solon Neto Do Alma Preta  Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Faça aqui a sua inscrição. As últimas vagas podem ser preenchidas até o dia 5/03, domingo. Qual a importância da geração tombamento para o debate acerca das opressões de raça, gênero, sexualidade e classe? É necessário que a geração tombamento compreenda como funciona o sistema que foi imposto para a ...

    Leia mais

    Violência contra juventude negra é tema de concurso nacional de reportagem e vídeo-série

    Cerca de 23.100 jovens negros de 15 a 29 anos são assassinados todos os anos no Brasil. São 63 por dia, um a cada 23 minutos. Os números são do Mapa Da Violência de 2014, produzido com base em números oficiais do Ministério da Saúde. Resgatar as histórias de vidas abreviadas e reduzidas em estatísticas e problematizar as diversas formas de violências que atingem a juventude negra brasileira são objetivos do projeto “A Juventude Comunica o Direito a Vida”, lançado pela Revista Afirmativa. Por Divulgação Do Divulgação A iniciativa premiará reportagens inéditas de jornalistas recém-formados e estudantes de jornalismo. Os três primeiros colocados serão premiados com R$ 2.000.00, R$1.200 e R$500,00, respectivamente, e terão seus textos publicados no portal da revista. Já o material selecionado em primeiro lugar também será veiculado na edição impressa, que terá 50% de sua tiragem distribuída gratuitamente em cursos pré-vestibular comunitários e articulações de jovens negros da ...

    Leia mais
    Página 1 de 99 1 2 99

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist